1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

História Abreviada da Literatura Portátil (Enrique Vila-Matas)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Pips, 10 Mar 2011.

  1. Pips

    Pips Old School.

    Os shandys – homenagem a Tristram Shandy - são integrantes de um grupo de intelectuais, seleto e obscuro, que retrata a vanguarda no início do século XX. Entre os integrantes está Marcel Duchamp, Tristan Tzara, Georgia O’Keefe, Cesare Varese, Paul Morand, Jacques Rigaut, Scott Fitzgerald e Fernando Pessoa. Não isso não é uma biografia real, é um experimento quase antropológico de Enrique Vila-Matas em História Abreviada da Literatura Portátil, lançado pela Cosac Naify em 2011 – responsável por trazer O Mal de Montano, Paris não tem fim, Suicidios Exemplares e Doutor Passavento do autor catalão –, para descrever as excentricidades desse grupo de intelectuais.

    Publicado originalmente em 1985 e marco inicial da intitulada “A Catedral da Metaliterária”, História Abreviada da Literatura Portátil é, acima de tudo, uma carta de intenções de um autor e ao mesmo tempo um ensaio, assim como ocorreu em Bartleby & Companhia, que juntos formam um romance, uma pequena conjuctura de histórias gigantescas que podem ser levadas no bolso. Não obstante, este exemplar publicado pela editora está em um tamanho reduzido, uma ótima maneira de homenagear os personagens “reais” da sociedade portátil.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. Luciano R. M.

    Luciano R. M. vira-latas

    Não sei se está nos planos da Cosac lançar- deve estar- mas acredito que o 'Literatura Portátil' é bem mais aproveitado se acompanhado pelo 'Hijos sin Hijos'... As duas obras compartilham muita coisa.
     
  3. O próximo é Dublinesca, o último que saiu dele lá fora...
    eu tava afim de ler "Exploradores del abismo" (eu gosto muito dos contos do Vila-Matas), mas eu tô com uma pilha tão grande aqui em casa...

    Vcs já leram os Suicídios Exemplares, não?
     
  4. Luciano R. M.

    Luciano R. M. vira-latas

    Já sim- inlcusive meu primeiro artigo pro blog foi sobre ele. Li a edição nacional, quero ver se pego o original qualquer hora.
     
  5. Pips

    Pips Old School.

    Eu gosto do Suicídios Exemplares, mas ainda acho o Doutor Pasavento uma obra primorosa ao lado de Paris não tem fim - com a tradução ótima do Joca Terron - por conseguir ser extremamente divertido e com vários momentos depressivos.
     
  6. imported_Wilson

    imported_Wilson Please understand...

    acho que nunca fui muito com a cara desse escritor nas livrarias (um certo, e não justificado preconceito contra escritores que escrevem para escritores - ou parecem escrever para escritores), mas o trecho da obra que a cosac naify colocou na contra capa dessa edição dá muita vontade de ler o livro.
     
  7. Pips

    Pips Old School.

    Na verdade ele usa os escritores como personagens, ele usa a personalidade deles e transfere para um mundo cheio de aventuras bizarras. Dê uma chance.
     

Compartilhar