1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Heleninha, A Kolody!

Tópico em 'Autores Nacionais' iniciado por imported_Amélie, 2 Abr 2008.

  1. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    Por sugestão da Lethaargic, porque gostamos da nossa querida Heleninha, abre-se o tópico...

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Helena Kolody não foi uma poeta qualquer. (Se é que pode se falar que poetas são qualqueres, mas) nascida em 1912 na Ucrânia, e vinda para o Brasil ainda criança, Helena tinha uma missão a cumprir.

    Escrevia pequenas poesias, como pílulas-poemas, remédios para a alma.

    Ela abriu espaço para que outras mulheres, assim como ela, escrevessem Haicais: o formato japonês de pequenos poemas com métrica definida ou não. Escreveu sobre temas da vida, do amor, das lembranças, da natureza e sobretudo, da alma.

    Passou por Rio Negro/PR e por Curitiba/PR, aonde se fixou até o fim. Foi poeta e professora, e (como se fosse possível dissociar) uma pessoa maravilhosa, com muito carisma e atenção. Diz a lenda que ela recebia os fãs em sua casa, com um cafézinho e muita conversa e que, de quebra, saia com um Haicai inédito e personalizado nas mãos.

    Sou suspeita pra falar, porque de todas as histórias que ouço, me apaixono ainda mais pela obra e pelo ser humano HK.

    Ela escreveu:

    *Aplauso

    Corrida no parque
    O menino inválido
    Aplaude os atletas.

    *Qual?

    Damos nomes aos astros...
    Qual será nosso nome
    nas estrelas distantes?


    *Poesia mínima

    Pintou estrelas no muro
    e teve o céu
    ao alcance das mãos.

    *Aquarela

    Sol de primavera.
    Céu azul, jardim em flor.
    Risos de crianças.
    Na pauta dos fios elétricos,
    uma escala de andorinhas.

    *Gestação

    Do longo sono secreto
    na entranha escura da terra,
    o carbono acorda diamante.

    E o mais famoso certamente é Dom:

    Deus dá a todos uma estrela.
    Uns fazem da estrela um sol.
    Outros nem conseguem vê-la

    Faleceu em 2004, com 92 anos, de cabelos brancos, e com o mundo às suas mãos.

    Quer saber mais sobre ela?
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    !!!!
     
  2. Lethaargic

    Lethaargic Usuário

    Adoro ela! Infelizmente ela não é muito conhecida na minha cidade,
    mas sou amiga da sobrinha dela, que me contou a história dela
    e comentou o significado de alguns poemas/poesias. Como neste,
    que vou colar aqui, "Terra Inculta", no qual ela fala sobre a frustração
    de nunca ter tido um filho.

    Eu sou terra ignota e bárbara
    Que sentiu a pujança da sua profundidade
    E aspirou a cobrir-se de searas,
    E sonhou coroar-se de frutos.

    Permaneceu, porém, ignota e bárbara.
    Viu ondularem as searas alheias,
    Viu sazonarem frutos de outras terras,
    Talvez, menos fecundas.



    Tirei do livro "Luz Infinita", o qual eu recomendo e estou com vontade
    de ler novamente (:
     
  3. Anica

    Anica Usuário

    Amélie, lindo seu post sobre a Kolody! Gosto muito dos trabalhos dela, ainda que a primeira vez que tenha lido foi "por causa do vestibular" (o que quase nunca é uma leitura agradável, certo?), mas depois quando reli me encantei. A poesia dela é de uma delicadeza ímpar. Eu compararia os haikais com aquelas pessankas, sabe? Delicado, colorido e cheio de significados. O que até cai bem, se levar em conta que ela nasceu na Ucrânia, hehe.

    Para quem não sabe o que é pessanka ->

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  4. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    É uma comparação muito pertinente Anica!!! vendo por essa ótica, parecem sim pessankas... quanto mais olhamos, mais detalhes e significados!

    E tem o próprio fato de que alguns haicais foram escritos em ucraniano, e que visualmente (e pode ser que o significado tb, pq não sei ler huhuh) ficam diferentes com a tradução...

    Esqueci de dizer que ela também lecionou em Jacarezinho/PR, e que quem se interessar, pode ouvir um depoimento dela gravado no Museu da Imagem e do Som do PR...

    Ela tem o título de Doutora Honoris Causa pela UFPR...
     
  5. imported_Cleo

    imported_Cleo Usuário

    Wow.

    Contribuição do Meia Palavra para minha nova formação. Vou procorar obras dela na boblioteca. Já estou vendo que irei me apaixonar. :rolleyes:
     
  6. Zuleica

    Zuleica Usuário

    Gente, não estou mais me sentindo Dinossauro! Não é que essa gente não tem idade? Gostam de coisas boas... \o/\o/\o/
     
  7. Lethaargic

    Lethaargic Usuário

    Procure siim Cleo, garanto que não vai se arrepender! (:
     
  8. imported_Cleo

    imported_Cleo Usuário

    Achei uma coletânea do Leminski :eba:

    Mas, por enquanto, nada dela.
    Agora vamos pra municipal.
     
  9. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    Cleo, se vc nã fosse de uma "cidade perdida num buraco entre as montanhas da Zona da Mata", eu te emprestava os meus huhuh sério! Mas quando vier a Ctba, conte comigo! :)
     

Compartilhar