1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Guarda Compartilhada

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Primula, 10 Out 2003.

  1. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Hoje em dia é comum conhecermos casais divorciado/separados, e filhos dessas uniões que não deram certo.

    Há cerca de dez anos atrás, lembro de ler numa revista sobre um movimento francês sobre pais-homens que protestavam pelo seu direito a ser pai... vejo que hoje com a internet esse tipo de coisa está ainda em andamento.

    Vários mitos sobre como proceder (medo de contar ao filho, etc.) estão aos poucos sendo derrubados, enquanto uma realidade não muito bonita ou confortável também se delineia sobre o ideal de figura materna.

    Mas como se diz... devemos pensar nas crianças. :wink:
     
  2. Almie *§*

    Almie *§* Usuário

    A atual legislação brasileira tira a exclusividade da mãe em ficar com a criança.
    Agora a criança deve ficar com quem tem mais condições de criá-la, seja financeiramente, emocionalmente, moralmente, e vários outros mentes.

    Essa pessoa pode ser a mãe, o pai, os avós, tios, e outros parentes próximos. Só não tenho certeza se a legislação inclui não familiares.

    Mas acabou o monopólio materno. Ou pelo menos a preferencia que existia antes da nova lei.
     
  3. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Sim, mas na hora de julgar um processo um juiz é humano. E temos tendência a deixar a criança com a mãe.

    Pelo menos na lei isso já não existe mais, claro. Quis trazer à tona que mesmo com o progresso na teoria, ainda temos um caminho a trilhar para nos acostumarmos à essa idéia e aos poucos tirarmos essa tendência em favorecer o lado materno.
     
  4. [Thorin]

    [Thorin] Usuário

    na verdade os juizes realmente avaliam caso a caso, deixando com quem tem mais tempo, dinheiro, disponibilidade e condições psicológicas de cuidar da criança né... acho que isso de deixar com a mãe por tendência é babagem... mas po, separação qdo tem filho eh foda... mto chato pros filhos...
     
  5. Logan Mcloud

    Logan Mcloud Usuário

    ate q a criança tenha idade para poder escolher qual o responsavel vai ficar com ela eu acredito q a guarda deve ser dada ao responsavel q tenha a condiçao de dar a melhor condiçao de vida para a criança.



    Dwarf
     
  6. Anonymous_theOld

    Anonymous_theOld Usuário

    Eh uma barra mesmo ter os pais separados, inclusive na faixa etária de 5 a 10 anos, q as crianças não entandem direito a situação... :?
     
  7. nana

    nana Usuário

    é bem complicado mesmo. nem sempre ficar com a mãe é o melhor para
    os filhos. há casos em que a mãe exige ficar com os filhos somente pela
    pensão, sem se importar com o bem-estar dos pequenos.

    e é complicado para o juiz até, se a mãe estiver "encenando" o amor
    pelos filhos!

    - complementando

    acho besteira falar de "figura materna" e "figura paterna"
    não se pode dar maior importância para um ou para o outro a guarda
    é dada preferencialmente à mãe, pois a visão é que as mulheres não
    trabalham/vam.. contudo muitas mulheres já são chefes de família
    então outros fatores devem ser levados em consideração, mais do que
    a presença do dia-a-dia que atualmente, em família, seja ela rica ou
    pobre, os pais estão consideravelmente menos presente na vida dos
    filhos.
     
  8. Phreddie Cadarn

    Phreddie Cadarn Sempre no limbo.

    bem,
    quando eu tinha 11 anos meus pais se separaram, eles já brigavam a um tempo - uns seis meses - e eu sabia que alguma coisa tava acontecendo. até que um dia...

    Mãe entra na sala. Filho comendo sanduíche vendo TV.
    - Meu filho, assim, o que você acha de ter duas casas? (minha mãe é muito comédia cara...)
    Filho morde o sanduíche.
    - Ahn? Duaf cavaf? Fo... ia afar legal né!
    - Então, é que eu e seu pai estamos passando po uma fase muito difícl de nossas vidas e nós... nós vamos nos separar...
    - Hmm... Tá certo.
    Mãe faz cara de espanto misturado com dúvida e uma pitada de alegria.
    - Você não vai ficar triste?
    - Não não... Esse sanduíche ficou boom.... :)
    Mãe sai da sala e vai pra cozinha fazer alguma coisa.

    Viram? Nem sempre é um grande problema, eu estou morando com a minha mãe há 5 anos. Vejo meu pai todo final de semana. Não foi ruim...

    100+ 8-)
     
  9. Anonymous_theOld

    Anonymous_theOld Usuário

    Mas tem casos q em menos de uma semana de separção as crianças já taum com depresaum, sem fome, sofrendo, perdendo amigos... isso acontece aos montes hj em dia
     
  10. eu acho q a reação varia mtu de criança pra criança, c é uam criança amis concientezinha, ela vai sacar q antes o casal separado doke brigando td dia, ou mals e falando, como acontece geralmente antes da separação,,

    no caso da guarda,,é por kem tem melhor condições de cuidar indo por prioridades eu acho, primeiro se examina mãe e pai dando privilegio a esses, só c provado q nenhum dos dois poderia cuidar adequadamente da criança q pasas para avós, tius e assim por diante!!!!
     
  11. Saranel Ishtar

    Saranel Ishtar Usuário

    Até que na minha casa num tá tendo mta briga naum, mas ano passado tinha mta briga...a gente num passava mais de uma semana sem quebrar o pau feio. Era terrível. Mas engraçado é que meus pais estão juntos há 18 anos. Minha mãe quer se separar, mas meu pai acha que não é legal. Eu achava melhor! Desde o começo do casamento que os dois têm problema, meu!! Não sei como se aturam!!
    Eu preferia que eles tivessem se separado qdo eu fosse mais nova.
     
  12. Excluído004

    Excluído004 Excluído a Pedido

    É, comentários a parte eu tenho um primo que é super inteligente porém depois da separação ele nunca mais foi o mesmo, tem que ser avaliada muita coisa mas acho que se não dá mais pra ficar junto a criança acaba sofrendo também, meus pais quase se separaram e eu já sei pelo que eu passei, teve uma hora que até eu tive vontade de ter eles separados, pelo bem deles e pelo meu também, de qualquer jeito a criança sofre porém ninguém pode saber o que leva a uma separação, seja o amor que acaba, diferenças muito grandes.. etc.... :roll:
     
  13. Conforme já foi dito, a legislação brasileira prevê que aquele com melhores capacidades deve ter a tutela dos filhos. Conforme os velhos juízes forem se aposentando, penso que as pessoas mais jovens que vêm ocupando este cargo tenderão a fazer um julgamento sem preconceitos.
     
  14. Láthspell

    Láthspell Usuário

    Aí é que você se engana, meu caro Sabu.

    Lido com juízes todos os dias, durante os últimos quatro anos. E, pelo que parece, quanto mais novo o juiz, mais ele se prende nos velhos conceitos. Talvez por receio, talvez por pensar que, desta forma, irá atrair para si a atenção do Tribunal, talvez de olho nas promoções, é complicado dizer qual o motivo. Como diz meu mestre Amilton Bueno de Carvalho, "é necessário olhar o novo com os olhos do novo. E não olhar o novo com os olhos do velho."

    Infelizmente, abundam nos tribunais brasileiros os Teletubbies jurídicos. Aqueles que apenas repetem, incansavelmente, o que está disposto nos velhos manuais, escritos há trinta, quarenta anos, e que são porcamente atualizados apenas para continuarem vendendo: diz o Silvio Rodrigues, diz o Silvio Rodrigues... Cito Caio Mário, cito Caio Mário...

    O problema reside nas faculdades de direito, que estão de proliferando como pastelarias. Enquanto o Ensino Jurídico no Brasil não passar por uma mudança drástica, teremos sempre um dos Poderes Judiciários mais obsoletos e inoperantes do mundo. É incomcebível, por exemplo, oito cadeiras versando sobre forma (direito processual) e apenas duas sobre a matéria (direito constitucional).

    No que tange ao assunto inicial do tópico, infelizmente eu não tenho a matéria em mãos para mostrar a vocês. Mas assim que a conseguir, ela estará aqui. Numa recente pesquisa sobre guarda dos filhos, 60% dos pais abriram mão da guarda para a mãe. Não quiseram nem ao menos tentar convencer o juiz que estariam aptos a cuidar, educar e zelar por seus filhos. Se contentaram em ser pais de finais de semana. Talvez, por casos como estes, as guardas continuam sendo dirigidas para as mães.
     

Compartilhar