1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Grupo de Estudos sobre RPG

Tópico em 'RPG' iniciado por Nameless, 29 Jul 2007.

  1. Nameless

    Nameless Senhor do Sonhar

    Estou criando este tópico (dedicado especialmente a prisca brandebuque e a Katrina Galad) para ajudar a todos aqueles que querem conhecer o maravilhoso mundo do RPG. É mais voltado para os novatos que nunca tiveram contato com o RPG ou que pouco conhecem. Aqui é lugar de perguntas simples que para alguns "veteranos em RPG" podem até achar óbvias, mas que são muito importantes para quem está começando. Portanto novatos, nao tenham medo de perguntar.

    Aos que conhecem melhor o jogo gostaria de pedir ajuda para responder as perguntas, afinal eu sou um só e também não sei sobre muita coisa sobre RPG.
     
  2. Katrina

    Katrina Usuário

    :grinlove:

    Bem, Nameless
    acho que você poderia iniciar, explicando quais os fundamentos e conhecimentos básicos que é preciso ter para se jogar RPG. :yep:
    Eu sempre tive enormes dúvidas quando via aquelas fichas e dados multifacetados 8-O .

    EDIT: Post de nº 500! XD
     
  3. Elminster

    Elminster Usuário

    Em primeiro lugar, parabéns Katrina virou Saitorë agora :joy:

    Vamos ao assunto:
    Acredito que inicialmente para se conhecer bem o RPG é bom que você seja uma pessoa consciente de que tudo é um jogo, todos sabemos bem que jogos são apenas lazer, diversão e que não pode sair para um caso grave (acho que captaram a mensagem).

    Em segundo você pode optar por uma entre centenas de "cenários", estes são o mundo em que você viverá, no RPG o número de cenários parece inexistente então você sempre vai encontrar aquele mundo que você gostaria de vivenciar um personagem nele.

    Em terceiro você escolhe um sistema de regras, geralmente compilado em um livro específico, que vai coordenar o que seu personagem faz, é como um código de leis que limita o que seu personagem pode fazer, afinal ninguém gostaria de personagens fazendo coisas absurdas sem que haja regras para controlar isto.

    Bom ás vezes os cenários vem acompanhando um sistema, ou vários cenários se enquadram num sistema (como no caso de d20), caso queiram conhecer alguns dos "melhores" sistemas acho que poderei postar mais tarde com ajuda do pessoal. :D
     
  4. Katrina

    Katrina Usuário

    Pois é..agora só falta arrumar um Nolyon ou Nolyë...:joy:

    esses sistemas é que não consigo entender (e nunca encontrei ninguém com paciência para me ensinar)...
    Poste sim :yep:
    :abraco:
     
  5. Elminster

    Elminster Usuário

    Aqui vai os melhores sistemas para se começar: d20, GURPS e Storyteller.

    Eu falo melhores pois estes contém um vasto número de cenários e considero que possuam regras bem desenvolvidas (não que eu esteja excluindo outros sistemas, mas no Brasil eu acho que são os melhores), além do que você pode jogar muito bem e com um tempo longo.

    O pessoal vai me bater por não dizer outros sistemas, mas a maioria vai concordar comigo. :roll:

    Bom agora vou dizer o básico do primeiro sistema. d20 é como o nome diz, você na maioria das jogadas joga com um dado de vinte lados para decidir algumas ações, adicionando-se um bônus. Ex: vou saltar um buraco, eu jogo d20+bônus diversos, então o Mestre (que dirige um cenário, como se fosse o "deus" do cenário, mas um deus justo) estabelece uma CD (classe de dificuldade) que eu devo ultrapassar para se ter sucesso, se ele disse CD 15 então eu tenho que ter um valor maior que 15 para saltar. Os bônus diversos podem ser a perícia que o personagem possui para saltar, situação local, valores correspondentes ao momento (redutor caso esteja apressado, correndo de um monstro), enfim.

    Acho que o meu Saitor, Skywalker possa lhe explicar muito melhor do que eu, caso ele passe por aqui (ele é o mestre do d20 no fórum).

    Caso alguém experiente passe aqui, poderá lhe explicar os outros sistemas, porque eu sou ruim para explicar os outros. :roll:
     
  6. Nameless

    Nameless Senhor do Sonhar

    Bom, além de tudo o que o Elminster já falou, criatividade e imaginação é fundamental, mas isso a maioria das pessoas tem (algumas só precisam descobrir) ainda mais aquelas que tem o hábito de leitura.

    A escolha do cenário eu acho mais importante que o sistema de regras em si, apesar que em muitos casos eles estão interligados. Você precisa ter delimitado que tipo de "mundo" vc quer jogar. E nisso há uma infinidade de opções para escolher e em cada opção há as variações que cada grupo de jogo dá ao cenário que escolheu de acordo com seus gosto. Mas eu já estou me adiantando muito. Por enquanto basta citar alguns exemplos de cenário (de forma ampla):
    Temos "Terror Pessoal", onde se interpreta criaturas que a maioria consideraria mostros, como uma forma de vivenciarmos a eterna luta que temos entre nós entre fazer as "coisas certas ou erradas" e o quão complicado é saber oq é o "certo e o errado". Ex. Vampiro: A Mácara, Lobisom: o Apocalipse, Trevas etc.
    Fantasia Medieval é um clássico com muitas variações. Teve como principal influência o SdA e geralmente tenta reviver história de heroísmo com cavaleiros, magos, elfos etc.. D&D ou Dungeons and Dragons é um exemplo
    Ficção Científica - também possui inumeras variantes, mas a tecnologia e um futuro alternativo são regras nesse cenário. Ex. Cyberpunk.
    Esses são apenas pouquíssimos exemplos falados de forma geral apenas para ilustrar. A quantidade de cenários depende única e exclusivamente da criatividade humana.

    Quanto as regras, concordo com o Elminster, mas devo puxar a orelha dele por ter se esquecido do 3D&T. Muitos vão torcer o nariz e me apedrejar também, mas considero esse sistema de regras muito bom para iniciantes. É simples, rápido e barato. Muito bom para que os futuros jogadores comecem a "entrar no clima" do RPG.
    Os outros sistemas que ele falou, se não forem explicados por alguem que o conheça bem e que explique de forma simples e clara para os iniciantes, podem se tornarem chatos e muito confusos. E isso afugenta uma parte de novos jogadores(as) que estão mais interessados em viver os personagens do que em saber regras.
    É muito bom começar com um mestre que conheça bem o sistema de jogo escolido. As regras tem que ser inseridas aos poucos e com o tempo ficam automáticas, não adianta tentar querer aprender todo um livro de regras em um dia que só vai deixar as coisas mais chatas no início(eu fiz isso com D&D, e alguns outros jogos, mas eu sabia oq tava fazendo..rs).

    Ahn.. O bom do 3D&T é que existe uma versão "fastplay" (simplificada) que é distribuida de forma gratuita como um e-book. Vou procurar o link e coloco aqui na próxima vez que postar.
     
  7. kytarkiton-eru

    kytarkiton-eru Usuário

    Muito interessante esta iniciativa!!! vão falar do sistema CODA tbm??
     
  8. prisca brandebuque

    prisca brandebuque Fayalita Fe2SiO4

    :iei:

    Até aí está claro! Teachers :mrgreen:
    Eu já vi um livro de D&D, mas só passei o olho mesmo.
    Legal da parte de vcs em estarem passando algo de seus conhecimentos para nós!
    Estou pronta para novas informações :hihihi:
     
  9. Elminster

    Elminster Usuário

    Como o Nameless disse, 3D&T é bastante apedrejado assim como outros sistemas e cenários nacionais por causa da simplicidade, porém nos casos em que se pode iniciar uma pessoa é bom, caso tenha gostado dos primeiros jogos e se adaptou ao mundo RPGístico o D&D será como brinquedo em suas mãos, é um jogo mais "complexo" por assim dizer, mas nada de difícil e que falte com a diversão.

    Quanto ao cenário, como todos aqui sabem pelo meu nick, o que eu acho melhor em diversos itens é o Forgotten Realms, um mundo de fantasia medieval.
     
  10. Elda King

    Elda King Senhor do passado e do futuro

    Vamos começar do básico! RPG = Roleplaying Game, jogo de interpretação de papéis. d20 = dado de 20 lados (sim, é bizarro), d6 = dado de seis lados (o comum, d4 = dado de 4 lados (tente imaginar um... é mais fácil do que parece...), etc. Sistema de RPG = conjunto de regras usadas para resolver situações de tensão durante o jogo e para limitar o poder dos personagens (evita coisas do tipo "eu sou o cara mais forte do mundo").
    Para jogar, existe um Mestre (ou Narrador, Storyteller, Dungeon Master, Game Master), que cria uma história e interpreta os antagonistas (qualquer personagem que não seja de um jogador), enquanto os jogadores interpretam os protagonistas dessa história, tomando suas decisões, etc. Normalmente se jogam dados quando é necessário decidir alguma coisa, em quase todos os sistemas (uma vez ouvi dizer de um que não precisava, mas nunca vi).
     
  11. Armitage

    Armitage Usuário

    Que falta faz a série Aventuras Fantásticas heim! É a melhor introdução ao conceito básico de RPG, que já vi.
     
  12. Katrina

    Katrina Usuário

    Eu não conheço :osigh:

    Fiquei a tentar imaginar um dado de quatro lados...:roll:
    deve ser muito estranho :lol: :lol:
    Acho que estou começando a pegar o espirito da coisa...
    mas alguém aí pode me explicar como funciona aquelas fichas para personagens??
     
  13. Elda King

    Elda King Senhor do passado e do futuro

    Elas registram as escolhas que você faz ao criar um personagem. É um elfo ou um humano? Vampiro ou Lobisomem? Que habilidades ele tem, ele sabe cavalgar, sabe nadar, consegue atirar duas flechas de uma vez, usa magias (e quais)? Além disso, serve para registrar o valor numérico de cada habilidade do personagem: você registra por exemplo qual o seu valor de força, de acordo com um parâmetro definido (por exemplo, sabendo que força 10 é a força de um humano normal) e um fator limitante (por exemplo, tirar dados, ou gastar pontos para aumentar um valor). Isso serve para determinar suas chances de fazer alguma coisa. Agora, o significado de cada valor (e os valores que importam), depende do sistema. Em um sistema, pode ser que quanto maior o valor de força mais fraco seja o personagem; em outro, pode ser que o valor de força não faça diferença, e nem entre na ficha.

    Agora vou sacanear... :hanhan: Tenta imaginar um d100!
     
  14. Katrina

    Katrina Usuário

    8-O
    Isto existe mesmo???

    Ah, uma sugestão depois (não agora, depois de falarmos e aprendermos mais sobre RPG) seria legal iniciar um jogo com os iniciantes (leia-se eu :dente: e mais quem tiver interessado) para que possamos aprender na prática a jogar RPG. :yep:
     
  15. Alpharaz

    Alpharaz Usuário

    Um d4 é uma pirâmide com base triangular, e um d100 é quase uma bola. Mas você pode rolas dois d10(ou 2d10) pra determinar isso. Um seria a dezena e o outro a unidade. :lol:

    Não creio que seja a melhor opção pra vocês, iniciantes, iniciar jogando PBF( Play by Forum, ou 'Jogo por Fórum'). Seria melhor arrumar um grupo 'aí fora'. Pelo menos é o que eu indico :cerva:
     
  16. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Uma coisa que eu acho importante quando se inicia a entender o que é RPG é apontar as fontes dos principais jogos.

    O Dungeons & Dragons(o meu favorito disparado, BTW), tem como fonte inspiradora livros como O Senhor dos Anéis, Conan, muita mitologia, Michael Moorcock e seu albino Elric, Jack Vance e sua série Dying Earth e Poul Anderson, com diversas obras (destaque para Three Hearts and Three Lions que, ao lado do SdA, é a grande inspiração pro D&D). Esse é o jogo de fantasia heróica clássica.

    Vampiro: A Máscara tem como fonte principal as crônicas vampirescas da Anne Rice.

    Call of Cthulhu é o jogo dos contos do H.P. Lovecraft, um escritor de horror do início do séc. XX.

    GURPS é uma salada. Fiquem longe, ouviram?
     
  17. Kurt

    Kurt El Doctor

    Primeiramente, acho que os novatos devem saber Sistemas de RPG são gradativos, no caso dos Storytellers, Vampiro a Máscara é o sistema mais fácil e a maioria dos novatos o escolhe pela sua fácil interpretação(Eu mesmo ainda jogo algumas "one shot" de Vampiro ainda).

    PS: Fiquem longe de In Nomine. (Estou traumatizado:lol:)
     
  18. Goba

    Goba luszt

    Eu não acho Vampiro: A Máscara fácil. Pelo contrário, as sessões geralmente são as mais densas que já joguei, com muita interpretação pesada e com uma necessidade noção de jogo bem grande pra poder jogar bem.

    Não que isso não possa rolar em outras sistemas, sempre fiz questão de mestrar cobrando interpretação em D&D, mas o sistema de Vampiro exige isso por si só, enquanto os outros "não".
     
  19. Elminster

    Elminster Usuário

    Poxa Alpharaz, assim desanima :lol: (estou brincando)

    Mas tem como sim montarmos um grupo para os iniciantes, aqui o que não falta é gente experiente em tudo o que se relaciona á RPG. O própio livro do mestre do D&D explica que um jogo não muito difícil, sem muito apego á montes de regras e com uma aventura leve e deliciosa é importante para se iniciar pessoas. Podemos ver futuramente um jogo em PBF, mas lembre-se do que Alpharaz disse, um jogo de RPG é bem melhor com um grupo de amigos. :yep:
     
  20. Alpharaz

    Alpharaz Usuário

    Não foi a intenção, juro :lol:

    Mas começar com uma boa aventura, num bom sistema, ajuda. E muito. Falo por experiência própria. E em assunto de bom sistema, D&D domina.
     

Compartilhar