1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Grupo apresenta em BH o maior prédio da América Latina

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Elessar Hyarmen, 19 Jul 2012.

  1. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Grupo apresenta em BH o maior prédio da América Latina
    Projeto de torre de 85 andares em complexo de lazer próximo ao Boulevard Shopping. Investidores internacionais demonstram interesse pelo empreendimento de R$ 2 bi

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Oitenta e cinco andares distribuídos em 350 metros de altura, tamanho três vezes e meio superior ao conjunto JK, há 40 anos o edifício mais alto de Belo Horizonte. Os números megalomaníacos, comuns em cidades como Dubai, Tóquio, Hong Kong e Nova York, podem fazer parte do cenário arquitetônico da capital mineira. O Projeto Complexo Andradas, do escritório de engenharia e arquitetura FarKasVölGyi, promete trazer para Minas o maior arranha-céu da América Latina, posto hoje ocupado pelo Trump Ocean Club International, de 300 metros de altura, localizado na Cidade do Panamá. Com ele, também viria o turismo arquitetônico, hoje responsável por mais de um terço das receitas de Dubai, nos Emirados Árabes.


    A área com potencial para receber o novo skyscraper – termo em inglês utilizado para definir arranha-céus – está localizada ao longo do Bulevar Arrudas, em um terreno de cerca de 85 mil metros quadrados em frente ao Boulevard Shopping. O secretário municipal de Desenvolvimento, Marcello Faulhaber, reconhece que o projeto já foi apresentado à prefeitura. “A ideia é fazer uma operação urbana nessa região e o terreno citado está sendo estudado, dentro do conceito do plano urbanístico. Entre as opções de destinação do espaço, está esse projeto”, garante o secretário.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Com investimento previsto de R$ 2 bilhões, o complexo arquitetônico incluiria, além da torre de vidro, uma arena multiuso com capacidade para 40 mil pessoas que, além de ser um espaço para realização de eventos esportivos, estaria apta a receber shows e grandes congressos e feiras. Um espaço de entretenimento com 40 mil metros quadrados também está previsto. “A proposta é que seja instalado ali o primeiro cinema Imax de Belo Horizonte. O local teria ainda um teatro e museus, além de uma pista de patinação no gelo. Tudo ligado à cena cultural”, explica Bernardo Farkasvölgyi, diretor do escritório de arquitetura e idealizador do projeto. No total, seriam 500 mil metros quadrados de área edificada, com 10 mil vagas de garagem disponíveis.


    A torre gigante será totalmente comercial e somará 100 mil metros quadrados de área de vendas, não sendo dividida em salas, mas sim em andares corridos. “Estamos definindo como andares comerciais, que podem variar de uma área de 800 a 2,2 mil metros quadrados”, calcula Bernardo. A estimativa é de que cada metro quadrado seja comercializado por cerca de R$ 10 mil, via mercado direto. Em paralelo, e ainda sem estimativa de custos, estaria a incorporação das chamadas “torres gêmeas” (leia memória abaixo) ao projeto arquitetônico. “Ambas seriam transformadas em hotéis, sendo uma de três e outra de cinco estrelas”, afirma Bernardo. A pendência judicial com relação à desocupação das torres, no entanto, impede que os dois projetos caminhem juntos.




    Viabilidade


    O grande passo a ser dado agora é a viabilização econômico-financeira do projeto bilionário. “Estamos buscando os investidores”, afirma Bernardo. “As conversas já estão bem adiantadas com dois fundos imobiliários estrangeiros. Dentro do Brasil, duas construtoras já demonstraram interesse no negócio”, acrescenta o arquiteto. A prospeção de parceiros inclui o Oriente Médio, hoje palco da maior torre do mundo, a Burj Khalifa, em Dubai, com 828 metros de altura. “O que realmente falta é fechar os investidores, que esperamos ser entre três e quatro. Com isso, conseguimos dar um gás importante para viabilizar o projeto”, estima o arquiteto.


    A intenção é finalizar as negociações, ainda este ano, para que, até o início de 2013, o projeto siga para aprovação da prefeitura. “Levaria ainda pelo menos mais um ano até a aprovação. Com isso, as obras poderiam ser iniciadas em 2014”, estima Bernardo. O prazo total de construção é de, pelo menos, cinco anos, sendo, portanto, finalizado antes de 2020. “A maior limitação do projeto hoje é o custo. Trata-se de um empreendimento muito caro, com uma carga de arrojo muito grande”, reconhece Bernardo.


    Marcello Faulhaber, secretário municipal de Desenvolvimento concorda que, atualmente, o grande impasse recai sobre a viabilidade econômica do empreendimento. “Quando apresentado para nós, o grupo investidor inicial não teria capacidade de tocá-lo”, lembra. Para Fallhauber, é incontestável a importância do complexo. “Para a cidade é inequívoca a necessidade de uma arena para realização de eventos. Além disso, no aspecto arquitetônico e turístico, seria um ganho enorme”, afirma. (Colaborou Pedro Rocha Franco)


    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    _______________________________________________________________________________________

    Seria uma revolução para a arquitetura brasileira e mineira. Embora o plano diretor da cidade imponha restrição a arranha-céus como esse. Mas como a área é muito grande o coeficiente de aproveitamento facilite. Estou torcendo para que isso aconteça, pois se proporcionar investimentos como geração de emprego e maior segurança é muito bem vindo.
     
  2. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Arranha-Céus só ficam bonitos quando destoam do resto, Nova York com muitos arranha-céus não é bonita, mas Dubai com, até agora, poucos é.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  3. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Eu curto ambos bairros planos e bairros com prédios mas gostaria que se organizassem áreas urbanas com bairros específicos estruturados para cada coisa de modo a não perturbar os que preferem áreas sem prédios e permitir também quem prefere ousar na arquitetura com construções. A cidade precisa ter espaço para esse tipo de projeto também.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Imagina se ele fosse erguido lá na região da Praça do Papa? Se teria do alto uma visão bem ampla e muito bonita de toda a cidade.

    Mas como será edificio comercial precisa estar numa localização bem viável já que deverá receber bastante pessoas.

    Eu também penso da mesma forma

    Ele sendo único será sem dúvida um ponto turístico bem interessante pra BH
     

Compartilhar