• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Notícias Governo quer impedir que cinemas proíbam entrada com alimento vindo de fora

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
A Advocacia-Geral da União (AGU) enviou ao STF (Supremo Tribunal Federal) parecer contra medidas adotadas por redes de cinemas para evitar que clientes entrem nas salas com alimentos e bebidas comprados em outros estabelecimentos. A proibição é feita por algumas redes para forçar os consumidores a comprar na lanchonete do cinema.

O parecer foi enviado na ação em que a Associação Brasileira das Empresas Exibidoras Cinematográficas Operadoras de Multiplex (Abraplex) pretende derrubar decisão que autorizou o ingresso de clientes nas salas de exibição com alimentos e bebidas comprados em outras lojas. Segundo a entidade, a proibição impede a liberdade econômica das empresas. O caso está no STF desde 2016.

No entendimento da AGU, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) proíbe que a empresa condicione ou indiretamente imponha a venda conjunta de serviços que não podem ser negociados separadamente.

"Ao compelir o cliente a comprar na própria lanchonete do cinema todo e qualquer produto alimentício, a empresa de exibição de filmes e documentários dissimula uma venda casada, uma vez que, insofismavelmente, limita a liberdade de escolha do consumidor, o que revela prática abusiva", diz a AGU.

Além disso, a advocacia pública sustenta que a proibição pode levar a constrangimentos, como vistorias e abertura de bolsas.

O caso é relatado pelo ministro Edson Fachin. Não há data prevista para o julgamento.

https://economia.uol.com.br/noticia...roibam-entrada-com-alimento-vindo-de-fora.htm

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As vezes uma simples pipoca fica igual ou mais caro do que o próprio valor do ingresso. Se alimentar fosse mais barato, talvez isso pudesse ser resolvido.
 

Béla van Tesma

Blood-sucker
A proibição é esdrúxula e tem que ser derrubada mesmo, pelos fundamentos apresentados no processo. Eu, nas raras vezes em que vou ao cinema hoje em dia, e nas mais raras ainda em que pretendo comer algo lá no filme, levo na mochila algum docinho comprado no supermercado do shopping, sempre mais em conta. Nunca ousaram me barrar para abrir mochila, nem acho que já tenha havido alguém que tivesse essa pachorra. Mas também não é legal ser obrigado a andar de bolsa ou mochila para "disfarçar" o que não deveria ser nem de longe coibido. Sem falar que as opções de comida nessas lanchonetes de cinema são poucas e ruins.
 

Fianna

Fianna,The Galliard
Na verdade a lei do consumidor ( estatuto de defesa do consumidor ) vigente no país há mais de 20 anos proíbe o que se chama de "venda casada".
Isso quer dizer o seguinte cinema me vende o ingresso mas não pode me forçar a comprar doces,chocolates,balas,pipoca e refrigerante com eles.
É lei,podem verificar.
A Advocacia-Geral da União (AGU) enviou ao STF (Supremo Tribunal Federal) parecer contra medidas adotadas por redes de cinemas para evitar que clientes entrem nas salas com alimentos e bebidas comprados em outros estabelecimentos. A proibição é feita por algumas redes para forçar os consumidores a comprar na lanchonete do cinema.

O parecer foi enviado na ação em que a Associação Brasileira das Empresas Exibidoras Cinematográficas Operadoras de Multiplex (Abraplex) pretende derrubar decisão que autorizou o ingresso de clientes nas salas de exibição com alimentos e bebidas comprados em outras lojas. Segundo a entidade, a proibição impede a liberdade econômica das empresas. O caso está no STF desde 2016.

No entendimento da AGU, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) proíbe que a empresa condicione ou indiretamente imponha a venda conjunta de serviços que não podem ser negociados separadamente.

"Ao compelir o cliente a comprar na própria lanchonete do cinema todo e qualquer produto alimentício, a empresa de exibição de filmes e documentários dissimula uma venda casada, uma vez que, insofismavelmente, limita a liberdade de escolha do consumidor, o que revela prática abusiva", diz a AGU.

Além disso, a advocacia pública sustenta que a proibição pode levar a constrangimentos, como vistorias e abertura de bolsas.

O caso é relatado pelo ministro Edson Fachin. Não há data prevista para o julgamento.

https://economia.uol.com.br/noticia...roibam-entrada-com-alimento-vindo-de-fora.htm

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As vezes uma simples pipoca fica igual ou mais caro do que o próprio valor do ingresso. Se alimentar fosse mais barato, talvez isso pudesse ser resolvido.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Pois é ninguém é obrigado a gostar e muito menos comprar o que é vendido pra comer num cinema, onde os preços praticados são sempre bem fora da realidade.

Sempre que vou a um, geralmente já comi antes ou deixo pra comer depois. A única coisa que não abro mão é ter uma garrafinha de água estratégica escondida.
 

Fianna

Fianna,The Galliard
Aqui,no final da asa norte,no shopping boulevard tem um carrefour no subsolo. Quando vou no cinema eu passo lá primeiro pra comprar a coca os chocolates e as balas...
Pois é ninguém é obrigado a gostar e muito menos comprar o que é vendido pra comer num cinema, onde os preços praticados são sempre bem fora da realidade.

Sempre que vou a um, geralmente já comi antes ou deixo pra comer depois. A única coisa que não abro mão é ter uma garrafinha de água estratégica escondida.
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.470,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo