1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Gigantes do futebol brasileiro (João Máximo e Marcos de Castro)

Tópico em 'Literatura Brasileira' iniciado por Palazo, 21 Jul 2011.

  1. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    Desculpe-me aqueles que ainda relutam em fugir de qualquer contato com o esporte mais popular do planeta, mas infelizmente o futebol não permite escapatória no país pentacampeão do mundo. Isso por que os noticiários sempre apresentam os resultados da última rodada, além das novidades da seleção canarinha. Nas rodas de amigos o assunto sempre surge no meio de outros entre provocações e risadas. Isso sem falar na copa do mundo de futebol que pára o Brasil, literalmente, durante os jogos da seleção.

    Ainda assim há alguns que relutam em tentar fugir desesperadamente. A literatura poderia ser um caminho, mas se você for de fato um amante das letras invariavelmente vai se deparar com alguns versos de poetas e citações de escritores apaixonados pelo esporte. Isso sem falar em livros dedicados exclusivamente ao tema, como é o caso do livro Gigantes do futebol brasileiro publicado pela editora Record.

    Neste livro os jornalistas João Máximo e Marcos de Castro abordam a vida de 21 grandes jogadores do futebol brasileiro. Histórias que se misturam com a própria história da evolução do esporte no país, de grandes clubes e da própria seleção.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Cantona

    Cantona Tudo é História

    A revista Piauí do mês de julho trouxe uma reportagem interessante, bem escrita, feita nos melhores moldes da extinta revista Realidade, sobre o presidente da C.B.F., Ricardo Teixeira (para ler, clique
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ). Em determinado momento, ele questiona, soberbo, a razão de ter que justificar o balanço financeiro da entidade, que é privada. O que o Sr. Teixeira convenientemente esqueceu é que o futebol, administrado pelo C.B.F. é um bem cultural popular, e como tal, não pode ser utilizado como meio de satisfazer as vaidades e ganâncias dos que são como ele. Não pode, mas infelizmente é. E lendo este livro, Gigantes do Futebol Brasileiro, vemos como, de lúdico, o futebol se tornou um negócio milionário e uma arma política das mais poderosas.
    De Friedenreich e Fausto, lutando contra o racismo, cada um a seu modo, num esporte dominado pela elite branca, nas "aldeias" de São Paulo e Rio de Janeiro do início do século passado, a Romário e Ronaldo, símbolos máximos do futebol moderno, milionário e globalizado, os autores tecem um panorama dos últimos 110 anos do esporte mais popular do planeta, puxados pela história pessoal de cada jogador, com seus sucessos e fracassos.

    Gostei. Prefácio de Luis Fernando Verissimo e Paulo Mendes de Campos, o que já vale a pena.

    Cornetada, pois até a seleção de 70 tinha lá os seus defeitos - nesta segunda edição, com ilustrações do cartunista Ique, o Tostão foi desenhado com a camisa do Vasco. Que há? Ainda que tenha jogado pelo time da Colina, seu ápice foi pelo Cruzeiro. Seria o mesmo que retratar Telê Santana, num possível livro dos Melhores Técnicos do Futebol Brasileiro, com o uniforme do Atlético Mineiro, quando, todos sabem, Telê é sinônimo de São Paulo.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  3. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Concordo plenamente com a observação do Cantona. Detalhe a parte, é uma boa publicação.
     

Compartilhar