1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Fraude na Petrobras provoca rombo de R$ 1,4 bi, aponta PF

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Roderick, 3 Mai 2010.

  1. Roderick

    Roderick Banned

    Fraude na Petrobras provoca rombo de R$ 1,4 bi, aponta PF




    O superfaturamento de pelo menos cinco obras da Petrobras geraram um custo adicional de R$ 1,4 bilhão, apontam investigações da Polícia Federal. A informação consta de reportagem de Leonardo Souza e Renata Lo Prete, publicada na edição deste domingo da Folha
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Segundo a PF, as construtoras envolvidas no superfaturamento participaram, ainda que forma indireta, da elaboração dos editais, de forma a restringir a quantidade de concorrentes e direcionar os vencedores dos certames.



    Os documentos da polícia indicam problemas nos empreendimentos: Unidade de Tratamento de Gás de Caraguatatuba, Unidade de Coque da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) e Refinaria do Nordeste, entre outros.
    Camargo Corrêa, GDK e Queiroz Galvão são algumas das principais construtoras que participam do conluio, ainda de acordo com a PF.





    Outro lado
    A Petrobras negou irregularidades ou superfaturamento nas obras citadas e afirmou que a variação nos preços se deve às diferenças nos parâmetros técnicos utilizados pelos técnicos da PF, e o Tribunal de Contas, e os parâmetros dos engenheiros da companhia.



    A GDK, que supostamente teria sido paga "por fora" para não participar da segunda licitação de Caraguatatuba, afirmou que deixou de concorrer porque a Petrobras mudou o escopo da obra, incluindo "novos condicionantes técnicos".



    A Camargo Corrêa preferiu não se manifestar sobre o assunto. A construtora alega respeito à decisão do Superior Tribunal de Justiça, que determinou a suspensão das investigações policiais sobre a empresa. A assessoria da Queiroz Galvão não localizou qualquer diretor da empresa até sexta-feira para comentar o assunto.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Frederico

    Frederico Usuário

    "A Camargo Corrêa preferiu não se manifestar sobre o assunto. A construtora alega respeito à decisão do Superior Tribunal de Justiça, que determinou a suspensão das investigações policiais sobre a empresa."

    Então como pretendem achar um cupado na história? Vão crucificar a Petrobras, sóm pelo fator de ser uma grande empresa? Não se darão o luxo de investigar a Camargo conforme acusada pela Petrobras?
    Viva justiça brasileira!
     
  3. Thatá Rose

    Thatá Rose Engel

    Depois de tudo isso eles simplesmente fecham os olhos, viram as costas e fingem que nada aconteceu?!
    Já trabalhei numa empresa que participava de licitações e vi acontecer muitos casos parecidos como esse, as vezes perdíamos licitações justamente por conta desses "por fora" e "mudanças" que aconteciam. Infelizmente não é somente com a Petrobrás que acontece, em qualquer empresa, em praticamente todas as licitações...
     
  4. Para mim o que estão querendo mesmo é arrancar muito dinheiro da Petrobras, se provado culpada quanto ela não tera de pagar por ser a empresa que é?!
     

Compartilhar