1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Fotos expõem 'devastação' de recursos do planeta

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por imported_Rafaela, 29 Jul 2009.

  1. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Prêmio internacional de fotografia destaca aspecto insustentável da relação do homem com a natureza.

    - Doze fotógrafos foram anunciados como finalistas do prêmio de fotografia Pictet, que destaca assuntos relativos à sustentabilidade.

    Este ano o tema foi o planeta Terra. O concurso recebeu mais de 300 inscrições de séries retratando a problemática em todos os cantos do mundo.

    Segundo os organizadores, as fotos "falam dos efeitos prejudiciais e muitas vezes irreversíveis da exploração dos recursos do planeta e refletem os impactos imediatos e de longo prazo de modelos de desenvolvimento insustentáveis em comunidades em todo o globo".

    Muitos dos trabalhos chamam atenção para a fonte de recursos que a sociedade consome diariamente sem questionar a origem. Como em uma série sobre pedreiras de mármore fotografadas pelo canadense Edward Burtynsky em Portugal, Itália e na Índia. Nela, o artista procura mostrar a frieza e solidão da "realidade longínqua das paisagens industriais" nestes lugares.

    O israelense Nadav Kandar quis mostrar a relação dinâmica do ser humano com as grandes construções na China. Sua série sobre os 6,5 mil quilômetros do rio Yangtze, ao longo do qual vivem mais pessoas que nos EUA, retratou famílias convivendo com os viadutos sombrios e o ar cinzento da cidade portuária de Chongqing.

    Já o ciclo de consumo, destruição, violência e conflito político é explorado pelo canadense Christopher Anderson em sua série fotografada na Venezuela, que inclui canaviais e favelas. "Enquanto o agronegócio fatura, falta comida para grande parte da população", diz o fotógrafo, que já foi indicado ao prestigiado prêmio Pulitzer de jornalismo.

    Outras obras de arte optam por instigar o debate através de uma representação mais abertamente subjetiva da realidade. O que parecem montanhas nas fotos do chinês Yao Lu são, na verdade, pilhas de lixo em poças de lama, subprodutos do desenvolvimento imobiliário acelerado em seu país.

    'Vigor'

    Para o diretor do grupo de jurados que decidiu pela lista de indicados, Francis Hodgson, a proposta do tema deste ano "foi interpretada em tremenda variedade e vigor".

    "Seja registrando o desenvolvimento em detalhes ou buscando, de maneira mais ampla, estimular o debate, os fotógrafos alcançaram um alto nível de impacto", ele afirmou.

    O vencedor do prêmio será conhecido em uma cerimônia marcada para o dia 22 de outubro, à qual comparecerá o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, presidente honorário do prêmio.

    Até lá, os trabalhos dos finalistas serão exibidos em galerias de arte em Paris, Londres e Genebra.

    Esta é a segunda edição do prêmio Pictet de fotografia, patrocinado pelo banco suíço Pictet. No ano passado, na primeira edição do concurso, o fotógrafo baiano Christian Cravo levou o nome do Brasil ao ficar entre os finalistas da premiação.

    Para quem quiser ver algumas das fotos que estão concorrendo segue o link:
    http://entretenimento.uol.com.br/album/bbc/premio_fotografia_pictet_album.jhtm

    Noticia: estadão.com.br
    Foto: uol entretedimento
     
  2. Anica

    Anica Usuário

    Rafa, o Notícias e Eventos são para notícias e eventos relacionados com Literatura. Para as demais, use o
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , ok? Estou movendo esse tópico para lá.
     
  3. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Ok. Obrigada.
     
  4. imported_?

    imported_? Usuário

    Vou lá dar uma olhada. Eu adoro esse tipo de assunto, essas coisas até me assustam às vezes! Obrigada pelo link!
     
  5. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Isso tb é algo que mexe bastante comigo. Fico pensando no fim do mundo e me preucupo muito com o que estamos fazendo com o nosso planeta!
     
  6. imported_Cabal

    imported_Cabal O Poeta Aprendiz

    Que Absurdo, o que o verme da terra está fazendo com ela é ridículo, podre e nojento.
    Eu sinto um medo intenso sobre a continuidade da vida na terra, tenho medo de ter filhos, com sicenridade.
     
  7. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Cabal, concordo com vc. Fico pensando em ter filhos e que eles viverão numa época pior que a que já estamos vivendo. Com falta de comida, água e com muita poluição. É triste, mas infelizmente são poucas pessoas que se preocupam e tentam mudar as coisas e muitos que só pensam no SEU bem estar e em dinheiro!
     
  8. Aline Guiotti.

    Aline Guiotti. Usuário

    Partilho do mesmo medo que vcs pessoas! Não penso em ter filhos, mas talvez adotar. Tenho muito medo de dar a vida a alguém e o mundo a destruir, o que, do jeito que a coisa vai, acontecerá com muito mais frequencia do que imaginamos. E o que é pior, o ser humano, sabendo disso, não consegue agir de outra forma, não consegue pensar mais no planeta (e, consequentemente, na coletividade) do que em si. Acho que a sociedade capitalista já está no seu limite.
     
  9. Diego u_o

    Diego u_o Usuário

    Faço bacharelado em administração e ontem estava assistindo a um documentário chamado A Corporação. Tenho medo do que eu possa vir a fazer para o ambiente, para a sociedade e para tudo que uma empresa envolve e tem poder de modificar (e que, infelizmente na maioria dos casos é para pior).
    Consciência eu acredito que todo mundo tem, mas parece que falta vontade de mudar as coisas, ou então estamos todos em nossas zonas de conforto.
     

Compartilhar