1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Filosofia clínica

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Excluído045, 30 Mai 2011.

  1. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Peço perdão por ter retirado isso aqui da wiki, mas o artigo me pareceu bom e bem esclarecedor. Quero saber a opiniões de vocês, filósofos ou não: o que acham da filosofia clínica? É válida? Serve como uma alternativa à análise puramente psico-afeitva do homem? Pode corresponder aos nossos anseios existenciais?
     
  2. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Se for utilizada como um complemento para tratar de problemas de ordem psicológica, como stress, depressão e doenças psicossomáticas, posso concordar. Mas, como um novo ramo da medicina que venha substituir o tratamento realizado por outras áreas, discordo.
     
  3. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Não penso como um ramo novo da medicina nem como 'medicina alternativa' mas como um complemento e até um juiz epistemológico das ciências da mente. A psicologia é fortemente influenciada por uma série de ideologias e visões filosóficas que podem até deturpar todo o espírito científico e clínico dela. Como um psicólogo laccanista que me dizia que o meio consumista e burguês em que eu vivia moldou meu caráter e minhas crises existenciais. Ah, pelo amor de Deus!!!, e se eu discordar de Laccan, de sua visão filosófica sobre o valor e o caráter das deformações psíquicas causadas pelo capitalismo. Eu posso discordar sim porque ainda que ele tem pesquisado sobre, ele o fez sobre uma base teórica que eu considero discutível.
     
  4. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Paggy, acho que a Filosofia Clínica, per se, pode sim funcionar, desde que aplicada com critério e com uma formação adicional, como existe com os psicólogos e psiquiatras terapeutas. Seria uma incrível incoerência descreditar as aplicações da teoria filosófica na vida prática, já que foi da Filosofia que veio a Psicologia e a arte de fazer terapia.

    Eu mesma formo em pouco tempo, farei residência em Psiquiatria e, concomitantemente, faculdade de Filosofia, para poder ampliar meus horizontes através dos conhecimentos dos Gigantes Seculares. Não que eu vá fazer Filosofia Clínica, porque minha ênfase será psicanalítica (que eu adoro e estudo há anos), mas o que a Filosofia nos proporciona não dá pra ser desprezado por preconceito.

    Um exemplo da primeira vez que li e vi sobre Filosofia Clínica foi no livro do Irvin Yalom, Quando Nietzsche Chorou. Neste livro Nietzsche, o filósofo, encontra Breuer, padrasto da psicanálise, e eles resolvem "se tratar", um com a arte do outro, para se entenderem e ajudarem. É uma leitura deveras agradável onde dá pra sentir que Filosofia Clínica pode, sim, dar certo!
     
  5. Excluído045

    Excluído045 Banned

    O problema é o critério: a maioria dos filósofos clínicos, de acordo com um professor meu da faculdade, são compsotos por formados em Filosofia que se desencantaram com o ensino por isso procuram uma forma de filosofar e ganhar dinheiro fazendo isso, mas a proposta do Packter é seríssima. Simplesmente existem problemas existenciais que são realmente existenciais, não paenas psicológicos.
     
  6. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Todos os problemas existenciais são psicológicos, Paggy, a partir do momento que eles só existem na mente da pessoa, já que ela pensa neles, mas o contrário não é correto. O principal aí seria identificar quando um problema é mais que psicológico e torna-se neurobioquímico. Mas este é um embate entre Psicologia e Psiquiatria, os Filósofos Clínicos entrariam na rixa de rebarba.
     
  7. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Não sei se são, pra mim a psicologia não esgota o existencialismo, há nele uma abertura para um olhar livre de metodologias científicas que impede a ciência psicológica de reduzí-lo. Creio sim em uma complementaridade entre a análise filosófica, ou pelo menos fenomenológica, e as ciências humanas de forma geral.
     
  8. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Tudo que não é físico é psicológico, Paggy; o que não é corpo é alma, mesmo que a Psicologia ('logo' [lógos] da 'psico' [psykhé]) não alcance. O fato de algo ser psicológico não o coloca, necessariamente, à altura do método psicológico. Tá tendo uma confusãozinha de conceitos aí.
     
  9. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Ou eu sou um idealista babaca, não? :lol: Não sei, não penso assim, que tudo que não é físico é psicológico, creio que a verdade se situa em uma espécie de meio-termo, uma comunicação entre o conteúdo físico das coisas, seu signo e ideia e como tais ideias e conceitos se apresentam na mente e são compreendidos por ela.

    Ou dito melhor pela wiki:

     

Compartilhar