1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Feliz natal: feliz festa pagã! (Sobre Noel e Santa Claus)

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Vela- o Rousoku, 25 Dez 2005.

  1. Vela- o Rousoku

    Vela- o Rousoku Sirius Black

    Só uma curiosidade que gostaria de compartilhar sobre o que achamos ser cristão...

    Estamos todos em clima de festa, comemorando uma festividade totalmente pagã: o nascimento do deus Noel, filho de si mesmo.

    Todo o norte da europa tem origem celta, ariana. Existem muitos povos e ramificações, mas todos possuem características em comum, principalmente na religião. Todos cultuam uma trindade (olha só, que familiar...) na forma de um Ser Supremo, todo-poderoso, sem forma nem sexo, apenas um grande Espírito Sagrado pairando no universo, e que é dividido em duas outras pessoas, geralmente um pai e uma mãe.

    Durante o ano, esse pai, chamado de deus Pai, ou apenas Deus, e essa mãe, chamada de deusa Mãe, ou apenas Deusa, se apaixonam, se casam, o Pai fecunda a Mãe (como fez antes para criar o mundo), adoece e morre. A Mãe, grávida, dá à luz um filho varão, que é o deus Pai retornando na forma de uma criança. Este acontecimento mitológico e metafórico é comemorado na forma de uma grande festividade, a comemoração do nascimento do Deus menino. Em algumas regiões, como o lado ocidental da Europa, esse Deus era chamado Cernunnos, ou Dé-páter (e a mãe, Dana ou Dé-méter). Mas em algumas regiões a nordeste do Mediterrâneo, o grande Deus Pai era chamado Noel.

    A cultura brasileira é uma mistura de indígena, africana e européia. Do lado europeu, nossos antepassados nos trouxeram a herança da crença em um deus pai, que alguns chamavam "Deus" ou "Senhor", e outros chamavam "Noel". E como o povo simples sempre gostou mais das festanças pagãs do que das imposições temerosas da igreja, tanto no Brasil como em outros países de colônia européia a festa de fim de dezembro foi ficando mais popular. O nascimento do Deus, em menino.

    A Igreja Católica, vendo isso, não o admitiu. E entre os séculos XV e XVI, utilizou uma técnica para evitar o ressurgimento da "outra religião": convenceu o povo de que aquela festa era cristã, afinal o povo estava mais interessado na festa do que no nome. Assim, a Igreja começou a dizer que Jesus, que antes era o mais alto santo, era, na verdade, o próprio Deus, para assim poder dizer que "Deus menino" se referia a Jesus. Então, moveu-se a data de nascimento de Jesus de um incógnito estipulado entre março e junho, para o fim de dezembro, coincidindo com a festa do povo; e Jesus passou a ocupar o lugar da Mãe na trindade: o Filho, o que muito agradou a sociedade patriarcal da época, que não admitiria uma mulher acima deles.

    Mas... e o tal do "Pai Noel" ? Por sorte, quando a Igreja estava tomando esta dianteira, havia na Europa a fama de um sujeito chamado Nicolau, que era cristão e nas festividades de fim de ano saía pelas ruas distribuindo doces para a garotada. A Igreja prontamente o transformou em santo - o famoso São Nicolau - e disse que era ele o tal "pai Noel" - para quem as crianças pediam coisas, além de Deus.

    Assim, não pense que falar de "papai Noel" é coisa de criança, nem que é contra a religião. É apenas Deus, chamado em outra língua.
    ___

    Santa Claus é um caso à parte. A idéia que temos ddo bom velhinho na verdade pertence à ele, e não ao pai Noel.

    Era uma vez um holandês chamado Sandro. Na verdade, em holandês seria Sander. Sander Claus. Tinha algumas mulheres como vizinhas da casa ao lado. Mas elas eram muito pobres, e Sander tinha sempre pena delas. Num natal, surgiu a oportunidade de fazer alguma coisa por elas: dar dinheiro como presente "de vizinho". Sander preparou uma bolsa com moedas de ouro, mas na hora... não teve coragem de ir entregar. Rapaz tímido, ele era.

    O que fazer então? Ora, Sander teve uma idéia. Subiu no telhado da casa delas com a bolsa nas costas, foi até a chaminé, e *pluft*. Pronto, elas encontrarão uma surpresa bem agradável. Ingênuo Sander, achou que ninguém tinha visto...
     
  2. .* Lady Arien *.

    .* Lady Arien *. Usuário

    Interessante o texto.

    Mas é mto estranho pensar em noel como uma espécie de Deus.
    Pra mim ele sempre vai ser um velhinho bonzinho que levava brinquedos para as crianças no natal há mto tempo,e ficou famoso. E virou uma lenda. E continua presente no natal até hoje.
    Particularmente acho mto bacana essa coisa de papai noel para as crianças,pelo menos eu adorava,e acreditar que ele existia e trazia os meus presentes durante a noite era algo de uma inocência tão grande,mas tbm parecia tão mágico,que não vejo por que não manter essa tradição ainda por mto tempo =]
     
  3. Slicer

    Slicer Velho de Araque

    É possível que as suas informações tenham bases fortes, mas até onde eu saiba o 25 de dezembro foi escolhido por ser o dia em que os romanos cultuavam o deus Mitra, popular principalmente entre os soldados na época em que Constantino adotou o cristianismo como religião oficial de Roma, devido a sua posição como combatente do bem contra o mal.
    É dito até por muitos que até o momento Jesus era considerado um homem comum, mas os romanos não aceitariam um homem comum como alguém digno de reverência tantos anos após sua morte e, assim como fizeram com Augusto, o ascenderam ao status de Deus (como não dava para ser mais um, ficou como o único). Muito da Bíblia teria sido omitida também para dar a Jesus uma semelhança de deus romano padrão, como seu casamento com Maria Madalena. É dito também que a representação de Mitra era muito parecida em traços faciais com a de Jesus que temos hoje em dia. (hebreu loiro com olhos azuis não dá pra querer...)

    Só gostaria de deixar três coisas claras antes de finalizar: 1) Eu não leio Dan Brown; 2) Estou apenas expondo um contra-ponto ao post do Vela; e 3) Deus ou não-Deus, não preciso que Jesus tenha um título divino pra saber que ele foi um cara do caralho, que nos deixou muita coisa boa.


    Abraços!
     
  4. Coiote

    Coiote Fallin´

    Q texto bem escrito,cara!Parabéns!

    Bem,já dizia Hobsbawm q as tradições humanas são meramente invenções artificiais....
     
  5. Dwain

    Dwain Banned

    Muito bom o texto:palmas:
     
  6. Fafa

    Fafa Visitante

    A data do Natal foi escolhida pela Igreja para substituir a Saturnália, festividade pagã bem mais relevante do que a adoração ao deus Mitra, dada a sua influência na península itálica.
     
  7. Bruce

    Bruce eu

    Vc esqueceu que além de pagã é comercial...

    Eu gostei do texto, depois eu devo usar pra fazer um negócio... Inclusive vou colocar meu nome nele e dizer que é de minha autoria.:D
     
  8. Goba

    Goba luszt

    Taí... três versões pra data de comemoração.

    Os que apresentaram as versões sabem dizer as fontes das informações, ou pelo menos dizer se são só hipóteses o que eles apresentaram ou conclusões exatas de pesquisas vastas?
     
  9. Fafa

    Fafa Visitante

    Ora essa, é só pesquisar.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  10. Goba

    Goba luszt

    Legal, Fallen Peacecraft. :)
    Aliás, o Natal ficou bem mais legal depois das leituras.

    E eu percebi outras incorreções além do motivo da data no texto do Vela. Mas ele pode muito bem citar uma fonte pro texto dele pra que possa ser feita uma comparação. Seria interessante. :)
     
  11. Beriadar

    Beriadar And I will see it all before

    Exatamente!

    Parece que os romanos aproveitaram a festividade (data / época) para comemorar o nascimento da sua "nova" divindade. Mas Cristo não necessariamente nasceu nesta época do ano.
     

Compartilhar