1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Fanta foi criada na Alemanha Nazista

Tópico em 'Planeta Bizarro? Estranhices? Bizonhices?' iniciado por Fúria da cidade, 12 Abr 2018.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Nazistas não estavam envolvidos na criação, mas apreciaram o produto Foto:Shutterstock
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Em 1930, a Coca-Cola era a bebida não alcoólica mais popular da Alemanha. Nos primeiros anos do regime nazista, foram construída scerca de 50 fábricas do refrigerante. O país vendia cerca de 5 milhões de caixas por ano.

    Quando a Segunda Guerra Mundial eclodiu em 1939, acabou a festa. Com a guerra no Atlântico, e o o xarope usado na produção da Coca-Cola, importado dos EUA, se tornou uma raridade. Com a entrada dos EUA na guerra em 1941, nada mais de Coca: os laços comerciais entre os dois países foram rompidos.

    Incapazes de produzir a bebida, os alemães precisavam de algo que pudesse refrescar suas gargantas sedentas.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    de bebida da filial alemã, precisava encontrar uma solução . Keith utilizou os ingredientes existentes na Alemanha para criar uma alternativa. Misturou soro de leite e fibras de maçã — dois "restos dos restos" da indústria alimentícia, segundo ele mesmo lembrou. Juntou açúcar, água carbonada e só faltava o nome.

    Foi uma escolha rápida. A reunião para decidirem como chamariam o produto começou por Keith falando a todos usarem de sua imaginação (fantasie em alemão). E ouviu, gritado, do vendedor Joe Knipp: "Fanta!".
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Propaganda antiga do refrigerante Reprodução
    A bebida virou uma febre no país – chegando a ser utilizada inclusive em receitas de doces e bolos.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Em 2015, para comemorar os 75 anos da bebida,a companhia lançou uma edição especial com o design inicial da Fanta Reprodução
    Keith apresentou a bebida para a filial da Coca-Cola na Holanda ocupada, que assim como a da Alemanha, estava impossibilitada de prosseguir com a produção. Diferentemente do refrigerante alemão baseado em maçã, a Fanta holandesa possuía o
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , uma fruto europeia, como a base do sabor. TAmbém estourou.

    Após o fim da guerra, a produção da Coca-Cola foi restabelecida na Alemanha e na Holanda. A Fanta foi aposentada, mas não esquecida. Por vontade do público, a bebida só voltaria às prateleiras em 1955, quando a Coca-Cola quis competir com o lançamento de vários refrigerantes sabor fruta da Pepsi. Só então, numa fábrica italiana, surgiu a Fanta sabor laranja, a que hoje é sinônimo de simplesmente Fanta.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    As garrafas atuais Reprodução
    Hoje, a Fanta é vendida em mais de 100 países com mais de 90 sabores.

    -----------------------------------
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Eu lembro que na infãncia era o refri com as propagandas psicodélicas. No quesito preferência, dos de sabor laranja, era o mais aceitável em relação ao imbatível "suco de laranja natural feito na hora"(eu acho ela mais suave que a mega acidez dos sucos de laranja de caixinha que apareciam nos seriados americanos de café da manhã). Mas na corrida dos refris vinha depois da Coca, Pepsi, Guaraná e Soda Limonada que eu achava mais gostosos para combinar com sorvete (Vaca preta/Branca/Amarela). Entre os de laranjas eu curtia ela mais que Mirinda e Sukita, por exemplo. Todavia os sabores exóticos de frutas que apareceram depois dos anos 90s eram esquisitos e enjoativos (Eu achava alguns guaranás da época enjoativos também tipo Tuchaua e Kuat). Dos sabores alternativos da franquia o único que eu apreciava e sentia um equilíbrio na receita era a Fanta Uva mesmo.

    Com relação a guerra é meio que impossível não ter usado alguma coisa ou se beneficiado com as tecnologias aplicadas nas grandes guerras, de veículos japoneses a computadores IBM.
     
  3. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Das fotos apresentadas, eu gostava da garrafa de vidro apresentada na terceira foto.
    Eu particularmente sempre achei a Fanta um refri enjoativo. Prefiro mais guaraná
     
  4. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Tenho a impressão de que as crianças com quem viajei de carro vomitavam mais quando lanchavam alguma coisa e bebiam Fanta. Em mim a digestão dela sempre foi mais pesada. Então eu sempre sugeria a gurizada que quando fosse viajar preferisse algo mais leve e por incrível que pareça Coca Cola, Sprite e Guaraná são um pouco mais leves que a Fanta. Aqueles pigmentos principalmente (o da Uva é azul, hehehe). Já o suco de caixinha sempre compensava a falta de gás com o outro método de conserva, acidez extra.

    Dos guaranás eu bebia muito o Taí, que não era tão bom quanto o Antarctica, mas era gostoso. O Brahma era um pouco mais amargo que estes dois mas se fosse gelado era bom também. Em São Paulo eu bebia muito os guaranás tubaínas nos churrascos, o Cotuba e o Vencetex que tinha sabor de poeira. Outros mais desconhecidos pelo Brasil eram o Garoto, River, Goianinho, etc... Na mesma pegada o Baré também era bom no sorvete.

    O Guaraná Antarctica em particular é bom porque dá para fazer coquetéis de frutas não alcoólicos nas festas de fim de ano.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  5. Tijolin

    Tijolin Usuário

    Hoje em dia, não sou mais tanto de refrigerante quanto o era na adolescência. Mas gostava muito dos de limão (Sprite, 7Up, Soda Limonada, etc), motivo pelo qual a minha Fanta preferida (do Brasil) era a Citrus. Que nem tinha limão, mas com uma acidez que me lembrava muito a minha fruta preferida. Sabores que nem tenho ideia de como seriam, mas que me dão muita curiosidade, são as com leite. Não consigo imaginar o leite, ou algum gosto parecido, misturado num refrigerante. Com banana então?! Cada coisa que inventam... um dia eu tomo. Hehehe.
     
  6. Haleth

    Haleth There's no such a thing as a mere mortal

    Haha, não teve como não lembrar de O homem de 100 anos que pulou a janela e desapareceu :mrgreen:
     
  7. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    É engraçado que o Brasil, um país tão rico em opções frutas é o que deveria ser um dos, senão aquele com mais variedades de Fanta, mas comercialmente todo o foco de marketing prioritariamente é em cima das opções laranja e uva.

    Problema detentora da marca, o que importa é que o suco natural é bem melhor :lol:
     
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar