1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Faculdades convencionais e faculdades malucas

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Haran Alkarin, 13 Mar 2007.

  1. Haran Alkarin

    Haran Alkarin Usuário

    Olá pessoal,

    Acho que todo mundo já se pegou querendo fazer uma faculdade peculiar: seja genética, artes plásticas, física quântica, ou até mesmo querendo ser astronauta. :dente: É claro que tais profissões são dificílimas de se levar adiante e etc., ainda mais no Brasil.

    Eu mesmo estava querendo fazer faculdade de Física, mas vejo que é uma profissão que terei dificuldades para realizá-la e tal. Tanto é que, já que a matéria não tem um mercado tão grande, eu precisaria fazer uma faculdade boa (Usp, Unicamp, etc), e para tal seria difícil passar e, uma vez estando lá, de se sustentar. Afinal, emprego para aluno de Física é dificílimo, mesmo para quem acabou a faculdade: bom mesmo são só os PhD, prêmios Nobel e etc. E ser sustentado pelos pais até os 30 anos é dose.

    E então, quem já desejou fazer faculdades do tipo? Levaram o sonho à frente ou preferiram o convencional? Eu mesmo estava pensando em deixar esse sonho de lado e ir para o campo de programação, pois sei que tenho condições de ganhar um bom dinheiro e me aprofundar nessa profissão. Mas é algo que não gosto muito (também não chego a odiar e etc.) e preciso de uma boa dose de coragem para ler um livro a respeito. Já livros sobre Física eu leio com tranqüilidade, todo o dia.

    Sei que tem um monte de gente aqui que fazem faculdades do tipo e tal; e outros que por forças maiores ou simples gosto preferiram partir para ramos mais convencionais. Enfim, opinem.
     
  2. Elminster

    Elminster Usuário

    Re: Faculdades convencionais e faculdades malucas.

    Eu gostaria de fazer Arqueologia, mas parece uma minúscula luz no fim do túnel :ahn?:
     
  3. Vanagristiel

    Vanagristiel With God I'm Alive!

    Não digo faculdade... mas já tive vontade de largar tudo e tentar viver de música!! Mas simplesmente não rola!! É uma vida muito ralada... e a retribuição monetária não é exatamente satisfatória!!

    Então fiquei com o Direito... e por muito tempo ele foi só uma faculdade pra eu ter um diploma!! Continuava tocando e tudo mais... mas não dá pra ficar brincando a vida toda... então larguei as baquetas e peguei os livros de vez... acho que eu não saberia nem como sentar perante uma bateria... imagina tocar a coitada!! :roll:
     
  4. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    Quando eu li o título pensei que iam falar de 'engenharia de alimentos' ou 'engenharia de entretenimento', ou ainda 'biologia ambiental' que são cusos com nomes estranhos que eu vi por aí... :lol:

    pessoalmente, minha inclinação sempre foi para a engenharia. meu pai quando eu fiz vestibular me aconselhou a fazer física, pois ele achava que eu tinha jeito para a teoria; mas foi exatamente por isso que eu preferi fazer engenharia, porque a maioria dos engenheiros são muito práticos, e eu queria aliar as duas coisas...

    quanto a fazer um curso em que não há 'luz no fim do túnel', é claro que não é simples e a gente tem que fazer planos e levar a questão financeira em conta; mas acho que para qualquer área, tem saída. nem que seja fazer uma faculdade e depois seguir uma linha profissional ligeiramente diferente. afinal, quantas pessoas por aí fazem faculdade em uma área e acabam trabalhando em coisas completamente diferentes? pelo menos você pode ter a satisfação pessoal de ter estudado algo que lhe dá prazer.
     
  5. Anigel

    Anigel Eu atropelo duendes!

    Eu também! :lol:

    A minha profissão é a única com uma taxa de 0% de desemprego. Nunca falta trabalho para médico, nem que seja para ganhar pouco. De certa maneira isso me dá bastante liberdade para fazer o que eu quero e aprecio bastante essa liberdade. Lembro que logo que eu me formei fui trabalhar em uma clínica que depois descobri que era a maior "trambiclínica" (até hoje morro de vergonha de ter trabalhado lá e nem coloco no meu currículo os cinco dias que fui atender lá). Pois é, quando descobri que aquela não era uma clínica séria (o dono ficava falando que eu não precisava examinar os pacientes, etc) eu resolvi que iria ser demitida e consegui em apenas 8 horas o meu intento. Isso sem fazer nada de errado. Eu pude fazer isso porque tinha certeza que era só passar a mão no telefone e ligar para uns dois ou três amigos (como eu fiz) que iria conseguir outro lugar para trabalhar.

    Agora, eu nem imagino como é engolir sapos e ficar aturando chefe chato ou outras coisas com medo de de repente ficar desempregada. Não sei se iria me adaptar.

    A carreira que você escolhe hoje irá influir no seu estilo de vida (e no da sua família) para sempre. Então eu acho que o mercado de trabalho para a profissão deve influenciar e muito na escolha da carreira.
     
  6. Maglor

    Maglor Lacho calad! Drego morn!

    Um amigo meu está terminando engenharia de alimentos e o mercado é bem razoável. Não é menor do que para alguns outros ramos mais populares de engenharia. Tipo de curso, acho eu, que apareceu justamente pela demanda. esse amigo está na Nestlé e provavelmente vai ser admitido quando se formar.

    Eu hoje faço um dos cursos mais tradicionais de todos, talvez só menos tradicional do que Medicina, Direito. Mas saí de um curso, Psicologia, e um dos motivos foi justamente o que Haran disse no primeiro post. Por mais que se goste de algo, é bem desconfortável você saber que suas perspectivas não são as maiores. É verdade que fazer algo que detesta é horrível, mas viver sem grana também deve ser complicado. Eu seria infeliz se fizesse engenharia química pra ganhar dinheiro, mas se fizesse algo que amasse e ganhasse salário mínimo, talvez fosse ainda menos feliz.

    Tive a pequena sorte de gostar do Direito, pelo menos.
     
  7. Fosco Cachopardo

    Fosco Cachopardo Ghost of Perdition

    Muitas vezes é realmente difícil seguir o que você gosta por causa dos problemas em fazer uma carreira no meio. Eu gostaria muito de ter feito faculdade de cinema, porém é um meio bem complicado, ainda mais no Brasil. Então escolhi algo que pudesse estar de certa forma relacionada mas que tivesse um retorno financeiro maior. Por isso fiz Publicidade e Propaganda, que felizmente eu também gosto bastante. Tudo bem que publicidade também é uma carreira difícil de se ser bem sucedido, mas é um campo bem mais amplo e com mais demanda do que cinema.
     
  8. natalia

    natalia Usuário

    Só prá botar lenha na fogueira :) A frustração pessoal que você sente ao ter que praticar pela vida toda algo que não gosta realmente também influencia na sua vida e na da sua família...

    Meu exemplo pessoal é o seguinte: na hora de escolher a faculdade, fui nessa de mercado, que estava em expansão, das empresas de telecomunicações. Acabei fazendo Eng. Elétrica. Durante o curso adorei, porque sou muito curiosa, fã mesmo de aprender as coisas e acho até hoje que as coisas que aprendi são muito legais.

    No final da faculdade, vi que não me identificava com os trabalhos disponíveis (ou seja, aprendi um monte de coisas legais mas na hora de usar, vi que os trabalhos que havia não me satisfaziam). Mas, com o diploma na mão, a gente vai aproveitando as oportunidades que o mercado tem, indo de um lugar para o outro e hoje trabalho com software.

    Considero que estou meio refém da minha profissão. Com a minha experiência me tornei bastante competente no que faço, acabei me especializando. Só que vejo cada vez menos sentido naquilo que o mercado espera que profissionais como eu executem nas empresas. Por outro lado, já estou numa idade em que não é trivial se reposicionar no mercado.

    E, no fim, gasto muita energia para que esse tipo de frustração não "azede" minha vida ou das pessoas que estão em volta de mim, das quais eu gosto muito.
     
  9. Ecthelion

    Ecthelion Mad

    Para isso vc precisa fazer OU Biologia OU História. Arqueologia entra só como especialização/mestrado/doutorado.

    Eu quando pequeno queria ser "cientista" da FIOCRUZ. Posso dizer que já realizei esse sonho ao passar 4 anos do meu segundo grau técnico lá. Gostei. Sugiro que cada um vá atrás de seus sonhos, mesmo que seja apenas por um momento. Vale a pena.
     
  10. Shazan

    Shazan siscapuliu

    Faz curso superior para ser DJ. EXISTE.

    ---

    Preparamos você para:

    - Realizar mixagem de música ao vivo ou em estúdio utilizando CD, vinil e listas de temas em computadores;
    - Conhecer os gêneros musicais;
    - Utilizar teclados eletrônicos como controladores;
    - Utilizar diferentes programas e cabines para produzir música eletrônica;
    - Produzir música eletrônica ao vivo, em PC, CD, Mp3 e outros formatos multimídia;
    - Pós-produzir temas realizados e sincronizá-los em tempo, manejando equipamento específico de controle;
    - Aplicar diferentes técnicas de composição;
    - Reconhecer auditivamente processamentos digitais em sinais de áudio;
    - Traduzir textos técnicos do inglês;
    - Interagir com músicos ao vivo;
    - Conhecer a legislação de aplicação e os circuitos de comercialização de música eletrônica;
    - Conhecer os perfis sociais e relacioná-los com o consumo de música;
    - Aplicar o conceito de indústria cultural à atividade de música eletrônica.

    Disciplinas-Práticas e teóricas:

    Teoria Básica do Som ; MIDI; Sequenciadores (Logic e Cubase); Teoria Musical Básica; Estilos de Programação; Áudio Digital; EQ, Dinâmica e Efeitos; Meios Virtuais (Reason e Recycle); Sintetizadores e Samplers; Técnicas de Produção e Mixagem; Pro Tools; Manutenção e Configuração do Estúdio; Mixagem I; Produção de Música Eletrônica I; Inglês técnico; Áudio para Multimídia; Teclados; Elementos de Digitalização de Áudio e Vídeo; Teclados; Apreciação Musical; Prática Profissionalizante em DJ; Estilos de Produção; Psicologia Social; Trabalho Integrador de Música Eletrônica; Comercialização e Legislação; Ética e Deontologia Profissional; Perspectivas culturais e Perspectivas da Indústria.
     
  11. Ishtar Lillith

    Ishtar Lillith Usuário

    Eu. Fisica quântica e astronomia :cool:.
    Sei q desanima isso aqui no Brasil, mas ja pensei em seguir qualquer outra coisa q desse melhor retorno financeiro, e eu não seria realmente feliz com isso. Prefiro morrer feliz e não tão rica, mas tendo a certeza de que fiz o que desejava, do que ter uma vida "boa" e passar o resto da vida frustrada.

    É isso...
    Eu tb ja quis ser arqueologa, e vou correr atrás do meu sonho. Se não der certo, pelo menos tive a certeza de que fui até lá.
    E nunca é tarde demais pra mudar né? ^^
     
  12. Fafa

    Fafa Visitante

    Acho que é OU História OU Ciências Sociais. Mais pra Ciências Sociais, já que a arqueologia é considerada por muitos como nada mais que um ramo da Antropologia.


    Eu tive muita dúvida quanto à escolha de um curso. Pendia mais para História ou Filosofia, mas não excluia qualquer outra opção (exceto, talvez, as engenharias). Tendo interesse por outras áreas, inclusive Física Teórica, ficava difícil decidir.
    Mas somando-se a ausência de qualquer curso de Humanas tradicional nas redondezas (o que me faria deslocar até BH), as pressões externas, e as oportunidades de trabalho, acabei prestando para Medicina.... E passei de primeira.:joy:
     
  13. Ecthelion

    Ecthelion Mad

    Então são 3 as opções, pq eu tenho certeza de que fazendo Biologia é possível vc se especializar em Arqueologia.
     
  14. Pandatur

    Pandatur Usuário

    Sim, você faz Biologia, especializa em Paleontologia, mais especificamente na parte arqueológica.
     
  15. Elminster

    Elminster Usuário

    Pelo que li algun tempo atrás, Arqueologia é uma pós-graduação de um destes três cursos. Mas tenho uma dúvida muito tola: Se eu fasso Ciências Sociais em uma faculdade, posso fazer pós-graduação em Arqueologia em outra facul? se tem como, precisa fazer algum teste?

    Desculpe pela pergunta pessoal, mas estou entrando no mundo das universidades agora e nunca me lembro do que me falam sobre estas coisas.
     
  16. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    sim, vc pode cursar pos graduação em outra universidade, contato que preencha os pré-requisitos (exemplo da minha área: se vc se formou em medicina, não adianta querer fazer pós em geotecnia, que só é aberta para engenheiros civis, mecânicos e de minas ou geólogos). dependendo do curso e da universidade, o processo seletivo pode incluir prova, entrevista, "redação" ou apenas análise de currículos...

    quanto à arqueologia, existe além de todas essas opções que vcs falaram o curso de museologia

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    eu não sei se existe em algum outro lugar, mas a unirio é uma faculdade pública federal e bastante conceituada.
     
  17. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    fisico tem de monte... procure outra carreira.
     
  18. Pandatur

    Pandatur Usuário

  19. Estranho

    Estranho Dancer

    Carreira estranha, a que eu pretendo seguir já é (Engenharia Física)...

    Mas já pensei em fazer Cinema, Filosofia, e muitas outras coisas...
     
  20. ?

    ? Banned

    A UFS (Federal de Sergipe) abriu curso de Arqueologia esse ano, junto com mais uma penca de cursos "estranhos" como Engenharia Pesqueira e Museologia (olha aí, mais um). Foi claramente uma estratégia (condenável) pra receber mais verba do governo, mas que existe, existe.

    Tem que ter cojones pra entrar prum curso desses na 1ª turma.
     

Compartilhar