1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Extinção

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Jacques Austerlitz, 26 Ago 2010.

  1. Jacques Austerlitz

    Jacques Austerlitz (Rodrigo)

    [align=justify]Extinção






    Eu disse: Melhor morrer do que viver aqui; vou sair desta casa para nunca mais voltar. Ele disse: Não.

    Eu disse: Não há o que você possa fazer, não há nada que possa me dizer. A decisão é minha e eu digo: vou embora. A minha recusa é mais forte que a tua, a minha vontade é a minha liberdade. Eu tenho consciência do que falo, não me repreenda por eu ser mais jovem, tomei ciência do mundo, travei conhecimento com a vida, sei o que sou e eu não sou você. O meu nariz adunco não é o teu, a minha boca não é a tua, são os meus ouvidos e não a minha consciência que ouvem a tua voz, e as tuas palavras não me dizem nada, meu corpo não vive mais de amarras. Tua moral não regula a minha escolha; esta casa não é uma instituição! Minha recusa é negação na integridade, não está aberta a negociação. O despudor das tuas atitudes eu já não suporto mais, não há mais lugar para me resignar. É a diáspora da vida em sociedade. Eu me assumo como sou, um homem só e não parte de um grupo. A família é o esteio da infância, mas eu agora ando com minhas pernas e vou seguir o meu caminho. E eu não sou ingrato, e eu não sou hipócrita. Te deixo só como somos todos sós, e te entrego a liberdade moral de ser-se quem se é. Não haverá mais por quem viver, não haverá mais quem agradar, seremos os dois senhores de nós mesmos. Eu me nego a viver em feudo, não sou escravo da razão. E se eu te digo em atropelo é porque diferente não sei ser, vivo de quietude ou de explosão. Os teus valores, não te disse?, não são os meus, não são os meus e portanto não são os da família. Você não resolve por mim, e eu sozinho, porque só sozinho, vou declarar revolução. Não sou mais eu o resignado, não sou mais eu o subjugado, que a tua vontade se dobre perante a minha, eu ainda aguardo a tua aceitação. A tua autoridade eu nego, eu renego a tua imagem, o teu rosto se esfacela perante a minha resolução! Eu disse: melhor morrer do que viver aqui; eu disse: vou sair desta casa para não voltar, e ele disse: Não.[/align]
     

Compartilhar