1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Explique uma música

Tópico em 'Música' iniciado por JLM, 17 Mai 2009.

  1. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    Bem, vou tentar começar uma brincadeira interessante neste tópico.

    Quem já não se maravilhou com uma música e depois de alguma pesquisa descobriu que ela era muito mais profunda do que pensava? Que contava uma história sobre a vida do cantor, ou do compositor, ou de outra pessoa ou fato ou época que você desconhecia?

    Se você já se deparou com uma música assim, compartilhe aqui aquele som mais "profundo" que tocou o seu coração, a sua alma, o seu intelecto. Revele e explique aos outros mortais a maravilha que estão perdendo em "só" ouvir aquele som sem entendê-lo.

    **************

    Começo com uma música que aparece no último episódio da 1ª temporada de "Lie to me", que gostei e fui atrás dela na internet.

    NOME: Who by Fire
    COMPOSITOR: Leonard Cohen
    INTÉRPRETE: Avalanche Quartet
    SOM/CLIP:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    LETRA:
    Who by fire

    And who by fire, who by water, who in the sunshine,
    who in the night time, who by high ordeal, who by common trial,
    who in your merry merry month of may, who by very slow decay
    and who shall I say is calling?

    And who in her lonely slip, who by barbiturate,
    who in these realms of love, who by something blunt,
    and who by avalanche, who by powder,
    who for his greed, who for his hunger,
    and who shall I say is calling?

    And who by brave assent, who by accident,
    who in solitude, who in this mirror,
    who by his lady's command, who by his own hand,
    who in mortal chains, who in power,
    and who shall I say is calling?

    TRADUÇÃO:
    Quem pelo fogo

    E quem pelo fogo, quem pela água,
    quem à luz do sol, quem à noite,
    quem por alta provação, quem por sofrimento comum,
    quem em seu feliz feliz mês de maio,
    quem por decadência muito lenta,
    e quem eu devo dizer que está chamando?

    E quem no solitário deslize dela, quem por barbitúricos,
    quem naqueles campos do amor, quem por algo direto,
    e quem pela avalanche, quem pela pólvora,
    quem por sua ambição, quem por sua fome,
    e quem eu devo dizer que está chamando?

    E quem vem por bravo consentimento, quem vem por acidente,
    quem em solidão, quem neste espelho,
    quem por ordem da mulher, quem por sua própria conta,
    quem em correntes mortais, quem no poder,
    e quem eu devo dizer que está chamando?

    HISTÓRIA:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    buscou inspiração para esta música em uma das orações do feriado judaico
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    . A prece "Unetanê Tokêf" é atribuída ao legendário
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , um judeu do século XXIII que teve as pernas amputadas por um monarca cristão amigo seu, somente por não querer converter-se.

    A letra da música levanta a reflexão sobre a que, ou a quem, nos dedicamos. Seja pela fé, ou por amor, ou por ideologias, ou racionalismos, será há algo que justifique fazermos o mal a outras pessoas? quem eu devo dizer que está chamando?
     
    Última edição por um moderador: 5 Out 2013
  2. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    Tópico bacana!

    A minha canção é: "Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos" do Roberto Carlos.

    Sempre achei que era uma música romântica, feita pra uma mulher, mas na verdade ela foi feita pro Caetano Veloso quando este estava no exílio, na Inglaterra.
    Roberto Carlos foi visita-lo em Londres (Caetano havia sido preso e torturado aqui no Brasil) e mostrou-lhe uma canção que havia composto a pouco tempo: "As Curvas da Estrada de Santos" e Caetano ficou muito emocionado e começou a chorar. Na volta ao Brasil, Roberto compôs essa canção em homenagem ao amigo.
    Sabendo dessa história, comecei a achar essa música muito mais linda. :sim:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  3. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    Hotel Califórnia é um hospício!

    Hotel Califórnia é um hospício!

    Esta famosa música do grupo Eagles faz referência aos rumores sobre a estada num hospital psiquiátrico. Embora com muitas teorias em relação à letra da música, "Hotel Califórnia" foi a denominação dada ao "Camarillo State Hospital", localizado no município de Ventura, entre Los Angeles e Santa Bárbara, que esteve em operação de 1936 a 1997. Durante o seu apogeu entre as décadas de 1950 e 1960, o Hospital estava na vanguarda do tratamento de pessoas com problemas mentais. Exemplo disto foram os procedimentos médicos desenvolvidos para a esquizofrenia. Muitos destes programas iniciados no "Camarillo" ajudaram pacientes, anteriormente relegados a uma vida de confinamento em uma instituição, serem capazes de sair do hospital e se tornarem (pelo menos quase) independentes.

    O Hospital continuou a ser um líder na pesquisa de medicamentos e terapias nos anos subseqüentes. Fora um dos primeiros a lidar com autismo. O hospital encerrou suas atividades em final de Junho de 1997 com os pacientes, pesquisas e instalações movidas para outros locais. Devido à proximidade com a mídia de Los Angeles, foi referido em filmes, televisão e música. Alguns famosos que sofreram de doenças mentais, tuberculose ou desintoxicação por drogas ou álcool, estiveram lá para se recuperar. Charlie Parker Jr. escreveu, enquanto esteve se desintoxicando do vício de heroína, "Relaxing in Camarillo".

    "Camarillo" foi destinado a se transformar em uma prisão, contudo, por interesse da comunidade, hoje é a Universidade do Estado da Califórnia. A maioria dos edifícios do Complexo foram preservados e restaurados, inclusive a torre com sino das missões, original de 1930, que é referenciado nesta música, entre outros.

    Fonte e clip:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Letra:
    Hotel Califórnia

    On a dark desert highway, cool wind in my hair
    Warm smell of colitas, rising up through the air
    Up ahead in the distance, I saw a shimmering light
    My head grew heavy and my sight grew dim
    I had to stop for the night
    There she stood in the doorway;
    I heard the mission bell
    And I was thinking to myself,
    'This could be Heaven or this could be Hell'
    Then she lit up a candle and she showed me the way
    There were voices down the corridor,
    I thought I heard them say...

    Welcome to the Hotel California
    Such a lovely place
    Such a lovely face
    Plenty of room at the Hotel California
    Any time of year, you can find us here

    Her mind is tiffany-twisted, she got the mercedes-benz
    She got a lot of pretty, pretty boys, that she calls friends
    How they dance in the courtyard, sweet summer sweat.
    Some dance to remember, some dance to forget

    So I called up the captain,
    'Please bring me my wine'
    He said, 'We haven't had that spirit here since 1969'
    And still those voices are calling from far away,
    Wake you up in the middle of the night
    Just to hear them say...

    Welcome to the Hotel California
    Such a lovely place
    Such a lovely face
    They livin' it up at the Hotel California
    What a nice surprise, bring your alibis

    Mirrors on the ceiling,
    The pink champagne on ice
    And she said 'We are all just prisoners here, of our own device'
    And in the master's chambers,
    They gathered for the feast
    The stab it with their steely knives,
    But they just can't kill the beast

    Last thing I remember, I was
    Running for the door
    I had to find the passage back
    To the place I was before
    'Relax,' said the night man,
    We are programmed to receive.
    You can check out any time you like,
    But you can never leave!
     
    Última edição por um moderador: 5 Out 2013
  4. imported_Elektra

    imported_Elektra Usuário

    Vendo esse tópico lembrei de uma do Alice in Chains
    Se chama "Nutshell" e o vocal Layne Staley escreveu a letra baseado em sua própria vida e sua luta, ou podemos chamar de entrega, às drogas... acho muito foda esse som... apesar de ser bem deprê.

    We chase misprinted lies
    We face the path of time
    And yet I fight
    And yet I fight
    This battle all alone
    No one to cry to
    No place to call home



    My gift of self is raped
    My privacy is raked
    And yet I find
    And yet I find
    Repeating in my head
    If I can't be my own
    I'd feel better dead


    ps: agora postado no tópico correto... tinha escrito em um nada a ver com o assunto... espero que ninguém tenha visto hahuahauhah.
     
  5. Phantom Lord

    Phantom Lord London Calling

    [size=medium]Bob Dylan - Hurricane[/size]


    "Hurricane" é uma uma das canções mais polêmicas e longas de todo seu catálogo. A música conta a história de um boxeador negro, Rubin Carter, conhecido como "Hurricane" (Furacão) e que foi preso injustamente. A canção abria o novo disco do maior compositor do rock, Desire, e lhe rendeu um belo processo por parte de algumas pessoas citadas na letra. Ainda assim, Bob Dylan não parou e lutou pela causa de Rubin por muitos anos.

    Provavelmente você já deve ter ouvido falar da história de Rubin "Hurricane" Carter, um boxeador que foi preso, em 1966, injustamente acusado de um crime que não cometeu.

    Rubin ficou famoso ao ser brilhantemente interpretado por Denzel Washington no filme Hurricane (O Furacão, no Brasil) quando foi indicado ao Oscar de melhor ator, em 2000, além de vencer o Globo de Ouro no mesmo ano, na mesma categoria.
    O filme do diretor Norman Jewison fez um grande sucesso e contou um pouco do drama desse boxeador negro, que ficou preso até 1985, cumprindo 19 anos de uma sentença absurda, impedindo, entre outras coisas, de disputar o título mundial dos meio-pesados.

    Mas um dos primeiros e mais importantes ativistas pela causa de Rubin Carter era Bob Dylan. Aos 34 anos, atravessava um de seus melhores momentos.



    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


     
    Última edição por um moderador: 5 Out 2013
  6. Anica

    Anica Usuário

    Tópico legal =] Pena que agora eu só lembro de uma bem bobinha, mas vá lá:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    (Da
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ) Ana's Song é uma música da Banda australiana Silverchair que mostra o auge do sucesso da banda e do transtorno alimentar que passava seu autor,Daniel Johns, na época .Ana é o nome "carinhoso" adotado à Anorexia Nervosa pelos afetados da doença.

    Daniel começou a sofrer de anorexia logo depois do lançamento do álbum Freak Show, em 1997. Segundo ele, a causa da doença foi o sucesso repentino da banda, quando “tudo parecia fora de controle”. Quando questionado sobre os piores estágios da doença, ele declarou: “Eu não ia a restaurantes porque pensava que todos os cozinheiros queriam me envenenar. A comida era simplesmente o inimigo. Eu odiava olhar pra ela, sentir o cheiro. Se alguém falava sobre comida, eu tinha que sair de perto”.

    Foi no sofrimento com a doença que Johns compôs a música Ana’s Song - Ana é o apelido ‘carinhoso’ dado à doença pelas meninas anoréxicas. “A música não é sobre estar apaixonado pela doença, mas sobre esconder-se atrás dela”, explicou o cantor. Ele admitiu estar perto do suicídio diversas vezes em sua batalha com o distúrbio alimentar, nos últimos anos da adolescência. “Eu só fiquei realmente assustado na segunda ou terceira vez que o médico me disse que eu estava morrendo”.
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  7. Pips

    Pips Old School.

    Pennyroyal Tea por Nirvana

    I'm on my time with everyone
    I have very bad posture

    Sit and drink Pennyroyal Tea
    Distill the life that's inside of me
    Sit and drink Pennyroyal Tea
    I'm anemic royalty

    Give me a Leonard Cohen afterworld
    So I can sigh eternally

    I'm so tired I can't sleep
    I'm anemic royalty
    I'm a liar and a thief
    I'm anemic royalty

    I'm on warm milk and laxatives
    Cherry-flavored antacids

    Sit and drink Pennyroyal Tea
    Distill the life that's inside of me
    I'm anemic royalty
    I'm anemic royalty

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Pennyroyal é uma erva que, quando tomada, provoca o aborto. Algumas especulações dizem que a música era uma metáfona acerca da heroína que Cobain tomava para aliviar as suas dores de estômago, ocultando-a na letra com Pennyroyal ("Sit and drink pennyroyal tea, distill the life that's inside of me", que pode querer dizer "aborte toda a dor dentro de mim")
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  8. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    "O Mestre-sala dos Mares" de Aldir Blanc e João Bosco.
    Canção escrita na década de 1970 sobre o marinheiro João Cândido que comandou o que ficou conhecido como "Revolta da Chibata" e tinha como reivindicação o fim do castigo de chibatadas nos marinheiros, castigo que estava probido já onze anos antes, mas ainda era praticado pelos oficiais da marinha brasileira.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Originalmente o título da música era "O Almirante Negro", mas segundo Aldir Blanc, membros da censura não quiseram nem ler a letra da canção e já a proibiram, os autores então trocaram o título da música para "O Mestre-sala dos Mares".
    Segue parte da entrevista do Aldir Blanc para o site
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    :

    CM: Com o título alterado, a música foi liberada?

    Aldir: Com novo título a música voltou para a Divisão de Censura e
    foi barrada novamente. Assim eu e o João Bosco fomos chamados na
    Polícia Federal e foi uma situação bastante desagradável, pois um
    policial dava um jeito de abrir o paletó para que o coldre aparecesse
    bem próximo do nosso rosto. Mas voltando a música, tivemos uma
    idéia louca, dar um toque surreal no samba e trocamos algumas palavras
    como sangue e começamos a botar glória à farofa, às baleias, e assim a
    música foi liberada e a Elis Regina e o João Bosco gravaram.

    CM: A DCDP se incomodava com palavras como ‘sangue’?

    Aldir: Ás vezes era por uma coisa surrealista e a censura barrava. No
    caso de “O Mestre-Sala dos Mares”, com essa música tive uma
    experiência triste. Uma vez um policial me disse: “Vocês estão
    errando. Estão trocando coisas e não estão descobrindo que a causa
    sistemática da censura na música não é chibata, sangue. É que vocês
    estão fazendo apologia do negro, aí a gente tá cortando”. Eu lembro que
    saí daquele lugar em estado de choque. Nunca tinha visto uma
    manifestação oficial do Estado, racismo institucional e fiquei muito
    chocado.


    Segue a música na voz (maravilhosa) de Elis Regina:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  9. Fernando Giacon

    Fernando Giacon [[[ ÚLTIMO CAPÍTULO ]]]

    Essa que eu vou postar agora creio que todos nós conhecemos, e sabemos seu real significado. Se chama: "Para não dizer que falei das flores" de Geraldo Vandré.

    [size=medium]Para não dizer que não falei das flores[/size]

    Caminhando e cantando
    E seguindo a canção
    Somos todos iguais
    Braços dados ou não
    Nas escolas, nas ruas
    Campos, construções
    Caminhando e cantando
    E seguindo a canção...

    Vem, vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer...(2x)

    Pelos campos há fome
    Em grandes plantações
    Pelas ruas marchando
    Indecisos cordões
    Ainda fazem da flor
    Seu mais forte refrão
    E acreditam nas flores
    Vencendo o canhão...

    Vem, vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer...(2x)

    Há soldados armados
    Amados ou não
    Quase todos perdidos
    De armas na mão
    Nos quartéis lhes ensinam
    Uma antiga lição:
    De morrer pela pátria
    E viver sem razão...

    Vem, vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer...(2x)

    Nas escolas, nas ruas
    Campos, construções
    Somos todos soldados
    Armados ou não
    Caminhando e cantando
    E seguindo a canção
    Somos todos iguais
    Braços dados ou não...

    Os amores na mente
    As flores no chão
    A certeza na frente
    A história na mão
    Caminhando e cantando
    E seguindo a canção
    Aprendendo e ensinando
    Uma nova lição...

    Vem, vamos embora
    Que esperar não é saber
    Quem sabe faz a hora
    Não espera acontecer...(4x)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Ela possui a forma de um hino, com rimas fáceis, e era usada em manifestos no auge do Regime Militar no Brasil. Indicava a resistência de um povo que saia nas ruas para fazer panelaço e que dizia um "não" em alto e bom tom. Em 68 foi censurada pela parte que falava dos militares, foi aí que ela ganhou ainda mais força. Por isso, quando ouvirem essa música, não se esqueçam que ela foi um ícone para uma geração.
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  10. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    Panic - The Smiths


    Abril de 1986, Morrisey ouvia uma rádio na Inglaterra quando o locutor interrompeu a programação para falar sobre o acidente ocorrido em
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , onde houve um vazamento na usina nuclear que existia na cidade e que contaminou pessoas e animais e grande parte da Europa.
    A música (com o refrão: "enforquem o DJ") foi criada a partir da indignação de Morrissey com o locutor animadinho que, logo em seguida ao anúncio da tragédia, colocou a música "
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ", do "Wham!" pra tocar.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  11. Sery

    Sery Usuário

    Bem, uma música que muito me emociona é Bratja, da compositora Mishiru Oshima ... faz parte da trilha sonora de um anime linnnnnndo chamado Full Metal Alchemist *.* (que, como eu sempre digo, se vc odeia sua família ... fique longe desse anime; agora se vc ama sua mãe e/ou irmã(os), independente deles serem loucos ou estranhos, assista e nunca mais terá coragem de sair de casa sem dar um abraço carinhoso na sua mãe ... =.=)

    Por que eu acho ela tocante? Ela é cantada em russo, tem todo aquele ar de lirismo e a letra ... aiii, a letra é emocionante, é tocante, é triste ... principalmente para quem conhece a história de FullMetal, vc vai lendo e vai lembrando de cenas, de significados do anime ...
    Mas vou tentar dar uma palhinha aqui para quem não conhece:

    [Wiki +-]A historia começa em uma cidade do interior, chamada Rizenpool, onde vivem os irmãos, Edward Elric e Alphonse Elric. Quando pequenos, Edward e Alphonse perderam sua mãe. Desde então Edward pensa que a culpa da morte da mãe foi do pai deles, que foi embora quando eles eram ainda pequenos. Então os dois irmãos tentam reviver a mãe, usando uma técnica proibida que eles acharam em um dos livros que o pai dele havia deixado na casa. Os irmãos, então, quebram o maior tabu da Alquimia: a Transmutação Humana. Entretanto os irmãos conseguem apenas trazer o corpo da mãe, sem a alma e por terem praticado a transmutação humana o preço do corpo da mãe é cobrado, Edward perdeu sua perna esquerda e seu braço direito, enquanto seu irmão Alphonse perde todo o seu corpo. Edward então sacrifica o seu braço direito em troca da alma do seu irmão, que ele selou em uma armadura.
    Uma palhinha da cena: http://www.youtube.com/watch?v=ms5Xl4CEHAc
    de 0:00 até 2:45
    Angustiados e fracassados em seu objetivo (trazer a mãe de volta), eles resolvem partir atrás de respostas para recuperarem seus corpos de volta.


    A música fala desse tema principal, o erro que cometeram por tentarem desafiar leis "que não devem" ser desafiadas ... como a morte ... e o peso das consequências e culpa de seus atos, que os acompanharão pelo resto da vida ... :calado:

    Show com legendas em inglês
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Tradução
    Me perdoe, irmãozinho!
    Eu sou o culpado.
    Ninguém deveria tentar recuperar
    O que foi levado pela terra.
    Quem conhece a lei da vida
    me ajude a encontrar a resposta
    Eu estava completamente enganado...
    Não há cura para a morte.

    Querida mãe! Carinhosa!
    Nós te amavámos tanto.
    Mas toda a nossa força...
    foi usada em vão.

    Eu te intrigava com a bela esperança...
    De recuperar a casa da nossa família
    Meu irmão, a culpa é toda minha!

    Não chore, não se desepere, irmão mais velho!
    Você não é o único a ser culpado.
    Nós estamos juntos pela mesma estrada.
    Nós iremos espiar nossa culpa até o fundo.
    Eu não tenho nada com que reaproximá-lo...
    e eu não guardo qualquer rancor
    Lamentável é o nosso pecado...
    o desejo de ser mais forte que tudo.

    Querida mãe! Carinhosa!
    Nós te amavámos tanto.
    Mas toda a nossa força...
    foi usada em vão.

    Eu estava intrigado, eu mesmo
    com a maravilhosa esperança
    De recuperar a casa de nossa família.

    É tudo minha própria culpa.
    Então o que nós devemso fazer? Como devemos agir?
    Como podemos corrigir tudo, esquecer ?
    Ninguém deveria tentar recuperar
    o que foi levado pela terra.
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  12. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Bem, vou falar de uma música da minha banda mais que favorita: The Cure. A música é Friday I'm In Love, é engraçado como ela surgiu, o Robert estava muuuuito bêbado e começou a dedilhar o violão quando surgiu a melodia. Por ser uma melodia muito simples ele começou a ligar para todo mundo que ele conhecia perguntando se eles já tinham ouvido a música antes. Ele não acreditou que ninguém ainda tinha pensado naquela melodia simples!

    Friday I'm In Love
    The Cure

    I don't care if monday's blue
    Tuesday's grey and wednesday too
    Thursday i don't care about you
    It's friday i'm in love

    Monday you can fall apart
    Tuesday wednesday break my heart
    Thursday doesn't even start
    It's friday i'm in love

    Saturday wait
    And sunday always comes too late
    But friday never hesitate

    I don't care if monday's black
    Tuesday wednesday heart attack
    Thursday never looking back
    It's friday i'm in love

    Monday you can hold your head
    Tuesday wednesday stay in bed
    Oh thursday watch the walls instead
    It's friday i'm in love

    Saturday wait
    And sunday always comes too late
    But friday never hesitate

    Dressed up to the eyes
    It's a wonderful surprise
    To see your shoes and your spirits rise
    Throwing out your frown
    And just smiling at the sound
    And as sleek as a shriek
    Spinning round and round
    Always take a big bite
    It's such a gorgeous sight
    To see you eat in the middle of the night
    You can never get enough
    Enough of this stuff
    It's friday
    I'm in love

    I don't care if monday's' blue
    Tuesday's gray and wednesday too
    Thursday's i don't care about you
    It's friday
    I'm in love

    Monday's you can fall apart
    Tuesday's,wednesday's break my heart
    Thusrday's doesn't even start
    It's friday
    I'm in love
     
  13. lugibautista

    lugibautista Usuário

    Vou deixar uma listinha de músicas que tem uma história real por trás, tristes ou não:
    Canção Pra Você Viver Mais (Pato Fú) - Fernanda Takai escreveu o título da música em um papel, pois ela iria compor uma música em homenagem ao seu pai que estava doente, mas a carga emocional era tão forte que ela não conseguiu mais escrever esta letra. John, seu esposo e integrante da banda, sabendo o que a Fernanda sentia escreveu a letra e compos uma das músicas mais belas e tristes da banda.
    Si no te hubieras ido (Marco Antonio Solis) - Marco Antônio escreveu esta música quando do sequestro de seu filho. Muitos pensam que a música é romântica, mas na realidade é uma música de dor e sofrimento de um pai durante a sua ausência pelo sequestro.
    Por que te vas? (Maná) - Música cantada por Sérgio guitarrista da banda. Boa parte da música foi escrita pela mãe de Sérgio em virtude da morte repentina de seu marido e pai de Sérgio.
    Píntame de Azul (Elefante) - Música feita por Rafa, guitarrista da Banda e compositor da maioria das músicas do Elefante em homenagem ao seu filho.

    As músicas Gostava Tanto De Você (Tim Maia) e Flor De Lis (Djavan), em uma pesquisa feita por mim pela internet tiveram as suas famosas "histórias reais por trás da letra" desmentidas, onde na música do Tim foi desmentido que o autor da letra tivesse uma filha e no caso da música do Djavan, o mesmo nunca foi casado com uma Maria que ficou grávida de uma menina que se chamaria Margarida.
     
  14. .Penny Lane.

    .Penny Lane. Usuário

    Tears in Heaven

    Tears in Heaven é uma canção composta e executada por Eric Clapton. Composta juntamente com Will Jennings, a letra fala da morte trágica de seu filho, Conor. A canção faz parte do álbum Unplugged, vencedor do Grammy de 1993, pela categoria Melhor Álbum do Ano. A própria canção deu a Clapton três Grammys nesse ano, para Canção do Ano, Gravação do Ano e Melhor Performance de Voz Pop Masculina.
    [editar] Significado

    No dia 20 de março de 1991, às onze horas da manhã, Conor Clapton (com quatro anos e meio de idade) morreu ao cair da janela do 53º andar de um prédio de Nova York. A empregada deixou a janela parcialmente aberta, e Conor caiu no telhado de um prédio adjacente. Ao saber da morte do garoto, ela sofreu um colapso nervoso e teve de ser sedada e hospitalizada.

    A morte de Conor inspirou Clapton a compor Tears in Heaven que, segundo ele, o ajudou a aceitar a perda. Nunca foi planejada sua publicação, mas foi publicada mesmo assim. A mãe de Conor, Lori Del Santo, recusou-se a escutar a canção.

    Clapton desde 2004 decidiu parar de executá-la porque é muito emocional para ser executada em público. É uma das músicas mais pessoais de Clapton, mas para surpresa dele, a música virou um hit universal. Ao contrário de seus primeiros trabalhos, essa é uma das canções mais sensíveis e comoventes de Clapton.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Would you know my name
    if I saw you in Heaven?
    Would it be the same
    if I saw you in Heaven?

    I must be strong and carry on,
    'Cause I know
    I don't belong
    here in Heaven.

    Would you hold my hand
    if I saw you in Heaven?
    Would you help me stand
    if I saw you in Heaven?
    I'll find my way
    through night and day,
    'Cause I know
    I just can't stay
    here in Heaven.

    Time can bring you down;
    time can bend your knees.
    Time can break your heart,
    have you begging please,
    begging please.

    Beyond the door
    there's peace I'm sure,
    And I know
    there'll be no more
    tears in Heaven.

    Would you know my name if I saw you in Heaven?
    Would it be the same if I saw you in Heaven?
    I must be strong and carry on,
    'Cause I know I don't belong here in Heaven
    'Cause I know I don't belong here in Heaven
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  15. kirah

    kirah Usuário

    Eu sempre gostei das músicas do Evanescence e é fácil perceber que elas trazem uma grande carga emocional, um dia desses um amigo meu comentou sobre essa música, eu realmente não sabia, é uma estória triste, enfim...
    Amy Lee, vocalista de Evanescence sofreu um grande trauma na infância com a morte de sua irmã de três anos (Bonnie Lynn Lee) de uma doenças não diagnosticada. As canções "Hello" (do álbum Fallen) e "Like You" (do álbum The Open Door) abordam este tema.
    (Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    )


    Like you

    Stay low
    soft, dark, and dreamless
    far beneath my nightmares and loneliness
    I hate me
    for breathing without you
    I don't want to feel anymore for you

    grieving for you
    I'm not grieving for you
    nothing real love can't undo
    and though I may have lost my way
    all paths lead straight to you

    I long to be like you
    lie cold in the ground like you

    Hello
    blinding wall between us
    melt away and leave us alone again
    humming, haunted somewhere out there
    I believe our love can see us through in death

    I long to be like you
    lie cold in the ground like you
    there's room inside for two and I'm not grieving for you
    I'm coming for you

    You're not alone
    no matter what they told you you're not alone
    I'll be right beside you forevermore

    I long to be like you, sis
    lie cold in the ground like you dear
    there's room inside for two and I'm not grieving for you
    and as we lay in silent bliss
    I know you remember me
    I long to be like you
    lie cold in the ground like you
    there's room inside for two and I'm not grieving for you
    I'm coming for you


    Tradução

    [Como Você]
    Fique calma
    Leve, sombria, e sem nenhum sonho
    por baixo de meus pesadelos e solidão
    Eu me odeio
    Por respirar sem você
    Eu não quero sentir mais nada por você

    Sofrendo por você
    Eu não estou sofrendo por você
    Nada que um amor verdadeiro possa desfazer
    E embora eu tenha saído da trilha
    Todos caminhos me levam a você

    Eu queria ser como você
    deitar fria como você

    Glória
    Barreiras invisíveis entre nós
    Derretam e nos deixe sozinhos novamente
    Zumbindo, assombrando em algum lugar lá fora
    Eu acredito que nosso amor pode nos ver através da morte

    Eu quero ser como você
    Deitar fria como você
    Há espaço aí dentro para dois e eu não estou sofrendo por você
    Eu estou chegando até você

    Você não está sozinha
    Não importa o que eles disseram a você, você não está sozinha
    Eu estarei ao seu lado para todo o sempre

    Eu quero ser como você, irmãzinha
    Deitar fria no chão como você, querida
    Há espaço aí dentro para dois e eu não estou sofrendo por você
    E enquanto nos deitamos numa paz silenciosa
    Eu sei que você se lembra de mim
    Eu quero ser como você
    Deitar fria no chão como você
    Há espaço aí dentro pra dois e eu não estou sofrendo por você
    Eu estou chegando até você

    (Fonte: Vagalume)

    Ps: Não consegui incorporar o vídeo aqui, se alguém quiser ouvir:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  16. imported_Alan

    imported_Alan Usuário

    Vou Tentar Explicar O que eu Entendi da Seguinte Música:

    Having A Blast
    Green Day
    Composição: Billie Joe Armstrong

    I'm taking all you down with me
    Explosive duct taped to my spine
    Nothing's gonna change my mind

    I won't listen to anyone's last words
    There's nothind left for you to say
    Soon you'll be dead anyway

    Well no one here, is getting out alive
    This time I've really lost my mind and I don't care
    So close your eyes
    And kiss yourself goodbye
    And think about the times you spent and what they've meant
    To me it's nothing (several x)

    I'm losing all my happiness
    The happiness YOU pinned on my
    Loneliness still comforts me
    My anger DWELLS inside of me
    I'm taking it all out on you and all the shit you put me
    through

    So no one here, is getting out alive
    This time I've lost my mind and I don't care
    So close your eyes
    And kiss yourself goodbye
    And think about the times you spent and what they've meant
    To me it's nothing (several x)

    Do you ever think back to another time ?
    Does it bring you so down that you thought you lost your mind ?
    Do you ever want to lead a long trail of destruction and mow
    down
    any BULLSHIT that confronts you ?
    Do you ever build up all the small things in your head
    To make one problem that adds up to NOTHING

    To me it's nothing (several x)


    Ela fala sobre um cara problemático, louco e depressivo que quer se suicidar como um homen Bomba e levar quem estiver por perto junto com ele e que não está nem ai para essas pessoas, está dizendo que todos vão morrer junto com ele e não tem escapatória.
    Me lembra aquele coreano q atirou em meio mundo ano passado ou retrazado e se matou depois. Em vez de morrer infame e sozinho como um suicida comum.
     
  17. Thorondir

    Thorondir Usuário

    Apesar de você, de Chico Buarque:

    Em 1969, Chico Buarque foi à França para se apresentar no Midem, a grande feira mundial da indústria fonográfica. Acompanhado de sua esposa, a atriz Marieta Severo, acharam por bem prolongar um pouco a temporada na Europa. Aqui, no Brasil, o AI-5 corria solto e Chico recebia notícias de vários artistas que eram exilados, como por exemplo Caetano Veloso e Gilberto Gil, que foram para Londres. Com medo, o afamado compositor de “A Banda” resolveu ficar por Roma, onde já havia morado quando criança, até que a tensão no Brasil diminuísse um pouco. O problema é que Marieta estava grávida e a situação financeira não ia bem. Foi justamente a renomada “A Banda”, que havia sido gravada em italiano por Mina, que segurou as pontas do casal. Assim, Chico conseguiu fazer pequenas apresentações, recebeu um adiantamento da sua gravadora no Brasil e acabou parindo, à força mesmo, um disco totalmente conturbado: Chico Buarque de Hollanda n° 4. Além de traduzir algumas de suas músicas para a indústria fonográfica italiana, é claro.

    Entre vários bicos – como abrir o show de Josephine Baker tocando “Mamãe eu quero” -, que talvez sejam tema de uma outra postagem, Chico recebia o conforto de Vinicius de Moraes, embaixador do Brasil, que acabou sendo padrinho de Silvia, a primeira filha de Marieta. Em uma conversa com o poeta, Chico disse que havia recebido uma carta que assegurava uma crescente calmaria no panorama brasileiro, que as coisas estavam melhorando, que pensava em voltar. Vinicius disse, então, que ele voltasse. Mas que voltasse fazendo barulho.

    Chico acatou o conselho do poetinha e voltou de forma quase apoteótica. Com especial da Rede Globo, shows marcados na boate Sucata e o lançamento do quarto disco, Chico balançou o meio artística do Rio de Janeiro. O problema foi constatar que a carta que havia recebido era uma fraude: a situação do regime militar só havia piorado. Vendo circular pelas ruas os automóveis com o adesivo “Brasil: ame-o ou deixe-o“, o compositor se viu obrigado a reagir com sua melhor arma: a música. E assim nasceu “Apesar de você”.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Como já vigorava a censura prévia, Chico enviou a letra ao órgão crente de que ela seria vetada. Mas não. A música foi liberada, lançaram um compacto com “Apesar de você” de um lado e “Desalento” de outro, e em uma semana mais ou menos quase cem mil cópias foram vendidas. A música já era adotada como hino de resistência aos militares quando um jornal publicou uma notinha dizendo que o “você”, na verdade, era o general Médici. Chamado para depor, Chico disse que a música era para uma mulher muito mandona, mas não colou. A música foi proibida de ser executada e todos os compactos recolhidos e queimados.

    No entanto, a matriz da gravação continuou intacta e pôde ser aproveitada oito anos mais tarde, quando a música foi liberada pela censura. Embora o artista já estivesse em outros caminhos e com outros projetos, “Apesar de você” foi incluída no disco de 1978, popularmente conhecido como Samambaia, só para fazer parte de sua discografia, como documento mesmo.

    Anos mais tarde, Chico diria que o “você” da música não era um general, e sim uma generalidade. Foi uma reação frente à situação negativa da época. É uma de suas poucas músicas feitas realmente com um intuito político. Depois desse episódio, o censor que liberou a música foi despedido, e a marcação em cima de Chico aumentou e muito.

    + no Artilharia Cultural: http://www.artilhariacultural.com/?p=3359
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  18. RodrigoF

    RodrigoF Usuário

    Sei lá...
    Mas sempre achei que Starway to Heaven parece muito com a história da Galadriel.

    "There's a lady who's sure all that glitters is gold
    And she's buying a stairway to heaven
    And when she gets there she knows if the stores are all closed
    With a word she can get what she came for

    Oh, and she's buying a stairway to heaven

    There's a sign on the wall but she wants to be sure
    'Cause you know sometimes words have two meanings
    In the tree by the brook there's a songbird who sings
    Sometimes all of our thoughts are misgiving

    (2x)
    Oh, it makes me wonder

    There's a feeling I get when I look to the west
    And my spirit is crying for leaving
    In my thoughts I have seen rings of smoke through the trees
    And the voices of those who stand looking

    Oh, it makes me wonder
    Oh, and it makes me wonder

    And it's whispered that soon, if we all called the tune
    Then the piper will lead us to reason
    And a new day will dawn for those who stand long
    And the forest will echo with laughter

    Woe, oh
    If there's a bustle in your hedgerow
    Don't be alarmed now
    It's just a spring clean for the May Queen

    Yes there are two paths you can go by
    But in the long run
    There's still time to change the road you're on

    And it makes me wonder

    Oh

    Your head is humming and it won't go, in case you don´t know
    The piper's calling you to join him
    Dear lady can you hear the wind blow and did you know
    Your stairway lies on the whispering wind

    And as we wind on down the road
    Our shadows taller than our souls
    There walks a lady we all know
    Who shines white light and wants to show

    How everything still turns to gold
    And if you listen very hard
    The tune will come to you at last
    When all are one and one is all, yeah

    To be a rock and not to roll

    Oh

    And she's buying a stairway to heaven"
     
  19. Thorondir

    Thorondir Usuário

    Hurricane, de Bob Dylan
    por Marcel Scognamiglio, do Artilharia Cultural > http://www.artilhariacultural.com/?p=3542

    O décimo sétimo disco de estúdio de Bob Dylan, "Desire", introduzia a faixa de nome Hurricane. Voltamos a 1976, quando Dylan ainda segurava-se firme com a Columbia e seu produtor era Don DeVito. Dez anos antes do lançamento do disco Rubin “Hurricane” Carter, o campeão de boxe dos pesos médios era acusado por um homicídio triplo ocorrido num bar em Nova Jersey. Mas a história do pugilista tinha um longo histórico de outras acusações e envolvimentos como o crime. O fato é que, a acusação de 1966 o levou à cadeia e nos árduos anos que lá passou começara sua própria autobiografia “The Sixteenth Round” ou “O Décimo Sexto Round“.

    Bob Dylan teve contato com o livro escrito a punho por Rubin Hurricane que lhe foi enviado por seu passado de compromisso com os direitos civis. Aqui podemos citar exemplos como “The Lonesome Death of Hattie Carroll” ou ainda “The Death of Emmett Till”, músicas em que Dylan protestava contra injustiças sociais. Agora faria da vida sofrível de Carter, ao lado de Jacques Levy (com quem dividiu a autoria da canção) um motivo para falar do racismo que assolava a sociedade americana.

    Depois de ler a autobiografia do boxeador – que jazia preso em Nova Jersey -, Bob Dylan, segundo o próprio Levy, não sabia ao certo como conduziria uma canção com tal historia. “Ele poderia começar a canção com alusões a cenas de cinema, do script: ‘Pistol shots ring out in a ballroom night…. Here comes the story of the Hurricane.’ Boom! Títulos. Vocês sabe, Bob ama filmes (…).Bob Dylan resolveria encontrar-se com Rubin na cadeia e mais tarde com seus familiares e defensores.

    Em 1975, Bob Dylan atingiria o topo com sua canção de nome Hurricane, lançada no supracitado Desire, levando à tona a historia do pugilista campeão mundial nos pesos médio Rubin “Hurricane” Carter à toda sociedade norte-americana.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Letra traduzida:
    Furacão
    Tiros de revólver ressoam na noite dentro do bar
    entra Patty Valentine vinda do salão superior
    ela vê o garçon numa poça de sangue
    solta um grito “Meu Deus, mataram todos eles!”
    aí vem a história do Furacão,
    o homem que as autoridades acabaram culpando
    por algo que ele nunca fez.
    colocando numa cela de prisão, mas houve um tempo
    em que podia ter sido o campeão mundial

    Três corpos deitados ali é o que Patty vê
    e outro homem chamado Bello rodeando misteriosamente
    “Eu não fiz isso”ele diz e joga os braços pra cima
    “Estava só roubando a registradora , espero que você entenda.
    “Eu os vi partindo” ele diz e pára
    “É melhor um de nós ligar pros tiras”
    e assim Patty chama os tiras
    e eles chegam na cena com suas luzes vermelhas piscando
    na noite quente de New Jersey

    Enquanto isso, bem longe, em outra parte da cidade
    Rubin Carter e uns dois amigos estão dando algumas voltas de carro.
    O pretendente número um à coroa dos pesos-médios
    não tinha idéia do tipo de merda que estava para baixar
    quando um tira o fez parar no acostamento
    igualzinho à vez anterior e à outra vez antes dessa
    em Paterson é assim mesmo que as coisas rolam
    se você é negro, melhor nem aparecer na rua
    a não ser que queira atrair uma batida policial.

    Alfred Bello tinha um parceiro e ele soltou um papo atrás dos tiras
    Ele e Arthur Dexter Bradley estavam só fazendo uma ronda
    Ele disse “Vi dois homens sairem correndo, pareciam pesos-médios
    Pularam dentro de um carro branco com a placa de outro estado”
    E a senhorita Patty Valentine apenas assentiu com a cabeça.
    Um tira disse, “Esperem um minuto, rapazaes, este aqui não está morto”
    Então o levaram à enfermaria
    E embora esse homem mal pudesse enxergar
    Disseram a ele que podia identificar os culpados.

    As 4 da manhã eles arrastam Ruby consigo,
    O levam para o hospital e o trazem escada cima
    O homem ferido olha pra cima através de seu único olho moribundo
    Diz, ” Por que vocês o trouxeram aqui dentro? Não é esse o cara!”
    Sim, eis aqui a história do Furacão,
    O homem que as autoridades acabaram culpando
    Por algo que ele nunca fez.
    Colocando numa cela de prisão, mas houve um tempo
    Em que podia ter sido o campeão mundial.

    Quatro meses depois, os guetos estão em chamas,
    Rubin está na América do Sul, lutando por seu nome
    Enquanto Arthur Dexter Bradley continua no ramo do assalto
    E os tiras estão apertando-o, procurando alguém pra culpar.
    “Lembra daquele assassinato que aconteceu num bar?”
    “Lembra que você disse ter visto o carro fugitivo?”
    “Você acha que está a fim de brincar com a lei?”
    “Não acha que talvez tenha sido aquele lutador que você viu correndo pela noite?”
    “Não se esqueça de que você é branco”

    Arthur Dexter Bradley disse “Não tenho muita certeza.”
    Os tiras disseram, “Um rapaz como você precisa de uma folga da polícia
    Te pegamos por aquele serviço no motel e agora estamos conversando com seu amigo Bello
    Agora,você não querter de voltar pra cadeia, seja um sujeito legal.
    Você estará fazendo um favor a sociedade.
    Aquele filho-da-puta é valente e está ficando cada vez mais.
    Nós queremos botar o rabo dele pra fritar
    Queremos pregar esse triplo assassinato nele
    O cara não é nenhum cavalheiro”

    Rubin podia apenas nocautear um cara com apenas um soco
    Mas nunca gostou muito de falar sobre isso
    “É meu trabalho”, diria, “E eu o faço para ser pago
    E quando isso termina, prefiro cair fora o mais rápido possível
    Na direção de algum paraíso
    Onde riachos de trutas correm e o ar é ótimo
    E andar a cavalo ao longo de uma trilha.”
    Mas aí o levaram para a cadeia
    Onde tentaram transformar um homem num rato.

    Todas as cartas de Rubin já estavam marcadas
    O julgamento foi um circo de porcos, ele não teve a menor chance.
    O juiz fez das testemunhas de Rubin bêbados das favelas
    E para os brancos que assistiam, ele era um vagabundo revolucionário
    E para os negros, apenas mais um crioulo maluco.
    Ninguém duvidava que ele tinha apertado o gatilho.
    E embora não conseguissem produzir a arma,
    O promotor público disse que era ele o responsável
    E o juri, todos de brancos, concordou

    Rubin Carter foi falsamente julgado
    O crime foi de assassinato “em primeiro grau” adivinha quem testemunhou?
    Bello e Bradley,e ambos mentiram descaradamente
    E os jornais, todos pegaram uma carona nessa onda.
    Como pode a vida de um homem desses
    Ficar na palma da mão de algum tolo?
    Vê-lo obviamente condenado numa armação
    Não teve outro jeito a não ser me fazer sentir vergonha
    De morar numa terra onde a justiça é um jogo.

    Agora todos os criminosos em seus paletós e gravatas
    Estão livres para beber martinis e assitir o sol nascer
    enquanto Rubin fica sentado como Buda em uma cela de 3 metros
    Um inocente num inferno vivo.
    Essa é a história do Furacão,
    Mas não terá terminado enquanto não limparem seu nome
    E devolverem a ele o tempo que serviu.
    Colocado numa cela de prisão, mas houve um tempo
    Em que podia ter sido o campeão mundial.


    A história de Carter mostra muitas controvérsias, e isso pode ser notado quando se contempla as diferentes óticas em que ela foi enxergada nas obras culturais. Na canção de Dylan ou no filme de Norman Jewison lançado em 1999 (com Denzel Washington) a história do personagem mostra um Rubin inocente e vitimado, apesar do comportamento altamente agressivo. As acusações anteriores a Carter são mostradas de uma maneira falha no filme. Já na canção de Dylan, o histórico de acusações é simplesmente suprimido mantendo o foco nas vitórias – no boxe – de Rubin e da derrota que sofrera em 1966, padecendo pelo racismo da sociedade americana da época.

    Três curiosidades

    - Dylan foi processado por citar o nome de Patty Valentine, uma das testemunhas do assassinato.

    - Zé Ramalho regravou a melodia de Hurricane em seu “Frevoador”.

    - A faixa de Dylan teve de sofrer diversas modificações por imposições judicias desde sua versão original lançada no álbum Desire.

    Em 1985, 19 anos após sua condenação em New Jérsei, Rubin seria solto por uma anulação de sua acusação. Rubin ainda foi condecorado com um ato respeitoso da sociedade: um cinturão de Campeão do Peso Médio referente ao ano em que ele competiria como favorito ao titulo e estava preso.
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  20. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    Paralamas do Suceso - Fui Eu

    Os pés descalços
    queimam no asfalto
    Os carros passam -
    vêm e vão
    Eu dobro a esquina
    Eu vou na onda
    Pego carona na multidão
    nosso herói toma um porre e dorme na rua, depois acorda e descobre que roubaram seus sapatos, e não quero nem pensar no que roubaram a mais

    Você olhou, fez que não me viu
    Virou de lado, acenou com a mão
    pegou um táxi, entrou, sumiu
    Deixou o resto de mim no chão
    clássico "não conheço esse cara".

    Vai ver que a confusão
    Fui eu que fiz, fui eu
    amnésia alcóolica

    Há algo errado no paraíso
    É muito mais que contradição
    Sou eu caindo num precipício
    Você passando num avião
    licensa poética

    Você olhou, fez que não me viu
    Foi como se eu não estivesse ali
    Desligou a luz, deitou, dormiu
    Nem pensou em se divertir
    chega em casa como se nada tivesse acontecido. vão pro quarto juntos, ele esperando pelo papai e mamãe de toda semana com a maior cara de pau. ela dá um gelo nele e nem mesmo disse que estava com tpm

    segunda interpretação. nosso anti-herói está morto, como no O Sexto Sentido, e ainda não sabe
     

Compartilhar