1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Estudo descobre propriedades antibióticas nas baratas

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 6 Set 2010.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    As baratas, insetos considerados sujos por essência, poderiam contribuir para o desenvolvimento de novos tratamentos contra bactérias resistentes, segundo cientistas britânicos que descobriram substâncias com propriedades antibióticas inesperadas nestes insetos.

    Uma equipe da Universidade de Nottingham identificou até nove moléculas diferentes no cérebro e nos tecidos nervosos de baratas e gafanhotos, substâncias tóxicas para as bactérias e que poderiam resultar em tratamentos para certas infecções frequentemente resistentes a antibióticos comuns.

    Segundo os cientistas, estes tecidos seriam, ainda, capazes de matar mais de 90% dos Staphylococcus aureus resistentes à meticilina (MRSA, na sigla em inglês) e de Eschirichia coli (E. coli), sem prejudicar as células humanas. Os pesquisadores estão, agora, estudando as propriedades específicas das substâncias descobertas em laboratório.

    Para Simon Lee, da Escola de Medicina e de Ciência Veterinária da universidade britânica, esta descoberta aparentemente surpreendente é, na verdade, previsível.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Excelente notícia! Na guerra entre Homens VS Bactérias, o homem tem perdido feio. As bactérias estão adquirindo resistência aos antibióticos assustadoramente rápido.

    Dias atrás, no CTI-Neonatal que trabalho, um prematurinho morreu de sepse por MRSA (lê-se "marsa"), que foi transmitida por algum funcionário que tem incubado uma colônia dessa bactéria na pele ou boca. Ou seja, o MRSA está por aí, e a penicilina tá ficando pra trás...
     
  3. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Sepse é a antiga septicemia? O que é MRSA?
     
  4. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Sepse e septicemia são sinônimos, mas estamos usando mais sepse, pra ficar próximo do inglês sepsis.

    MRSA é a sigla em inglês pra Methicillin-resistant Staphylococcus aureus (Estafilococos ausreus resistentes a meticilina), que são bactérias que criaram resistência ao primeiro e principal grupo de antibióticos, as penicilinas e seus derivados (meticilina, nos EUA, e oxacilina, no Brasil, que são antibióticos resistentes a bactérias resistentes).

    Ou seja, MRSA é uma bactéria perigosa para causar infecções hospitalares... Temos que tomar muito cuidado pra não contaminar as criancinhas lá no CTI Neonatal que trabalho, já que muitos de nós somos colonizados por MRSA, mas somos assintomáticos por termos um sistema imune em dia.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  5. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Porque ficar mais parecido com o inglês, o grego é tão mais clássico. Você é enfermeira ou médica?
     
  6. Tilion

    Tilion Administrador

    A palavra inglesa também vem da grega. É idêntica, na verdade.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  7. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Hahahaha, eu também acho, mas parece que os médicos cientistas não querem muito saber disso :tsc:.

    Falando sério, é que a literatura médica é toda em inglês, então os termos médicos, respeitando as limitações e suas línguas vernáculas, são todos o mais próximo possível do inglês. Inclusive, quando publicamos algum artigo científico (nós e qualquer outro país que não fala a língua inglesa), temos que fazê-lo com uma cópia em português e outra em inglês, para circulação internacional. Inglês é o esperanto da saúde!

    Não sou enfermeira nem médica... Rsrs... Sou quintanista de Medicina, mal vendo a hora de montar no diploma e sair voando por aí. :hihihi:
     
  8. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Desculpe a minha ignorância, mas o que é quintanista? Alguém que cursa o quinto ano?
     
  9. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Isso!

    Estudante do quinto ano
    Estudante do quint'ano (+ sufixo -ista, que quer dizer "ocupação")
    Estudante quintanista! :hanhan: :hanhan:
     
  10. *Ceinwyn*

    *Ceinwyn* Ogra rosa

    É, ver baratas servindo pra algo útil é muito bom.

    E pô, não precisa ser gênio pra pensar que elas teriam boa resistência a bactérias, se elas convivem tanto com elas. A questão era alguém pensar nisso e ir verificar o provável, o que foi feito.

    Tomara que as pesquisas andem o mais rápido possível e que a ind. farmacêutica não venda isso a preço de ouro...
     

Compartilhar