1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Estudo co paciente epilética pode explicar sensações de paranóia

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Shantideva, 20 Set 2006.

  1. Shantideva

    Shantideva Adoro elfos ruivos!

    Jovem epilética psicologicamente saudável teve ilusões quando áreas específicas de seu cérebro foram estimuladas pelos médicos

    Neurocientistas que acompanham uma jovem com epilepsia acreditam ter encontrado, acidentalmente, uma explicação para presenças fantasmagóricas ou sentimentos de paranóia e perseguição que afligem algumas pessoas, segundo artigo que será publicado na edição de quinta-feira da revista científica britânica "Nature".
    A jovem de 22 anos, psicologicamente saudável, passa por uma avaliação para se submeter à cirurgia cerebral por epilepsia. Parte de sua avaliação consiste em apontar a área que deverá ser operada, usando finos eletrodos em uma região do cérebro.
    No artigo, os cientistas afirmam que ao enviarem uma pequena corrente à junção temporoparietal esquerda da mulher, ela disse ter tido a impressão de que alguém estava atrás dela. Segundo ela, a pessoa era uma "sombra", jovem, de sexo indeterminado e que não falava.
    Os médicos, então, aumentaram suavemente a corrente e mudaram a posição da mulher, que estava deitada e foi posta sentada, pedindo-lhe que abraçasse os joelhos. Ela disse ter sentido a presença assustadora de um homem que também estava sentado e que a apertava de forma desagradável em seus braços.
    A corrente foi suavemente aumentada mais uma vez e a mulher, ainda sentada, foi submetida a um teste de linguagem, lendo um cartão em sua mão direita. Ela informou a presença de uma "pessoa" sentada, desta vez localizada atrás dela, à direita, que tentava interferir no teste.
    "Ele quer pegar o cartão, não quer que eu o leia", afirmou.
    A sensação foi tão real que em nenhum momento a mulher percebeu que tudo não passou de uma ilusão criada por sua mente, informaram os autores do estudo, da Escola Federal Politécnica de Lausanne.
    A junção temporoparietal é usada no raciocínio social para o indivíduo se avaliar e se distinguir dos outros.
    "Nossas descobertas podem ser um passo à frente na compreensão dos mecanismos por trás de manifestações psiquiátricas tais como paranóia, perseguição e controle externo", concluíram os cientistas.
    "Controle externo" é quando alguém atribui seus atos a outra pessoa ou fonte. Tem sido vinculado com hiperatividade no córtex temporoparietal entre pessoas com esquizofrenia.
    Um trabalho anterior realizado pela mesma equipe, chefiada por Olaf Blanke, da Escola Federal Politécnica de Lausanne, associou a mesma região do cérebro com "experiência fora do corpo", a sensação de flutuar sobre o corpo e ver-se a si mesmo embaixo.



    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar