1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Estratégia ofensiva de mordor!...

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por TorUgo, 19 Set 2008.

  1. TorUgo

    TorUgo a.k.a. Tortoruguito...

    Tirei a ideia do tópico do meu compatriota Nomin e espero que não se importe! :D

    Que tal darem ideias de estratégias ofensivas para Mordo? (ignorando claro, a parte do anel a cair no fogo e tal... e sauron desaparecer e Barad dur cair... XD)

    Como ordenariam vocês as vossas centenas de milhares de soldados se fossem o general da torre negra?
     
  2. Tarik Khalil

    Tarik Khalil Usuário

    Já fiz o meu... alguem me diz um lugar para upar a imagem e poder colocar aqui... ( PS: A imagem é grande mas com letras pequenas ).
     
  3. Tywin Lannister

    Tywin Lannister Já fui Nómin e Baldwin

    Ora claro que não me importo:mrgreen:
     
  4. Arcavius

    Arcavius Ezio Auditore da Firenze

    Bom, dividir é a melhor estratégia para vencer, enquanto ser dividido é um bom passo para a derrota. Ora, usaria força total direto contra Minas Tirith de uma vez, enquanto Gríma ainda aprontava das suas em Rohan. Usando o que sobrasse de Minas Tirith como forte, iria direto para Rohan (pelas facilidades logísticas, afinal, para atacar Rohan, é mais fácil partir de Minas Tirith). Caindo esses dois reinos, atacar os reinos élficos ficaria fácil, fácil.
     
  5. Tywin Lannister

    Tywin Lannister Já fui Nómin e Baldwin

    Isto foi o que postei, em termos de estratégia defensiva de Mordor no outro tópico. Entretanto consultarei alguns mapas, os apendices dos livros e agumas páginas da web e mais tarde postarei minha estratégia ofensiva
     
    Última edição: 20 Set 2008
  6. Tywin Lannister

    Tywin Lannister Já fui Nómin e Baldwin



    Encontrei este texto na wikipédia. Auxiliou.me muito a formular esta estratégia.

    Aqui vai

    Ora como todos sabemos, o objectivo de Sauron era dominar todas as raças da terra média. Para isso Sauron precisava de atacar primeiro Gondor, o reino com o qual Mordor tinha grande parte da sua fronteira. Posso afirmar com segurança, que teria 150 000 soldados á minha disposição, pois não podemos esquecer o facto de que Mordor não poderia ser completamente esvaziado, e digo isto baseado na citação do blog de nosso colega, Lord Khamûl:

    Com facilidade, tomaria Osgiliath, usando.a como forte temporário, e esvaziando.a no dia do grande ataque: Minas Tirith. Faria todas as minhas tropas marchar até lá, montando as armas nos campos de pellennor. Usaria o elemento surpresa, para que os aliados de Gondor não pudessem ser avisados. Faria a invasão decorrer depressa, para usar a cidade como ponto de descanço. Não faria uma estratégia muito elaborada, pois não me podia esquecer que por em prática não é tão facil como imaginar, como disse Percy Barnevick e Napoleão Bonaparte:

    Meus interesses em derrubar Minas Tirith seriam óbvios: em primeiro lugar derrubando a cidade, derrubaria também um dos maiores pontos estratégicos defenssivos da Terra Média e ao mesmo tempo estaria impedindo o regresso do rei ao trono e impedindo que este devolvesse a esperança aos povos da Terra média e que ele unisse Roahn e Gondor de novo sobre o mesmo estandarte, porque, como disse Carl von Clausewitz:

    Derrubando Minas Tirith, Gondor ficaria sem qualquer força de vontade (e militar) para se defender e teria o caminho aberto para Roahn. Se estivermos a falar dos tempos da aliança entre Isengard e Mordor, eu provavelmente não uniria o meu exército ao de Saruman e usaria, mais uma vez, o componente surpresa, ordenando a Saruman que colocasse as suas tropas a postos, em segredo, num ponto estratégicamente defenido, pois em Minas Tirith, provavelmente, eu teria perdido um numero consideravel de soldados, mas prontos a ser usados, pois como disse, mais uma vez, Carl von Clausewitz:

    Antes de mais nada, enviaria batedores ao Abismo Helmo, para confirmar se se a fortaleza se encontrava defendida. Caso a resposta fosse positiva, atacaria a fortaleza e, em caso de extrema necessidade, usaria as tropas de Uruk-hais de Saruman. Se não houvesse ninguem habitando nesse local, seguiriam directo para westfold, e depois para Erodas, onde seria quase brincadeira tomar a cidade. Durante algum tempo, as minhas tropas estariam paradas, restabelecendo o seu moral. Até ai teria perdido grande parte das minhas força e o meu exército estaria sériamente desvastado, portanto voltaria a Mordor, deixando as fronteiras das terras conquistadas guardadas o sufeciente para evitar que o povo élfico de valfenda juntamente com Thranduil e a gente de Lothlórien pudesse juntarsse e conquistar de novo essas terras sem que eu fosse avisado e sem que houvesse quem lhes resistisse. Em Mordor contruiria uma nova estratégia militar, tendo em conta a seguinte frase, de Paul Levesque:

    A nova estratégia teria de ser extremamente bem pensada e construida de forma inteligente, seguindo o concelho de Miyamoto Musashi e de Péricles:

    Reconstituidas as minhas tropas, atacaria as terras selvagens, tomando de vez a zona leste. Depois, organizaria várias campanhas ás matas de Lothlórien e, uma vez estas estarem tomadas de vez, entraria em Moria, usando como reforço os Goblins daquele lugar, e atacando valfenda. Assim, todos os grandes focos de resistência estariam eliminados

    Sei que é ambicioso, mas apenas exprimi a maneira como faria as coisas, com base em varias teorias e frases importantes que fi encontrando, inclusive deixei algumas delas aqui expressas.
     
    Última edição: 21 Set 2008
    • Ótimo Ótimo x 2

Compartilhar