1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Espaço de Denúncia do Consumidor

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Eru- o Ilúvatar, 12 Jan 2004.

  1. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Antes de mais nada, estou tomando a liberdade de criar esse tópico, mais sério do que meus posts habituais, porque o que venho relatar aqui é sério! E trata de algo que pode acontecer com vocês, e que, por acaso, aconteceu comigo hoje.


    O incidente:

    Passei por um constrangimento ao ir para o Claro Hall comprar minha meia-entrada, garantida por lei já que sou estudante, para o show do Iron Maiden.

    Após ir até o Via Park (MMMUITO LONGE DE CASA), pagar 3 reais de estacionamento, e enfrentar uma hora de fila, ciente do meu direito já assegurado por lei, fui ao caixa comprar por R$ 60,00 reais meu ingresso. Curiosamente, já pra dificultar a compra da meia-entrada determinaram que o único ponto de venda aceitando meia-entrada seria o próprio Via Park.
    Curioso lembrar que o ingresso há até uma semana custava R$ 80,00 reais e o preço subiu exatamente quando o estabelecimento foi por lei forçado a aceitar a meia-entrada. Eu só não podia imaginar que a sordidez da empresa CLARO fosse tamanha a ponto de buscar subterfúgios outros que não só a restrição a um ponto de venda de difícil acesso, para prejudicar o estudante que tem por lei direito ao ingresso.

    Chegando a caixa, como dizia, mostrei minha carteira de estudante e me foi solicitado mostrar a identidade, e assim o fiz. Tudo documento legítimo. E a mocinha, ríspida, se vira pra mim, depois que mostrei a carteira de identidade, e diz que eu tinha mais de 21 anos. E daí? disse eu. Ela me saca 3 papéis (foi adestrada pra isso a imbecil) dizendo que pela lei da Rosinha ela só reconheceria documento de estudante que não o da UNE ou UBES pra menores de 21, e maiores só seriam aceitos se apresentassem o documento dessas instituições, que sabemos nós, são tão somente caça-níqueis que não ajudam as instituições de ensino e sustentam estudantes profissionais vagabundos e futuros políticos pseudo-intelectuais amadores (perderam seu propósito original, mas isso não é assunto pra esse tópico). Essa práxis vai de encontro a uma determinação da justiça de dois anos atrás que isenta o estudante da obrigatoriedade de ser esfaqueado em mais de 20 reais pra ter um documento de estudante da UNE se o documento da instituição na qual estuda, com muito mais legitimidade pra assegurar seu carater docente, for apresentada. Eu poderia ir ao Procon, mas meu desanimo pra ir ao show, somado ao fato de que me é mais interessante minar a empresa no que é mais caro a ela, a imagem, é um serviço melhor prestado a vocês e também uma resposta mais enérgica diante do absurdo que testemunhei.

    O irônico nessa história toda é que antes de ir para o Via Park, usei a mesma carteira de estudante, que não servia para a Claro Hall, no Cinemark, pra ver a VE de As Duas Torres, num ingresso que, vejam só, comprei pela internet. Aliás, minha carteira, como determina a lei, é aceita em todas as casas de show, casas noturnas, eventos, cinema, etc, que frequentei desde a implementação da lei que eximia o estudante da obrigatoriedade da carteira da UNE. Minha carteira da UFRJ é menos válida que aquela carteirinha facilmente falsificável da UNE?. Será que eu devo falsificar a minha carteira de estudante (nunca falsifiquei documentos) e dar uma de malandro pra tapear os malandros da CLARO?



    Moral da História:

    - A CLARO ofereceu um show pelo exorbitante preço de R$ 80,00 reais (direito deles) e ignorou solenemente o decreto-lei que assegura ao estudante a meia-entrada com a justificativa de que o Claro Hall é um restaurante (olha o golpe!!). Eu até pagaria R$ 80,00, mas gostaria de ser servido com boa comida e ter minha mesa do lado do palco, como em todo bom couvert artístico.

    - Sendo obrigada a cumprir determinação de lei por ordem direta do Estado, a CLARO tratou de elevar para R$ 120,00 reais a entrada (passando qualquer onus para o público e tornando a meia-entrada quase tão cara quanto o custo original do ingresso). Não felizes, buscaram lacunas mínimas na lei para ferrar e dificultar a meia-entrada, por vezes impedí-la (meu caso) e ainda ter a pífia de escolher um único ponto de venda entre os tantos da cidade para aceitar a carteira de estudante.


    Recomendações e Considerações:

    Não, eu não ia brigar lá no guichê, mas me sinto no dever de reportar aqui o tipo de tratamento que a Claro dispensa para o consumidor potencial dos seus produtos e eventos. Eles têm todo o direito de serem sacanas, tem sim. E eu, como cidadão livre em um país livre, me sinto também no direito de desmentir as horas de propaganda televisiva da supra-citada empresa despejando balelas como "nós nos importamos com você", "você é nossa maior preocupação". Não estou aqui dizendo que a Vivo ou a Oi sejam exemplos de candura e idealismo, estou apenas pra lembrar que a Claro não está de fato nem aí pra vocês, e que um comportamento como o que tiveram para comigo podem ter também com vocês, não só em shows, mas também quando seus celulares derem defeito, sua conta vier errada, ou quando você não puder pagar por um modelo novo.

    Eu certamente não quero mais ir no show, fiquei desgostoso e não desejo contribuir nem com um centavo pra essa empresa. E não desejo do fundo do coração um show ruim, quero que vocês, que vão no show, se divirtam muito, porque estão pagando caro por isso, merecem um show de primeira e tem um ótimo gosto escolhendo um show do Iron pra ir. Mas desejo também o insucesso da empresa e a que a mesma quebre por demérito.

    Eu certamente descartei para o resto da minha vida a possibilidade de me tornar um cliente da CLARO em qualquer empreendimento, seja telefonia, eventos ou outrem em que eles se aventurarem. Recomendo que façam o mesmo. Sou estudante (irônico lembrar isso) de publicidade, e na faculdade (sim, eu estudo) aprendi que o cliente é o maior patrimônio da empresa, e um dos principais deveres do bom ofertante é tratar bem o cliente para assegurar a fidelização a marca e o vínculo com a instituição/empresa/serviço.

    Ao contrário dos gerentes da CLARO, eu fiz meu dever de casa e aprendi Marketing, ao menos o suficiente pra dizer que a CLARO é uma empresa de assessoria débil, atendimento sofrível e que não respeita a mim ou a qualquer consumidor que não esteja disposto a pagar tudo o que eles querem. E os advogados da CLARO, muito competentes por sinal, que continuem a assegurar as trapaças da empresa, mas que os seus demais setores afundem na própria mediocridade.
    Assim espero, e espero que vocês entendam meu ponto de vista e estejam avisados.

    Quando oferecerem qualquer serviço da CLARO a vocês, respondam CLARO que NÃO!

    Tomei a liberdade de criar esse tópico como um intercâmbio de avisos e recomendações de nós, consumidores, a respeito de qualquer instituição que lese o direito do consumidor, do cidadão, e que de algum modo desrespeite a vocês. Esse tópico pode render até mais do que a minha intenção original, que é, não de denegrir a imagem da CLARO, mas de explicitar sua verdadeira face. Tomando por referência ensinamentos de Alex Periscinoto, publicitário brasileiro de renome, os efeitos de uma propaganda eficiente para um produto porco e um serviço sem caráter podem ser catastróficos.

    Se quiserem, aproveitem esse espaço para denúncias suas. Mas mantenham um tom sério porque acho que esse pode se tornar um excelente canal de intercâmbio e de arma do consumidor contra a empresa suja.

    Grato,
    Eduardo Campos Madureira de Pinho.

    Eru, o Ilúvatar
     
  2. Sei Lá Cabeça

    Sei Lá Cabeça Usuário

    .__.
    putz,q maus ò.ó Claro toska ò.Ó
    non se extressa,amigo u.u tudo se resolverá em sua vida e na vida d tds u.u mt paz u_u\,,/
    ._.' hehe,keria ir no show do Iron tb *-*'
     
  3. Dante Aqueronte

    Dante Aqueronte Usuário

    Claro? Não é aquela que botou a propagandaem volta do obelisco no Ibira? Não precisava nem falar pra eu não comprar nada dela.
     
  4. Knight

    Knight Rider On The Storm

    Infelizmente, isso é algo que acontece, e provavelmente continuará acontecendo. Tudo pelo lucro, não importa quem está na frente, este é o lema da maioria das grandes empresas da atualidade. Resta a nós nos revoltarmos e fazermos o possível no intuito de não contribuir com essas empresas que contribuem na formação de um mundo desigual e injusto.
    O que me entristece é ter que dar dinheiro para esses caras para poder ver o show de uma banda que eu nunca vi e que eu amo, como é o caso do Iron Maiden. Mas quanto a isso acho que não há solução.
     
  5. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Eru, em Curitiba é pior. Temos pouquíssimas casas de shows (e pouquíssimos eventos internacionais), e sempre que possível eles aprontam dessas. Na verdade, o esquema deles fica assim: o ingresso chega no mercado por "x", aí notam que tem saído muita meia-entrada e, magicamente, o preço sobe para "X + oquantoelesquiseremfaturar".

    O pior é que algumas vezes tem que engolir seco e entrar no jogo, justamente porque sabemos que shows são meio raros por aqui. :|
     
  6. Omykron

    Omykron far above

    isso me lembra quando eu fui num dos cinemas severiano ribeiro com meu pai.
    meu irmão tinha 12 anos, e o filme tinha um aviso 'DESACONSELHAVEL a menores de 14 anos'.
    ok, meu pai viu isso e foi comprar o ingresso
    como por lei, menores de 12 anos pagam meia entrada no cinema, na hora que a mulher pediu a identidade do meu irmao, viu q ele tinha 12 anos e naum vendeu o ingresso, alegando uma suposta CENSURA (lembrando que a censura foi abolida no Brasil. Segundo a lei, eh proibido a censura, excluindo shows de strip-tease e cinemas de filme PORNO)
    ok, meu pai foi lah, conversou com a gerente q continuou a negar a vender o ingresso. meu pai foi até a juizado de menores, chamou o responsavel e foi com ele até o guiche. La o cara do juizado falou tudo e levou a lei que dizia q era proibida a censura.

    moral, perdemos o filme, a gerente ofereceu desconto em todos os serviços do cinemana (que recusamos) e pediu desculpas mas mesmo assim naum vendeu o ingresso agora alegando política da empresa (que eu jurava era LUCRO, mas, irrelevante)

    faz 3 anos q naum entro em um cinema SEVERIANO RIBEIRO por conta desse incidente.
    uma vez no cinemark quase aconteceu isso, chamei o gerente e pedi q ele me explicasse pq naum venderia o ingresso a minha pessoa. aleganda a censura, eu o levei até o poster e naum existia nenhuma censura e sim DESCONSELHO de idade. não paguei pelo meu ingresso, ganhei um refrigerante grande e pipoca e ainda fiquei numa boa posição na sala do cinema.
    quando uma empresa tenta manter lucro e clientela, ela naum faz o que o severiano ribeiro fez.
     
  7. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Cara, aqui no Rio o terror da censura é o juiz Siro Darlan, você talvez já tenha ouvido falar dele. O cara inventa proibições que vão do sensato (cobrir fotos de revistas pornográfica) a absurdos como mandar fechar lan houses que permitam a menores de 18 jogar jogos violentos (traduzindo, se você tem 17, contente-se com Nascar e o joguinho dos teletubbies).

    E mais, "desaconselhável" não é um termo censurário, apenas uma dica, uma recomendação que não precisa ser seguida, sobretudo se o responsável pelo menor estiver presente. Se as pessoas fossem melhor alfabetizadas não passariamos por tantos problemas...

    O mais irônico dessa brincadeira toda é que você não pode expor seu filho a jogos violentos e filmes com tema adulto, mas se ele quiser pode passar o dia inteiro vendo na TV Márcia, Ratinho, Jornal Nacional, mini-séries e novelas globais com teor erotizante considerável, exibições de bandas com o mesmo teor, e mesmo filmes pornô ou pseudo-pornô.

    E é assim a banda toca....
     
  8. Link

    Link The Hero of Time

    Poxa! Os caras aumentaram o ingresso fazendo com que a inteira anterior quase fosse igual a meia? 8O
    Bom saber... qualquer coisa que tenha com a claro é melhor ficar de fora... a não ser que seja algo imperdível. :|
     
  9. Maritza

    Maritza Back to light Baby!

    Bom meninos...a Tia maritza aqui vai dar uma ajidinha neste tópico interessantíssimo...

    A lei que garante meia-entrada para estudantes é uma Lei federal, ou seja, aprovada para TODO o território nacional. Isso quer dizer que não interessa os disparates dos prefeitos, vereadores e mais o raio que o parta....Lei Federal está acima de todas elas.

    Depois: a meia-entrada é válida para o preço da inteira oficial, não interessam promoções, alojamentos e afins...se a inteira é 80, a meia é quarenta e pronto.

    Mais: o Eru tem toda a razão. QUALQUER documento oficial da instituição de ensino, de qq. tipo (exceto cursos livres e afins) é válida.

    É lógiuco que sempre dá problema. Ninguém quer perder o filão e as empresas se aproveitam da falta de paciência e da pouca vontade de briga da galera para montar em cima.

    Eru...você poderia ir, sim ao Procon ou outro ógão, não só para garantir seu direito de ir ao show, mas também para garantir que isso acabe. Te deram um monte de argumentos inúteis e falhos. Eles continuam instruindo as atendentes a proceder dessa forma porque sabem que as pessoas vão se desgostar e ou acabar pagando a inteira ou desistindo. Isso é exatamente o que não deve mais acontecer.

    Galera! briga sim! Exija sim! Pois vale a pena! :wink:
     
  10. Deza

    Deza Blink

    Pior que aqui também ocorre o mesmo, e ainda tem entraves pra meia-entrada, eu só uso carteira de estudante pra cinema(nunca usei para shows, pois é perda de tempo e da minha paciência) e sem falar que o preço é alto, mas o som das casas de show continuam péssimos, e isso já foi bastante reclamado pelo público, mas nada mudou sobre o fato, hoje a briga em Manaus é outra com relação as passagens de ônibus, vai subir o preço pois as empresas alegam que a meia passagem dos estudantes e mais a entrada gratuita de idosos assegurada por lei, está contribuindo pra que elas tenham prejuizo, a impressão que se tem é que queremn que os estudantes não pagem meia passagem, eu nunca tive carteira pra pagar meia passagem, mas não acho justo que estudantes sejam os bodes espiatórios responsabilizados pelo aumento abusivo das tarifas, ora muitos fazem falsificação das carteiras, usam sem nem tá numa instituição de ensino, usam de terceiros, já é uma luta comprar passes de bus em em filas gigantescas, a população se revolta com o preço de 1,80 na tarifa e quem leva a culpa é os estudantes que realmente precisam, pô sacanagem, é revoltante [antes era 1,50]
     
  11. Omykron

    Omykron far above

    aqui em brasília tentaram fazer a mesma coisa com as Lan-House, mas como os times das LANs era basicamente constituido de menores (eu inclusive fiz parte de uma), o grupo entrou com recurso argumentando o fato da TV e programas violentos, sem contar que o jogo eh apenas DESACONCELHAVEL a menores de 14 anos, ou seja, poder pode, mas o correto naum seria jogar.

    Nenhum estabelecimento excluindo os eróticos, naum podem barrar uma pessoa argumentando uma censura, essa foi abolida e é proibida por lei nesses casos
     
  12. NeoDeSampa

    NeoDeSampa Usuário

    Assim, documentos fáceis para se pagar meia e não gastar nada.

    Vá na secretaria da sua escola e peça o atestado de matrícula. Ande com o Rg na carteira e pronto.

    Ou outros casos, meu pai anda com a carteira da faculdade e rg. porem tem que ser um documento com data, então ele leva o comprovante de pagamento. Ah, ele tem 40 anos. Sóque isso é aqui em São Paulo. talvez aih seja diferente.
     
  13. MetaliuM

    MetaliuM Usuário

    Tudo o que nós, cidadãos e consumidores, temos de enfrentar com preços irreais, atendimento pífio, desconforto, está resumido no Claro Hall. Chega a ser chocante o como os consumidores são banalizados pelo estabelecimento. Quem vai ao show , por favor, não comprem nada la dentro pois voces devem saber que o preço de uma lata de refrigerante, por exemplo, custa algo em torno de 4 reais. Não ajudemos mais ainda a Claro consumindo os produtos na casa, o absurdo dos ingressos ja bastou para a manutenção do ódio que eu tenho da ATL (e agora Claro) há muito tempo.
     
  14. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Aqui, como eu disse, é a mesma coisa que aí, exceptuando estabelecimentos que burlam a legislação com liminares e clausulas, caso da Claro Hall.
     
  15. :clap: mando muito bem...
    infelizmente é isso que acontece mesmo...



    Com certeza!! eu morro de sede mas não compro nada lá dentro!!

    Eu também odeio a Claro desde de a época que era ATL, quando eu tinha um celular de cartão e eles roubavam descaradamente meus créditos....

    E eu também me estressei bastante por causa desse show (Maiden) jah.... eu tive que ir até o Via Parque 3 vezes, e é bem longe da minha casa! Primeiro quando eu fui tentar comprar o ingresso no primeiro dia devendas e descobri que a primeira semana era 'pré-venda' para Credicard, sendo que eu tinha ligado antes e a mocinha não me avisou nada. Fora isso não tinha meia e apesar deu ter levado a lei estadual de 2003 a moça me deu uma liminar de 2002 (e como já citada anteriormente existe a tal lei federal, acima da todas essas...) que era simplesmente impossivel de enteder....
    Eu fui até o procon, fiquei horas na fila pra eles me falarem que eles não resolvem esse tipo de coisa e que eu teria que abrir uma ação contrra a Claro no tribunal de pequenas causa.... como eu não tenho cpf, não dava pra fazer nada.....
    Depois voltei até a Barra pra comprar o meu precioso ingresso, e voltei mais uma vez para reembolsar meus 20 reais (porque eu tinha comprado no preço "promocional") e acabei vendendo meu antigo ingresso para um cambista....

    pois eh... mas quem sou eu que num tenho nem cpf para reclamar de alguma coisa nesse país....


    que feliz!! virei hobbit!! :D
     
  16. Magangster®

    Magangster® Usuário

    Aí Eru minha tia passou por uma situação de injustiça e acionou o Procon,foi contra um restaurante de SP,até hoje ela come de graça naquela espelunca(hahhahahaah). :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:
    Isso aí é uma sacanagem desse povo que monopoliza mercado e manda nos preços,o governo num faz nada a respeito,assim num dá. :disgusti: :disgusti:
     
  17. -Feanor-

    -Feanor- Usuário

    Hoje em dia o estudante não paga meia, o resto é que paga dupla.
     
  18. Knight

    Knight Rider On The Storm

    kralho kra, falou tudo!!! :clap:
     
  19. **Mayumi**

    **Mayumi** Usuário

    carteirinha de prof. de ingles (similar a carteirinha de estudante) é aceita no Cinemark dos EUA, mas Não é aceita no Cinemark do Brasil ... nota: foi aceita no Kinoplex (poderia ter sido erro do funcionário .. mas ele não pareceu indeciso ao analisar a carteirinha) :disgusti:

    só Uma vez que aconteceu de ser aceita... por erro de um funcionário..
    :eh:

    Por que será? .. :think: :?
     
  20. Ithildwyn

    Ithildwyn ...

    Eu não sabia desse lance de não existir censura propriamente dita... Mas em Janeiro de 2002 faltava 2 meses pra eu completar 18 anos e fui tentar assistir Fom Hell no Cinemark Botafogo. Na hora de comprar o ingresso a vendedora viu minha carteira de identidade e vendeu o ingresso (de certo não contou o mês, só o ano)... mas na hora de entrar o cara lá me barrou. Eu estava com a minha mãe, tiveram que chamar a gerente e eu não pude entrar de jeito nenhum, e se bem me lembro tb se recusaram a devolver o ingresso, oferecendo apenas a troca por outro filme (não lembro se a troca foi opção minha ou a única).

    E teve outra vez que fui lá e não aceitaram minha carteira de estudante pq era de curso pré vestibular, em vez de ser do 1º, 2º ou 3º grau. (Depois disso, evito aquele cinema ao máximo).

    E não é só menor de 12 anos que pode pagar meia sempre não, isso é pra qq um com menos de 21 anos (pelo menos em cinemas).
     

Compartilhar