1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Escrevendo na internet

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Edu, 10 Jun 2008.

  1. Edu

    Edu Draper Inc.

    Então, eu estava pensando em fazer um sit para divulgar alguns textos mais sérios (leia-se "nos quais tenho interesses editoriais"), mas fiquei na dúvida: o que será que eu uso? Comecei tentando um Wordpress (louvado seja!) básico, mas sei lá, achei muito simples... aí passei pro Joomla! (o Joomla! é um CMS, usado, por exemplo, na
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ), e agora tô achando muito complexo e, talvez, desnecessário :wall:

    Acho que só o Meia Palavra pode me ajudar agora. Então pergunto: qual a melhor maneira de um autor divulgar seus trabalhos na internet hoje?
     
  2. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Depende, escrevo mal demais, porém sei que se você quer algo simples use um serviço de blogs, se quer algo com maiores possibilides compre um dominio e faça um site usando a linguagem que você preferir. Tenho um blog com as coisas que eu tento escrever e ele supre as minhas necessidades muito bem...
     
  3. Acho que o fator principal não vai ser o lugar onde você vai publicar o texto, apesar de influenciar, é claro. Mas se você divulgar bastante e se os textos forem realmente interessantes, não vai fazer tanta diferença assim, né?

    (ou será que faz? Nunca parei pra pensar nisso :think: )
     
  4. *Ceinwyn*

    *Ceinwyn* Ogra rosa

    Acho que só vale a pena fazer um site caprichado se as sessões forem muitas, e bem variadas. Se não, um blog dá conta direitinho do recado.
     
  5. Anica

    Anica Usuário

    Concordo com a Ceinwyn e a Pepper. Aliás, é só pensar no caso do blog do Meia. A idéia era fazer um site, e até começamos a mexer no joomla, fazer testes e tudo o mais, mas a manutenção era tão difícil que a idéia do site nunca sairia do papel. Aí adotamos o wordpress, que é mais simples mas oferece todas as ferramentas possíveis para fazer com que um blog fique com mais cara de site. O nosso ainda está com um jeitão de blog, mas o outro site no qual esporadicamente colaboro, o Ambrosia, usa Wordpress e o visual não tem absolutamente nada a ver com "blog". -> http://www.ambrosia.com.br/

    Mas eu sinceramente acho que não é o visual que conta nessas horas. Até porque dependendo do caso, pode ser a versão eletrônica dos livros de capa lindérrimas mas que o conteúdo é uma titica (e vice-versa).
     
  6. Psyclowndelic3D

    Psyclowndelic3D Usuário

    A única coisa que você tem que pensar seriamente nesse caso é: Você gostaria que uma editora publicasse esses textos depois? Se a resposta for sim, vale a pena colocar só trechos pois nenhuma editora publicaria um livro com textos [contos, poesias...] que passaram algum tempo na rede.
     
  7. Edu

    Edu Draper Inc.

    Nesse site eu vou publicar apenas textos que não pretendo enviar à uma editora. Eles são ambientados no mesmo mundo da série "mais séria", mas são cronologicamente anteriores a ela, não revelando nada do enredo dos livros, mas situando os leitores nesse novo universo e tals. Aí, se a coisa for bem vista na internet e alcançar um bom número de acessos, talvez as editoras vejam a obra com melhores olhos :g:
     
  8. Psyclowndelic3D

    Psyclowndelic3D Usuário

    Sim sim!
    Assim pode funcionar!
    Fiz esse comentário porque lá na editora recebemos MUITOS trabalhos [acadêmicos e de literatura] que são ótimos mas por estarem disponíveis na internet são recusados.
     

Compartilhar