1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Ergônomia

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Uglúk o Uruk-Hai, 23 Abr 2003.

  1. Uglúk o Uruk-Hai

    Uglúk o Uruk-Hai ... o maioral.

    Eu estava em outro tópico agora, e estava reparando sobre como todos falam das tecnicas utilizadas no design... E então, eu lembrei da ergônomia...

    Q com certesa, e a tecnica q a maioria dos designers deixa de lado... E incrivel oq vc ve por ai de placas q num se podem enxergar direito por causa da posiçao, de letreiros em sites q atrapalham a visão do resto do mesmo... Ou cores q chegam a doer o olho... Alem de ergonomia no design de produtos, como um pé de mesa q faz a mesa cair quando vc se apoia, cadera q doem a bunda a sentar, etc etc...

    Então uma amiga minha, a Helena q fez facul junto comigo, me mandou esse site q eu vou mostrar jajá. E ele me lembrou da parte de ergonomia para deficientes... E como ela e importante no designe para um determinado publico em especial...

    Esse site ilustra bem, e resolve muito bem, um ilustraçao do problema...
    Deem, uma olhada...

    E depois deem suas opinioes sobre o quão e importante a ergonimia, e qto ela é esquecida...

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Se vcs fecharem o olho, e conseguirem realemte não abrir, a experiencia fica mais interessante... 8-)
     
  2. sinalização de transito mal planejada eh um perigo! depois dizem q a profissão de designer naum precisa ser regulamentada pq naum oferece riscos a vida. :eek:

    a maioria dos designers acabam fazendo as coisas baseados no achometro. pq naum conhecem ou naum se importam com as questões ergonomicas. eu to estudando ergonomia esse semestre na facul. sei q ainda naum sei o suficiente. e pelo pouco q eu conheço, sei q eh complicado vc fazer um projeto q atenda a todas as pessoas, tem q fazer o possivel pra atender a maioria.



    alguem conhece algum livro bom, e util, sobre ergonomia cognitiva?
     
  3. Minha mãe é ergonomista... Ela faz tudo isso que o Ugluk falou ali. Ela é empregada por empresas e leva a "equipe" dela (segundo ela, muito renomada) pra ver qual é o problema. Ela reprojeta mesas pra grandes empresas (recentemente, ela reprojetou a mesa de venda da Renner), ela projeta cabines de Pedágio pra que eles não acabem fazendo a pessoa ter que fazer um esforço repetitivo, que resulta numa doença seríssima chamada LER (Lesão por Esforço Repetitivo). Ela também revisa as teses dos alunos... Tem muita coisa, como o letreiro do ônibus... muita gente perde o ônibus pq só consegue ler o letreiro quando ele chega perto, e aí não dá mais tempo de subir, ou até parar o ônibus.

    É uma loucura as coisas que ela me conta... Tem uns lugares onde pessoas trabalham em condicões tão, mas tão precárias que dá até dó de ver. Por exemplo, tem aquela fábrica de talheres de metal chamada Hercules. Ela foi lá e viu o que ERA a fábrica. Gente sentada no chão, com o metal de um lado e a máquina entre as pernas, onde elas iam fazendo as colheres e os garfos no olhômetro. Só de olhar, ela já sabia que essa ia ter que mudar muita coisa. Pra começar, mesa e cadeiras... Depois, melhorar a máquina, que era quase impossível de ser manejada sem ter que fazer muito esforço físico... E depois as faxineiras também quase morriam com ataques asmáticos por causa da poeira do metal. :|

    É coisa desse tipo... Mas é legal de se ver algumas coisas também. Acho até interessante, embora eu não saiba se eu vou querer virar Ergonomista quando crescer. :| :D
     
  4. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Ergonomia de Sinalização, já fiz workshop disso. E na faculdade também tive a oportunidade de ter dois anos de aula de ergonomia, fora as cadeiras de produto...

    Bom, acho que o pessoal já falou bem do assunto, mas cumpre notar que a ergonomia se aplica a quase tudo no design enquanto trabalho com interfaces, sejam elas gráficas ou tridimensionais. Valem para produtos, mas também para conceber interiores, vide exposições, e luz ambiente, se aplicam a dimensões de sinalização interior e de transito, de veículos, dimensões para tudo o que compete interação entre homem e interface material. Até uma fontezinha de computador deve ser trabalhada amparada por princípios ergonômicos de visibilidade e clareza, que o digam os criadores da fonte Chicago, do Machintosh... :mrgreen:
     
  5. Uglúk o Uruk-Hai

    Uglúk o Uruk-Hai ... o maioral.

    Ningiem comentou o site.... :eek:

    Caraca e super ineressante... e vcs nem falam nada! :|
     
  6. Fëaruin Alcarintur ¥

    Fëaruin Alcarintur ¥ Alto-rei de Alcarost

    Isso é uma das coisas que mais me decepcionam nos designers que se formam hoje em dia viu Uglúk; eu estava imerso no meio estudantil de design até o começo desse ano, e só reparava como os alunos; e até mesmo alguns professores; se preocupam mais em impressionar, na aparência, em si, do que a funcionalidade. Era uma das coisas que eu mais gostava de fazer na faculdade: questionar os trabalhos nessa parte funcional e ergonômica; e acredite, o número de alunos, alguns mesmo em trabalhos de conclusão de curso; que ficavam perdidos quando perguntados nesse sentido é assustador. Pra não dizer deprimente, de certa forma.
    :?

    Ainda não olhei o site, depois eu dou uma zoiada e vorto aqui, firmeuza?? 8-)
     
  7. eu ja tinha visto o site. vou tentar comentar alguma coisa:

    navegar em si naum eh complicado, mas eh trabalhoso. eh soh ir seguindo o q o cara vai falando.
    o chato (e q me deu bastante raiva e decepção na hora q tavegando) eh q depois de todo o trabalho pra achar o link, vc naum consegue saber o q ta acontecendo.

    eu ouvi falar q eh facil resolver isso. soh precisa escrever um descrição das imagens no codigo lá (naum sei bem como faz isso). Tem programas q falam tudo q ta escrito e tb leem essas descrições das imagens.
     
  8. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Até tentei ver o site... mas o PC do trabalho non tem certos applets e num roda :mrgreen:
     
  9. Rix

    Rix Usuário

    Muito legal o site! Eu me senti bobo... ficava seguindo a voz - Esquerda, bão é esquerda! Aíií... - eu não consegui ficar com os olhos fechados o tempo todo. 8O
     
  10. Hobbit_de_Cueca

    Hobbit_de_Cueca Usuário

    Eu entrei no site e me surpreendi! Trabalho com design para pessoas com necessidades especiais e não conhecia este site. Mostra como é difícil para a maioria de nós a vida sem um dos nossos sentidos. Imagina então quem não pode sair do site e voltar a usar todos os seus sentidos.

    Só pra citar uns números, no Brasil mais de 14% da população possui algum tipo de deficiência (física, mental, visual ou auditiva), segundo dados do último censo do IBGE. Agora, o difícil é entender como esta enorme fatia da população, cerca de 15 vezes maior que a população da Holanda, não é respeitada pela sociedade e tem que conviver com barreiras ou difíceis de serem superadas ou mesmo intransponíveis.

    Pessoas portadoras de alguma deficiência são marginalizadas pela sociedade, que não dá muitas oportunidades para elas mostrarem seus talentos, seus potenciais e capacidades. Faltam ações em todos os níveis: do governo à iniciativa privada, da banca de jornais ao restaurante. Basta uma rápida olhada ao nosso redor para ver quantas coisas não foram projetadas pensando em todo o tipo de usuário.

    Às vezes, sentia muita vontade de parar fazer o que faço, de tanto descaso que e tanto desrespeito de outros colegas designers que conheço. Mas acabava me lembrando de como é animador e emocionante ver uma criança com necessidades especiais sorrindo ao conseguir se brincar e se expressar com (e como) as demais crianças.
     

Compartilhar