1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[eregion3]A corrupção de Zares [L]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por EduAC, 21 Abr 2012.

  1. EduAC

    EduAC Usuário

    Eu decidi começar o projeto ambicioso e maluco. Muito foi discutido sobre as possibilidades de outros mundos e outros panteões de Valar na obra de Tolkien. Eu então vendo essas discussões acerca disso na area Tolkien decidi unir um antigo projeto meu a obra de Tolkien. Uma vez que ele tinha fortes inspirações Tolkienas e tinha começado como fanfic mesmo, decidi fazer ele voltar as origens. Esse pequeno texto é o ponta pé inicial de tudo no mundo Chamado Vernon.

    Autor: Eduardo de Almeida Carvalho(eregion3)
    Genero: Fantasia
    Titulo: A corrupção de Zares

    No começo dos tempos quando os Imortais ainda construíam Vernon. Zares ficava as vezes olhando as muralhas do mundo perdido em pensamentos, tão complexos e variados quanto as criações que fazia junto aos outros Valar.
    Ficava a olhar a escuridão e o vazio além das muralhas cheio de curiosidade. Porque Al Littüe os tinha confinado a um espaço limitado se tinha tanto mais a ser explorado? Não conseguia entender e também porque seu poder criativo era tão limitado? Não conseguia achar as repostas. Mesmo com todo o seu poder e gloria não achava as repostas que queria. A duvida o consumia.
    Num dos incontáveis dias que ficou a observar as muralhas começou a ouvir no limiar da sua percepção uma voz a chama-lo:
    - Zares....Zares.
    Era um sussurro distante e fraco quase que imperceptível que vinha da escuridão profunda que existia além das muralhas. Assustou-se Zares e se afastou dos limites de Vernon e voltou pra junto do outros Valares . Porém o sussurro continuava em sua mente dizendo:
    - Zares....Zares.
    Zares tentou resistir mas o sussurro conforme o tempo se tornou uma voz, e por ultimo era um grito estridente e ininterrupto. Ele ficava a chama-lo assim.
    -ZARES,ZARES,ZARES,ZARES.... !
    Perto da loucura e do desespero Zares desobedeceu os mandamentos de Al Littüe e atravessou as muralhas e adentrou na escuridão profunda do vazio. No momento em que ultrapassou os limites de Vernon a voz parou. Então ele gritou na escuridão vazia e silenciosa:
    - Cadê você que tanto gritaste meu nome?
    Nada retornou em reposta, apenas o silencio. Pertubado ficou ele e a pensar “O que teria sido aquilo?” ou melhor pensando “O que além que Vernon e seus poderes existiria no vazio?”
    Não encontrou o caminho de volta pra Vernon, estava perdido na escuridão. Vagava sozinho por um tempo que é difícil de se estimar em dias mortais. Naquela época não havia, não era possível fazer esse tipo de contagem.
    - Aonde estás tu que tanto me chamastes! – Continuava a gritar Zares para a escuridão vazia.
    E mais uma vez nada veio em resposta. Continuou com seu espírito vagando pela escuridão do vazio. Até pra sua terrível surpresa viu um navio ou barco com uma potente luz a navegar pelo vazio. O que seria aquilo? Eles não seriam os únicos ali?
    - Viste como foste enganado, Zares – Falou a voz que o chamara.
    - Enganado? Al Littüe nunca mentiu pra mim – respondeu ele.
    - Al Littüe? É assim que vocês desse mundinho meio esquecido de Vernon o chamam? Engraçado o mesmo assim chamado por você é conhecido como Eru por aquele viaja no barco.
    - Aquele que viaja no barco? Como isso é possível? Não criamos nada ainda – confuso questionou Zares.
    - Vocês de Vernon não, mas seus irmãos daqui sim – Falou a voz a escuridão começando a gargalhar.
    - Mas Al littüe nunca falou disso pra mim e nem pra outros dos meus irmãos – Indagou Zares.
    - Não, porque talvez ele não quissesse que vocês soubessem. Por isso talvez os queria prender em seu esquecido mundo e não ver as glorias que existem além dele – afirmou a voz da escuridão.
    - Mas porquê não poderia ver as glorias desse mundo aonde chamam Al Littüe de Eru, sou tão forte, poderoso e belo quanto qualquer um dos que criaram esse lugar – afirmou orgulhoso.
    - Porquê eles fizeram isso comigo. Destruiram meu corpo e me exilaram porque não me deram o direito de ser igual a eles na criação – Começou a tentar enganar e seduzir Zares a voz da escuridão.
    - Isso é ridículo, eu sou Zares o mais poderoso dentre meus irmãos. Seja quem for esses que habitam e construíram esse lugar não podem negar a minha entrada – Falou assim ele se enfurecendo e ardendo em chamas tão brilhantes quanto uma estrela jovem.
    -Acalme sua fúria irmão, junte-se a mim e juntos poderemos ver e controlar as glorias desse mundo e seus poderes de criação seriam ilimitados.
    - Eu? Porque faria isso? Ainda tenho minha missão em Vernon e tenho de termina-la. Seus problemas pertencem a você, não preciso desse mundo quando tenho o meu. O farei mais belo que esse.
    E a escuridão gargalhou.
    - Porque ri?
    - Estás sendo tolo assim como eu fui. Acredita mesmo que o deixaram fazer o mundo tão belo como desejas? – Indagou a voz da escuridão.
    - Eu sou o mais poderoso de todos eles, ajudo a todos em suas criações. Possuo a habilidade de todos eles. Posso fazer tudo o que eles fazem, se fizeram de um jeito, posso fazer de outro melhor do que eles fizeram. Não preciso que deixem nada. Alias porque perco meu tempo aqui falando com você quando tenho tanto a fazer – Falou isso Zares deixando a escuridão e voltando pra Vernon.
    Sozinho sem a presença de Zares, Melkor gargalhou, mais uma vez suas mentiras tinham corrompido alguém.
    Assim voltou Zares cheio de orgulho e ambição em seu coração. Dessa forma pelas mentiras de Morgoth a discórdia começou em Vernon mesmo distante de Arda.
     
    Última edição: 1 Mai 2012
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Passei uns dias sem visitar o Clube dos Bardos e na volta encontro texto novo ^^ Gostei da história e achei a ideia muito criativa. Haverá alguma continuação dessa também?
     
  3. EduAC

    EduAC Usuário

    Sim, na verdade A queda das sete estrelas é em Vernon. Mas terá uma continuação propriamente dita dessa historia. Bem na verdade não será uma continuação, pq essa historia era só pra falar como Zares foi "corrompido" por melkor. A "continuação" aparecerá o Zares tambem mas abordará um tema diferente.
     
  4. Eu notei que se tratava do mesmo mundo que você descreve em "A queda das sete estrelas". Achei muito interessante essa ideia do Zares ser corrompido pelo Melkor e do mundo do Tolkien ter uma relação bem direta com Vernon. Vou aguardar seus próximos textos.
     
  5. EduAC

    EduAC Usuário

    é essa ideia veio, depois que eu li um topico na area tolkien. Foi o Ilmarinen que falou isso, sobre pantões de Valar fora de Arda. Então eu tive a ideia de transformar os Imortais de Vernon em Valar e Al Littüe em Eru. Tentei dar uma revolucionada nas fanfics :P
     

Compartilhar