1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[ENTREVISTA] Acelerador LHC dará força a teoria unificadora da física

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 23 Fev 2011.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    O físico e matemático americano Edward Witten é hoje um dos principais nomes da teoria das cordas: uma ideia antiga da física que afirma que as menores unidades formadoras da matéria e da energia (incluindo a luz) são cordas vibratórias.

    Apesar de ainda não ser comprovada, já que as cordas nunca foram "vistas", Witten aposta que a teoria terá avanços significativos nos próximos anos, informa reportagem de Sabine Righetti.

    O cientista ficou conhecido internacionalmente ao encabeçar uma revolução recente na física teórica. Ele e seus colegas uniformizaram cinco variantes das cordas, em 1995, ao criar a "teoria M", considerada a versão mais robusta da ideia.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Edward Witten no Instituto de Física Teórica da Unesp, em São Paulo, defende teoria das supercordas​

    Enquanto esteve no Brasil para um curso no Instituto de Física Teórica da Unesp (Universidade Estadual Paulista), Witten disse que os aceleradores de partículas, como o LHC, poderão validar a teoria em breve --um grande passo para uma visão definitiva das leis que regem o Universo.

    Folha - O sr. é hoje um dos principais nomes da teoria das cordas. Como explica as cordas e o fato de não haver ainda comprovação para ela?

    Edward Witten - Na física moderna, há duas teorias importantes: a mecânica quântica, que trata dos átomos e das partículas subatômicas, e a teoria da relatividade, de Albert Einstein, que trabalha as grandes escalas do Universo. As cordas são uma tentativa de unir essas duas teorias a partir de um modelo único que descreva, com eficiência, as diferentes forças da natureza [a teoria das cordas descreve a formação da matéria ao afirmar que a menor unidade da matéria são "cordas" em movimento].

    Mas há quem diga que as cordas são quase uma "profecia", já que não há dados experimentais sobre elas.

    A teoria não tem nada de profética. Alguns cientistas não a entendem direito e não compreendem porque ela ainda não foi comprovada. Outras teorias da física, como a mecânica quântica, estão mais desenvolvidas. Só isso.

    Essa comprovação virá pelos experimentos com os aceleradores de partículas?

    A teoria das cordas tem mais de 40 anos, mas ainda faltam algumas explicações. Os aceleradores de partículas como o LHC [o acelerador de partículas mais potente do mundo, que fica em Genebra, na Suíça] podem explicar a natureza e revelar indícios de outras dimensões. Por isso, poderão contribuir para explicar as cordas.
    As cordas [conforme postulado pela teoria] vibram em 11 dimensões, sendo três dimensões espaciais, a dimensão do tempo e outras tantas que não conseguimos perceber. Os aceleradores podem mostrar isso. Eu conheço alguns cientistas que trabalham no LHC, e temos mantido contato. Não acho que a comprovação da teoria venha em dez anos, como dizem por aí. Nem sei de onde veio a ideia de "dez anos". A comprovação pode vir antes.

    A teoria também trata da origem da matéria. Por que existe uma obsessão para explicar o começo de tudo?

    Porque isso é realmente fascinante. Há muitas perguntas sem resposta. É normal que a gente queira achar respostas, e existem muitas possibilidades sendo levantadas. Há físicos que dizem que o Universo está dentro de um buraco negro. Não há evidências suficientes para isso, mas a ideia faz sentido. Se o Universo estiver num buraco negro, ele será o máximo que você conseguirá enxergar. E, como os buracos negros são realmente muito grandes, sim, nós podemos estar dentro de um deles.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Vamos torcer para que ele e seus colegas consigam conciliar definitivamente as observações das duas teorias.

    Eu penso que realmente o universo visível possa ser composto de flutuações de um vórtice de forças (criado no começo do universo) que organizou a energia inicial pré-universal, mas já não teria certeza suficiente para afirmar que seria um vórtice semelhante a um buraco negro clássico, daqueles dos centros das galáxias. Para isso teríamos que conhecer melhor os buracos negros e isso passa por dominar melhor alguns conceitos básicos que ainda estão em construção.

    A parte mais interessante é a que fala das dimensões ocultas das cordas. Para estudá-las eles terão examinar o sistema de comunicação que relaciona essas dimensões as nossas dimensões comuns. Da forma como falam as cordas são a intersecção ou ponto aonde se cruzam essas dimensões.
     
  3. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Nada de novo.
    Ainda apenas as promessas de 40 anos atrás.
     
  4. Conan

    Conan Cavaleiro Pendragon

    e até agora, buraco negro "que é bom", nada!!!
     

Compartilhar