1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Ensaio sobre a Cegueira (José Saramago)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por imported_Nanda, 7 Fev 2009.

  1. imported_Nanda

    imported_Nanda Usuário

    Estava procurando um tópico para comentar sobre o livro e qual não foi a minha surpresa ao ver que só há um tópico do Saramago, e é falando sobre o Ensaio sobre a Lucidez. Sobre a Cegueira mesmo, só tópico do filme. Ai vim aqui dar a minha opinião.

    Ensaio sobre a Cegueira fala sobre uma cegueira branca como o leite que de repente começa em uma pessoa e vai se espalhando em todo mundo menos em uma personagem. Essa personagem que, assim como os outros, não possui um nome em específico, consegue ver e conforme a história corre, ela passa a "guia" do marido e de algumas pessoas que entraram em quarentena devido a essa cegueira que ninguém conhecia nem tinha a cura.
    O livro fala, na minha opinião, sobre a humanidade, ou a perda dela. Saramago tem um jeito confuso de escrever, e talvez quem não leu acabe estranhando ver tudo, inclusive falas, em um só parágrafo. Mas eu achei que, apesar de um pouco confuso às vezes, deixa a leitura fluir de uma maneira fácil.
    Me disseram que era um livro difícil e que deveria ser lido devagar, eu tentei mas não consegui, li relativamente rápido e mesmo assim consegui captar a mensagem que a história manda. Para quem não leu, vale a leitura, e se alguém já viu o filme, vale a pena ler mais ainda.
     
  2. .Penny Lane.

    .Penny Lane. Usuário

    O livro é excelente mesmo, sem exagero um dos melhores que já li na vida. Fala mesmo sobre a humanidade, Saramago vai mostrando aos poucos a degradação das pessoas cegas. É chocante aonde a sociedade descrita por ele conseguiu chegar, o nível de decadência, causado pela cegueira... também li ele todo de uma vez. Fiquei muito confusa com a linguagem, mas até que me acostumei rápido. No meio do livro eu só precisava voltar nos diálogos de vez em quando, pra saber quem estava falando o que.

    Uma parte que eu acho legal é quando a menina dos óculos escuros diz que

    "Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos."

    Não lembro é exatamente assim, mas se não for é algo parecido.
     
  3. Jô Oliveira

    Jô Oliveira Usuário

    Pra mim, sem dúvida, o melhor livro já escrito. De arrepiar.
     
  4. Anica

    Anica Usuário

    Foi uma experiência tão forte para mim que depois de muitos anos mexi na minha lista de favoritos e incluí esse livro nela. Eu lembro que ficava com raiva de personagens, ficava com pena de outras, ficava tensa na expectativa do que aconteceria com o grupo principal. E eu acho que qualquer livro que faça você sentir tanta coisa assim *é* um livro especial.
     
  5. Ramalokion

    Ramalokion Mecha-de-Folha

    Bom que é um dos livros "top" do Velho que, via de regra, sempre escreve livros top, eu concordo. Mas ainda tenho "O Evangelho Segundo Jesus Cristo" como o melhor dele...

    Intermitências da Morte também é genial... e tão curtinho, mas tem uma quantuidade de frases/diálogo geniais por página que poucos livros conseguiram...
     
  6. imported_Nanda

    imported_Nanda Usuário

    Qdo terminei o livro, ele já tinha mexido comigo mais do que eu imaginava, já tinha passado do nível de gostar ou não dos personagens, eu fiquei foi com uma sensação bizarra. Constantemente eu repetia que tinha perdido a fé na humanidade, pq eu sei que a humanidade é passível de agir de maneiras grotescas, mas logo depois eu pensava da mulher do médico e relaxava já que bem, vai ter sempre alguém que vai poder enxergar o mundo de outra forma, nisso eu não perdi a fé.

    Agora quero muito ler Ensaio sobre a Lucidez.
     
  7. Excelente mesmo esse livro. A história é narrada de um modo fantástico, faz você sentir a agonia dos personagens.
    TOTALMENTE recomendado.
     
  8. Iago Morais

    Iago Morais Usuário

    Esse livro foi um dos melhores que já li... Saramago me surpreendeu de tal forma que virei fã do livro!
    Apesar de não ter gostado muito do filme,as duas obras estão divinas! Recomendo!
     
  9. west

    west Usuário

    Penso que o Saramago quis deixar o verdadeiro sentido do livro nas entrelinhas. Está claro que a cegueira contagiosa é apenas uma metáfora de algo real, quem sabe até de algo bastante comum no nosso dia-dia.

    Na opinião de vocês, o que mais poderia se parecer com a cegueira descrita por saramago?
    Tenho um palpite.
     
  10. Anica

    Anica Usuário

    Eu acho que tem relação com a fina fronteira entre nossa "civilidade" e nossa "bestialidade". Fica claro ao longo de toda a história que não é preciso privar um homem de muita coisa para transformá-lo em um animal, capaz de fazer qualquer coisa para sobreviver.
     
  11. imported_Wilson

    imported_Wilson Please understand...

    Indiferença?
     
  12. Ramalokion

    Ramalokion Mecha-de-Folha

    Estou com a Ana.

    A cegeuira da história serve apenas como mote de uma siatuação onde nossa civilidade é posta a prova. Eu concordo com o Velho quando ele mostra as pessoas ficando cada vez mais "homens das cavernas", mas nada me tira da cabeça que haviam muitos cegos que mantiveram valores morais e civilizados (por assim dizer) apesar de tudo.
     
  13. Anica

    Anica Usuário

    bom, o grupo do médico foi o que mais próximo esteve de manter os valores morais e civilizados e mesmo assim os homens entregam as mulheres para que façam sexo por comida. eu não acho que dessa cegueira do saramago qualquer um tenha escapado. aliás, a figura da mulher do médico aqui é bem importante para os politicamente corretos (e chatos) de plantão: ela não fica cega, mas segue os mesmos caminhos que os demais.
     
  14. imported_Nanda

    imported_Nanda Usuário

    Eu acho que a cegueira é a perda da "humanidade" em si, que engloba então tb o que a Anica disse sobre o civilizado/bestial. As pessoas deixam de se importar com certas coisas e passar a aceitar outras só para sobrevivência. Acho que a mulher do médico segue os caminhos dos demais em parte - no hospício ela tem que fazer o que os outros fazem até contar que enxergava, mas talvez por ainda enxergar ela se importa mais com os outros, fora outras questões como a imundice por exemplo. Ela ainda mantém dentro de si sua humanidade, por mais deturpada que seja por conta do que aconteceu ao seu redor, por mais que ela tivesse que viver de certa forma como eles. É como se ela fosse a lembrança de que existia ainda uma esperança para as pessoas.
     
  15. Anica

    Anica Usuário

    Eu concordo que ela mantem um pouco da moral humana, vamos dizer - ela é a única que parece se incomodar com a sujeira e com tudo o que vê (aqui vale uma pergunta: e o cheiro? quer dizer, só pq eles não viam a sujeira não significa que o fedor não fosse insuportável, não é?). Mas por outro lado ela fere um sujeito, aproveitando-se do fato de não estar cega, não? (o não aqui é para confirmar mesmo, li no começo do ano passado e já estou misturando um pouco as coisas). Em teoria, ela fica tão animalesca quanto, ao ferir o outro daquela forma, mesmo que exista a justificativa de "proteger o grupo". Leões também atacam para "proteger em grupo".

    Meu palpite sobre a mulher do médico é que ela é ao mesmo tempo o grupo de controle da teoria do Saramago (de que basta pouco para que deixemos de ser "humanos") e como prova de que a sociedade pode tragar qualquer um para o modo que vive.
     
  16. clandestini

    clandestini Cylon ou

    Eu li recentemente e fiquei fortemente emocionada. Um livro que desperta emoções é sempre bom. Senti raiva, nojo, pena, alegria, tristeza, melancolia, medo. Chorei. Cada momento do livro traz reflexões diversas sobre nossa existência, nossa essência.
     
  17. Oseas

    Oseas Usuário

    Nunca li nada desse autor. Já ouvi falar bastante sobre esse "Ensaio sobre a cegueira". Fiquei curioso para ler. Deve ser bem interessante...
     
  18. Shaytan

    Shaytan Usuário

    Estou lendo esse livro, e confesso que estou embasbacado, muito bom mesmo, o interessante é a leitura, o fato de não ter pontuação nas perguntas etc, a principio achei que seria complicado ler, mas esta fluindo naturalmente. Nunca tinha lido nada do Saramago, então aqui vai uma pergunta mais besta =X...todos os livros dele são nesse estilo? sem interrogação, exclamação etc?
     
  19. Ramalokion

    Ramalokion Mecha-de-Folha

    Yep. Mas vc acostuma, acredite.
     
  20. Shaytan

    Shaytan Usuário

    Me acostumei fácil, nunca tinha lido nada parecido, achei muito interessante, ja estou pensando em comprar mais livros desse cara :sim: .
     

Compartilhar