1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Em livro, ex-funcionária do Facebook detona a rede social e Zuckerberg

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 13 Jul 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Katherine Losse, uma das primeiras integrantes da diretoria do Facebook, resolveu contar sua experiência no maior site de relacionamentos do planeta. O resultado é um polêmico livro, que ainda não chegou ao Brasil, chamado “The Boy Kings” (Os Reis Meninos).

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    O polêmico livro da ex-funcionária do Facebook ainda não chegou ao Brasil (Foto: Reprodução)​

    Contratada em 2005 e demitida em 2010, Losse trata de assuntos curiosos na publicação, como o machismo e a hierarquia da companhia, o processo criativo em torno de funcionalidades, além de detalhes “íntimos” do dia a dia dos empregados da empresa.

    Algumas revelações não passam de fofocas diárias, enquanto outras têm certa relevância. Losse diz que se demitiu da rede social porque o propósito para o qual a página foi criada "estava se perdendo".

    Ela revela ainda que as poucas mulheres que trabalham no local são constantemente assediadas e recebem propostas indecentes, além de terem que usar camisas com fotos de Mark Zuckerberg no aniversário dele. Um outro exemplo de assédio moral era incentivar os empregados a morar perto do trabalho para o caso de alguma emergência.

    Segundo a ex-funcionária, o Facebook se tornou "um exército". Ela afirma que a intenção de Zuckerberg e seus soldados era de conquistar o mundo – o que o fundador sempre garante ser possível por meio de uma empresa.

    Katherine revela que, depois que outras redes sociais começaram a fazer sucesso, a ordem que vinha de cima era simples: tentar incorporá-la, ou por meio de aquisição (como no caso do Instagram) ou desenvolvimento de características parecidas (citando o Foursquare) com o lançamento do Places. Para a autora, nasceu ali uma obsessão em busca do topo.

    Ela ainda conta sobre algumas funcionalidades que acompanhou e nunca saíram do papel, além de falar sobre seu acesso a qualquer conta de qualquer usuário do mundo – independente de suas configurações de privacidade.

    A ideia do livro, obviamente, é desmistificar um pouco a imagem de que Mark Zuckerberg é um grande gênio trabalhador e um ótimo patrão. Além, é claro, de mostrar que o que pode parecer um emprego dos sonhos pode acabar se tornando uma tarefa complicada. Segundo a ex-diretora, há regras rígidas, como sempre estar usando o Facebook, nunca sair cedo, fazer hora extra se necessário e, claro, nunca falar mal da plataforma.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  2. Maniac

    Maniac Usuário

    Será que não é só uma ex-funcionara do Facebook tentando lucrar exagerando alguns fatos?
    Eu achei engraçado as mulehres terem que usar uma camiseta com a foto dele do aniversário dele :lol:
     

Compartilhar