1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Em biografia visual, jornalista abre o baú de esquisitices de Kurt Cobain

Tópico em 'Música' iniciado por Anica, 29 Dez 2008.

  1. Anica

    Anica Usuário

    Vale a pena continuar lendo a reportagem aqui -> http://g1.globo.com/Noticias/Musica/0,,MUL937638-7085,00-EM+BIOGRAFIA+VISUAL+JORNALISTA+ABRE+O+BAU+DE+ESQUISITICES+DE+KURT+COBAIN.html
    tem algumas fotos bastante curiosas do Kurt. Legal para quem é fã =]
     
  2. Breno C.

    Breno C. Usuário

    O que eu não entendo no Kurt é o seguinte: como um cara sem muito talento, sem sanidade, sem boas idéias e com um perfil suicida pode ser tão venerado?
    Elvis e Beatles eu até entendo, mas o Kurt não. Ele é basicamente um copião, além de que existiam bandas muito melhores (usando o conceito da crítica) que o Nirvana.
    Acho que se existe uma explicação, podemos dizer que é carisma, porque ele ninguém explica logicamente.
     
  3. Anica

    Anica Usuário

    Não acho que ele seja uma nulidade como músico, alguma contribuição ele fez. E eu não sei bem quantos anos você tem, Breno, mas para quem era pré-adolescente e/ou adolescente e ouvia rock na época que o Nirvana surgiu, ele foi um ídolo no mesmo nível que o John ou o Paul para a geração que viu os Beatles ao vivo. No caso dele, a coisa ia além da música.

    Em tempo: você falou em crítica, mas bem, a Rolling Stone, por exemplo, colocou Nevermind em 17º na lista dos melhores albuns de todos os tempos.
     
  4. Breno C.

    Breno C. Usuário

    De boa?! Música independe de idade. O caso do Nirvana foi tendência, tanto que se o Kurt ainda tivesse vivo e não reestruturasse seu estilo, acabaria com o mesmo final que o Stone temples pilots que também foi febre na época.
    Quando o Nirvana fez sucesso, eu tinha 4 anos e só escutava o que meus pais ouviam, mas mesmo depois de crescidinho, não passei a gostar de Nirvana como mais da metade das pessoas que eu conhecia. Mas bastou ouvir Pearl Jam e Soundgarden, também contemporâneos ao Nirvana, uma vez para saber que eu ouviria aquilo para o resto da minha vida.


    Pode ter certeza que a Rolling Stone não está na minha lista de críticas a se levar em conta.

    Só para não dizer que eu sou um completo herege do grunge, até porque é o estilo que eu mais ouço, posso dizer que tenho o Nevermind original.
     
  5. Anica

    Anica Usuário

    Não, não independe. Há diferença entre o que você absorve em uma época e o que absorve em outra, e como absorve isso. Funciona para cinema e literatura, não é diferente para música. Você pode curtir um som anos depois de ele ter sido criado, mas a experiência de ouvir aquela música nunca é a mesma de quem ouviu na época em que ela foi criada, porque anos depois você já tem na bagagem a influência de 'n' outras bandas e composições e o que é genial e inovador para alguns não é para você porque a maior parte das bandas que você ouve atualmente na verdade copiam o que foi feito anteriormente.


    Exemplo meio ruim, heim? Stone Temple Pilots só fez sucesso porque foram lançados com a música "Plush", na qual o vocalista imitava o Eddie Vedder, ou seja, aproveitaram a onda do sucesso de outra banda. Esse não é o caso do Nirvana, que conquistou um espaço com músicas próprias. Aliás, se fosse para comparar com bandas da época, eu compararia justamente com o Pearl Jam, que por sinal está aí até hoje.

    Outra: você fala em reestruturar estilo, mas In Utero já era algo completamente diferente de Nevermind. Eles certamente não eram só uma banda curtindo a "modinha" do grunge.

    Isso já é uma questão de gosto. Também prefiro Pearl Jam ao Nirvana, mas isso não faz diferença sobre o impacto mundial que a banda causou. Causou, goste você deles ou não.


    Breno, dizer que não é crítica a se levar em conta não é bem o tipo de argumento que eu espero em uma discussão. Cite as críticas que falam mal do Nirvana então, de preferência críticas que são reconhecidas mundialmente, e não o blog do zé da esquina, só porque ele concorda com você.

    Você não é grunge. Você é alguém que ouve o som feito em Seattle nos anos 90. Como eu disse anteriormente, essa é a diferença básica entre quem entende porque Kurt é um fenômeno até hoje em dia e quem não entende. Só quem viveu de fato aquela época entende.
     
  6. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Antes de tudo, lembrando sempre que o ser humano sempre terá opiniões diferentes e é legal respeitá-las.
    E não estou dizendo que alguém me desrespeitou.

    Não vou responder isso.

    Nem acho um exemplo ruim. É um exemplo grunge e talvez por isso ele não seja tão abrangente. Ai é o caso de eu não ligar uma coisa com a outra. Fazer sucesso dentro do cenário do estilo da banda é uma coisa muito diferente de fazer sucesso mundial, comparar os dois é que foi o meu erro.

    Houve algum álbum DE ESTUDIO depois do In Útero? Não! Então não perderei tempo argumentando.

    Concordo, pura questão de gosto! Mas também não associei o fato de eu gostar ou não tem algo a ver com o "impacto mundial". Se você ler o que eu escrevi lá na frente, vai ver que eu falo que não intendo o porque do impacto e em momento nenhum nego ele.

    Graças a deus, os críticos que eu dou ouvidos nem tem blogs e alguns nem sabem o que é isso.
    Em questão de mídia, atualmente o único crítico que eu leio e dou algum valor para o que fala, é o carinha que escreve para o jornal O Globo, mas não lembro o nome.

    Apesar do mimimi, em momento nenhum eu disse que era grunge, na verdade nunca cai nessa de me afirmar alguma coisa. Erro básico cometido por quem acha que escutar música é se aliar a grupinhos.
     
  7. imported_?

    imported_? Usuário

    Nirvana foi muito além da música. E a música às vezes vinha antes do comportamento que eles ditavam. Era uma coisa de "tô nem aí", "nesse mundo de m**** não precisamos ligar pra nada", "vamos gritar e não tomar banho" rsrsrs. Isso era o máximo. A falta de "boas idéias" fazia parte do "marketing". Aquele cabelo sujo, as roupas velhas e amarrotadas, tudo isso não era por acaso, cada detalhe era pensado. "Como se parecer mais rebelde possível".
    Se você for analisar bem, olha só o fenômeno RBD, eu não conheço uma música sequer deles, mas também ditaram modas comportamentais.

    Às vezes a morte de um vocalista carismático é um golpe poderosíssimo para manter a banda no topo do Olimpo por muitos e muitos anos... Na época que o Kurt se suicidou, quantos casos de fãs também não se suidaram na mesma semana. Isso eu vi em um documentário. Inclusive ainda hoje pessoas se suicidam por causa do fato. Então o suicídio em si também é venerado.

    Eu fui adolescente na época, inclusive eu andava com blusão xadrez e calça jeans rasgada no joelho, só que as músicas que eu ouvia não me agradam tanto agora. Aqui em casa tem três CD's do Nirvana e eu gosto muito do Acústico deles. :)
     
  8. Anica

    Anica Usuário

    Bom, trazendo para cá já o final do seu post, você me desrespeitou com expressões como "Apesar do mimimi". Então não adianta falar que é legal respeitar opinião se você não sabe se expressar sem atacar.

    Porque não sabe contra-argumentar? Assim fica difícil, Breno. Eu posso dizer "não vou responder isso" para qualquer coisa para a qual eu não tenha resposta, e pronto. Aí isso não é um debate, é só um "vou colocar minha opinião aqui e só".

    Stone Temple Pilots em teoria não é grunge. Ser uma banda alternativa dos anos 90 com um vocalista imitando o Eddie Vedder não faz dessa banda grunge.

    Você não está argumentando. Na verdade em todos os momentos em que era para argumentar, você fez exatamente o que fez agora. Outra coisa, é óbvio que não teve outro álbum de estúdio após In Utero, porque o Kurt morreu. A questão é que você não pode negar que houve uma evolução de Nevermind para In Utero, e era sobre isso que eu estava comentando.

    E eu só disse que você não entende o impacto porque não viveu naquela época.

    Bom, "não lembro o nome" não serve. De qualquer forma, arrume o artigo em que esse crítico cujo nome você não lembra que esteja espinafrando o Nirvana, que aí você pode embasar sua opinião nas dos outros. Porque fora isso, qualquer um pode chegar aqui e dizer que a crítica ama ou a crítica odeia, e isso não vai dar em nada.

    Ok, my bad. Li "um completo herege grunge", e não "do grunge". De qualquer forma, eu não vou perder mais meu tempo argumentando com você Breno, até porque eu sou a única que está argumentando. Não é a primeira vez que começamos a discutir sobre um assunto aqui no Meia e você simplesmente não aceita ser contrariado, partindo até para a hipocrisia de falar sobre respeitar e você mesmo não respeitar. Enfim, nada pessoal.
     
  9. Breno C.

    Breno C. Usuário

    :rofl:
    O mimimi era meu, não seu...
    XD Não seria burro de dizer que você ta fazendo mimimi.
    :rofl:


    Mas então... eu podia ficar horas e horas aqui nesse passa e repassa de afirmações, mas os fatos para mim são:

    1 - Ainda não entendo o porque do impacto e pode ser que você esteja certa sobre ter vivido na época (e é nesse momento que eu levanto aos mãos para o seu e digo: Obrigado senhor!);
    2 - Certa parcela do que agente discutiu era pura questão de gosto;
    3 - Se Stone temple pilots não é grunge, pularei da janela do 28º andar (isso porque eu trabalho no 3º)
    4 - Qual foi a outra discussão que rolou antes? Sinceramente não me lembro.

    OBS: o mimimi era realmente para mim, porque em determinado momento eu estava sendo muito chato e me prolongando sem necessidade.

    E poderia afirmar que você me ofendeu me chamado de hipócrita
    Mas nem vou, porque sei que você só fez por achar que o "mimimi" era para você.
     
  10. Liv

    Liv Visitante

    Eu gosto das coisas que fujam da idéia dos fãs xiitas que a Courtney matou o Kurt. Achei o material interessante (incluam a discussão também XD).
     
  11. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Eu seja: Liv gosta de ver o circo pegando fogo...

    Brincadeira Carol...XD
     

Compartilhar