1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Autor da Semana Eleanor H. Porter e o famoso jogo do contente.

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Lynoka, 27 Dez 2013.

  1. Lynoka

    Lynoka Like a lady, ya!

    Eleanor Hodgman Porter (19 de dezembro de 1868 - 21 de maio de 1920) foi uma romancista estadunidense.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Nascida em Littleton, Nova Hampshire, Eleanor Hodgman foi treinada como cantora, mas mais tarde enveredou-se para a escrita. Em 1892, casou com John Lyman Porter e se mudou para Massachusetts. Porter escreveu principalmente sobre literatura infanto-juvenil, incluindo três livros Miss Billy (Miss Billy, Miss Billy's Decision, and Miss Billy Married), Cross Currents (1928), The Turn of the Tide (1928), e Six Star Ranch (1916).
    Seu romance mais conhecido é Pollyanna, e escrito de outras maneiras sendo baseado na estoria original como a obra de Paulo Jose(de acordo com a universidade de letras do rio de janeiro) (1913), sendo lançado posteriormente Pollyanna Grows Up,(no Brasil, Pollyanna Moça) (1915). Seus romances adultos incluem The Story of Marco (1920), Just David (1915), The Road to Understanding (1916), Oh Money Money (1917), Dawn (1918), Keith's Dark Tower (1919), Mary Marie (1920), e Sister Sue (1921); suas histórias curtas incluem "Money, Love e Kate" (1924) e "Little Pardner" (1927).
    Ela faleceu em Cambridge, Massachusetts, em 1920.

    Pollyanna

    Pollyanna é um romance , publicado em 1913 e considerado um clássico da literatura infanto-juvenil.
    O livro fez tanto sucesso que a autora publicou em 1915 uma continuação, chamada Pollyanna Grows Up (no Brasil, Pollyanna Moça). Mais onze Pollyannas se seguiram, muitas delas escritas por Elizabeth Borton ou Harriet Lummis Smith. A mais recente sequência de Pollyanna foi publicada no meio dos anos 90, escrita por Colleen L. Reece.
    Em 1920 foi lançado o primeiro filme baseado no livro, com Mary Pickford e dirigido por Paul Powell, um clássico do cinema mudo.
    Em 1960 foi lançado o filme Pollyanna, dirigido por David Swift e com Hayley Mills no papel-título e Jane Wyman no papel de tia Polly .

    Sinopse - Pollyanna - Eleanor H. Porter
    A pequena Beldingsville, uma típica cidadezinha do início do século XX na Nova Inglaterra, Estados Unidos, nunca mais seria a mesma depois da chegada de Pollyanna, uma órfã de 11 anos que vai morar com a tia, a irascível e angustiada Polly Harrington. Por influência da menina, de uma hora para outras tudo começa a mudar no lugar. Tia Polly aos poucos torna-se uma pessoa melhor, mais amável, e o mesmo acontece com praticamente todos os que conhecem a garota e seu incrível "Jogo do Contente". Uma otimista incurável, Pollyana não aceita desculpas para a infelicidade e emprenha-se de corpo e alma em ensinar às pessoas o caminho de superar a tristeza.

    Jogo do Contente:

    SPOILER
    Para quem não conhece a história, trata-se de uma menina, Pollyanna, filha de um missionário muito pobre. Ela aprende com seu pai o Jogo do Contente quando espera ganhar uma boneca, mas acaba ganhando um par de muletas. Seu pai, para não vê-la triste, mostra que ela deveria ficar contente pelo fato de não precisar das muletas. E, desde então, ela procura sempre ver o lado bom das coisas e repassa esse ensinamento para todas as pessoas, jogando o Jogo do Contente. Aos 11, quando fica órfã, vai morar em outra cidade com sua tia rica e esnobe. Pollyana consegue transformar a vida de todos a sua volta, trazendo alegria e otimismo.

    “Muitas vezes me acontece de brincar o jogo do contente sem pensar. A gente fica tão acostumada que brinca sem saber. Em tudo há sempre alguma coisa capaz de deixar a gente alegre; a questão é só descobri-la.” – Pollyanna
     
    • Ótimo Ótimo x 3
  2. Lynoka

    Lynoka Like a lady, ya!

    ps: É incrivel como tem poucas informações sobre a Autora e a Obra :think:
     

Compartilhar