1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Eike Batista, um superpai?

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Artanis Léralondë, 27 Mar 2012.

  1. Artanis Léralondë

    Artanis Léralondë Ano de vestibular dA

    Eike Batista, um superpai?

    Na noite de sábado, 17/3, Thor Batista, 20 anos, atropelou Wanderson Pereira dos Santos, 30 anos, na rodovia Washington Luís, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. Wanderson morreu na hora. De imediato, Eike Batista, o homem mais rico do Brasil, passou a defender o filho de todas as maneiras – e também no microblog twitter. Com tanta veemência que o humorista Tutty Vasques comentou em sua coluna no Estadão, de 21/3: “Não satisfeito com o lugar de destaque que ocupa na mídia como o homem mais rico do Brasil, o insaciável Eike Batista tem se esforçado um bocado para virar capa de revista como o Pai do Ano em 2012”. A observação é aguda, como costuma ser o humor de qualidade.

    E é algo que vale a pena pensar: ao defender o filho com os melhores advogados, com assessores de imprensa e com seu próprio discurso público, Eike Batista é mesmo um superpai? O que se espera hoje de um pai, afinal?
    Ainda que a maioria tenha acompanhado o noticiário, é importante recordar os principais capítulos e seus protagonistas, antes de seguirmos adiante. Assim como é importante fazer algumas perguntas óbvias sobre a investigação.

    Continua:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Bom, não estou aqui para julgar ninguém, tb como esse texto não o faz.
    É um artigo que mostra bem os fatos e joga a pergunta para o leitor de como anda exercida a paternidade ?

    Eu acho uma discussão ótima. Eu concordo com a escritora do texto de que o super pai não é o indivíduo que protege o seu filho toda hora, às vezes, é necessário a criança ou adolescente tentar lidar com os problemas e desafios da vida.Claro que os pais, estão ao seu lado para auxiliar e dar uma força.
    Mas, não rola de quererem resolver todos os problemas do filho.

    Mas, pelo jeito que eu vejo hoje, a criança chora e o pai vai lá dar o que ela quer, ela grita e o pai vai tentar acalmá-la dando um doce, assim vai, as crianças desde cedo sabem a estratégia emocional muito bem.Pior é quando crescerem, não saber lidar com as questões sentimentais e com as frustrações, é bem mais fácil enveredar para o mundo das drogas ou pra depressão.
     
  2. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    eike é o reflexo dos pais superprotetores e impotentes q temos nesta geração. é a velha história do filho tirar nota baixa e os pais exigirem à escola q troquem o professor. o cara q morreu é q vai acabar sendo culpado, estava bêbado, drogado, armado & perigoso, fugindo d traficantes p quem tava devendo, e terá até ligações com a al-qaeda ou com o psol.

    o caso é q os q são pais estão tornando-se pais involuntariamente cada vez + cedo e consequentemente, totalmente despreparados ñ só como pais mas como adultos. assim, agem pela imitação, pelo modismo, pelo costume comum ou pelo q é disseminado nas novelas, talvez uma das únicas fontes d educação moral disponível em gde escala hj, embora se conteste a sua qualidade. acham q proteger os filhos é exatamente livrá-los d qq culpa, consequência ou responsabilidade pelos seus atos, e acabam se esquecendo dq dizia o velho pitágoras: "educai as crianças, para que não seja necessário punir os adultos".
     
  3. Haleth

    Haleth Call me Bolga #CdLXI

    Isso dava um livro interessante.
     
  4. Artanis Léralondë

    Artanis Léralondë Ano de vestibular dA

    Eu trabalhei como babá e vi que não é fácil criar um filho, é muito além de dar comida e cuidar para ele não se machucar.
    Tem que se programar muito para ter uma criança, e esses pais novos q tem filhos sem querer querendo é triste, não pelos pais e, sim pela criança que virá ao mundo e será 'educada' por outras crianças menores.

    Concordo com JLM, os pais com medo de serem taxados de careta, tornam-se muito liberais. Alguns chegam ao ponto de se comportarem como adolescentes para fazer parte da tribo do filho, falando até gírias... é engraçado. xD

    Pai e mãe tem que ser chatos, para o filho ter com quem se revoltar, isso faz parte do seu crescimento...é como diz a música do Ultraje:

    Rebelde Sem Causa
    Ultraje a Rigor

    Meus dois pais me tratam muito bem
    (O que é que você tem que não fala com ninguém?)
    Meus dois pais me dão muito carinho
    (Então porque você se sente sempre tão sozinho?)
    Meus dois pais me compreendem totalmente
    (Como é que cê se sente, desabafa aqui com a gente!)
    Meus dois pais me dão apoio moral
    (Não dá pra ser legal, só pode ficar mal!)

    MAMA MAMA MAMA MAMA
    (PAPA PAPA PAPA PAPA)

    Minha mãe até me deu essa guitarra
    Ela acha bom que o filho caia na farra
    E o meu carro foi meu pai que me deu
    Filho homem tem que ter um carro seu
    Fazem questão que eu só ande produzido
    Se orgulham de ver o filhinho tão bonito
    Me dão dinheiro prá eu gastar com a mulherada
    Eu realmente não preciso mais de nada

    Meus pais não querem
    Que eu fique legal
    Meus pais não querem
    Que eu seja um cara normal

    Não vai dar, assim não vai dar
    Como é que eu vou crescer sem ter com quem me revoltar
    Não vai dar, assim não vai dar
    Pra eu amadurecer sem ter com quem me rebelar

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  5. Fernando Giacon

    Fernando Giacon [[[ ÚLTIMO CAPÍTULO ]]]

    A postura do Eike é clara e evidente de alguém que pouco se importa com as coisas que acontecem em volta. Acredito que pessoas como ele, que tenham esse mesmo perfil, chegam num ponto que desconhecem limites básicos, não exergam mais parentes, nem semelhantes que estejam até mesmo próximos. Ele não é superprotetor, é bítolado, cego por seus interesses.
     

Compartilhar