1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Editora Opera Graphica lança três obras e depois encerra atividades

Tópico em 'Quadrinhos' iniciado por Breno C., 18 Dez 2008.

  1. Breno C.

    Breno C. Usuário

    As notícias de bastidor já sinalizavam há alguns meses o fim da Opera Graphica. Mas o encerramento das atividades da editora paulista só foi oficializado nesta terça-feira.

    Um e-mail informava a imprensa sobre o fechamento e anunciava os três últimos lançamentos da editora, prometidos para "breve".

    Um é sobre desenhos de animais. Os outros dois são diretamente ligados à área de quadrinhos: um livro sobre o Fantasma e o vigésimo volume de Príncipe Valente.

    Neste ano, a Opera Graphica esteve afastada do mercado.

    O nome da editora foi lido pela última vez no álbum "Vale-Tudo", coletânea de quadrinhos feitos pelo desenhista Marcio Baraldi. A obra começou a ser vendida no mês passado.

    A publicação foi feita em parceria com a editora Grrrr!

    A Opera Graphica iniciou as atividades em 1998, a partir de uma sociedade entre o jornalista Franco de Rosa e o empresário Carlos Mann.

    Era uma época em que as livrarias ainda não eram um ponto de venda consolidado de álbuns em quadrinhos editados em formato de livro.

    A editora apostou nesse nicho de mercado, que usava as lojas especializadas em quadrinhos para levar o material ao leitor.

    A editora formou um catálogo bastante diversificado, indo desde personagens clássicos dos quadrinhos até materias recentes, tanto estrangeiros quanto nacionais.

    Publicou também diversos livros teóricos e biográficos relacionados à área de quadrinhos. Um deles fazia um detalhado apanhado histórico do "Tico-Tico", primeira revista com quadrinhos do Brasil.

    Um dos destaques do catálogo eram os álbuns de luxo de Príncipe Valente, que foram retomados do ponto onde a editora anterior, a extinta EBAL, havia parado.

    A Opera Graphica manteve o mesmo formato e capa dura, presentes nos demais volumes da coleção.

    A loja especializada em quadrinhos Comix, de São Paulo, marca o encerramento com a venda de títulos da editora pela metade do preço.

    Será na próxima segunda, das 18h às 22h (a loja fica na Al. Jaú, 1.998, em São Paulo).

    Nos últimos eventos promovidos pela loja, os álbuns da Opera Graphica já vinham sendo oferecidos por um preço menor.

    Por ter tiragens pequenas e tratamento de luxo, os títulos eram vendidos a valores bem mais caros.

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    ********************************************************

    Mais uma vez eu choro esse ano. Que eu lembre ainda não li nada da Opera, mas mesmo asism fico triste de saber que estamos caminhando para uma extinção das editoras de HQs.
     
  2. Anica

    Anica Usuário

    Poutz, mais uma fechando? Caramba, por que será que é tão difícil para esse pessoal dos quadrinhos se firmar? =/
     
  3. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Não tem público...
    Quem ta comprando agora é quem comprava nos anos 80.
    Falta incentivo, falta mercado, falta tudo...
    Nem posso falar porque começo a chorar...
     

Compartilhar