1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Dúvidas - Sou Iniciante

Tópico em 'D&D e d20' iniciado por Shiso, 23 Jan 2017.

  1. Shiso

    Shiso Usuário

    Durante uma partida aconteceu a seguinte situação:
    O mestre anunciou uma nuvem de espinhos se aproximando e perguntou a cada um o que iriam fazer, alguns tentaram se proteger com um escudo e outros tentaram correr. Eu estava de feiticeiro (conjuro magias utilizando Carisma) e não me foi permitido usar escudo arcano, pois naquele momento eu não estava recebendo o golpe, então tentei correr (tirei 14 e não consegui pois o dono do ataque tirou 20, um crítico). Foi então anunciado que estávamos sendo atacados por um dos jogadores da mesa (ele entrou no jogo no meio da partida tentando nos roubar, poucos momentos antes disso, quando então fugiu e lançou esse ataque de longe e escondido - Saraivada de Espinhos). No momento que finalmente fui atingido pelos espinhos, solicitei usar o Escudo Arcano e não me foi permitido, pois já tinha tentado correr. Depois, debatemos sobre o fato de eu já ter pedido pra usar a magia antes de ter decidido correr e não ter sido permitido, então o mestre voltou atrás e deixou eu voltar a jogada, para usar o Escudo Arcano ao invés de correr. Não adiantou, tirei 5 no dado (com +4 de Carisma), sendo assim minha habilidade falhou e levei o dano todo (que no caso foi duplicado devido ao fato de ser crítico). Como achei muito esquisita toda essa situação, resolvi ler algumas coisas e encontrei alguns erros e também gostaria de tirar algumas dúvidas.
    1. Tendo sido um ataque crítico, ninguém poderia ter tentado desviar.
    2. O dano do ataque crítico não é em dobro, mas sim joga-se 1 dado a mais.
    3. Não foi analisado o fator surpresa dos personagens, por ter sido um ataque furtivo, o que não permitiria a pessoa se mover ou realizar uma ação no 1º turno, e tbm não poderia usar uma reação até o turno terminar.
    4. Não foi feito teste de resistência de destreza (está na descrição da Saraivada de Espinhos)
    5. O Escudo Arcano é uma reação instantânea, precisa lançar dado para obter sucesso na conjuração? (não encontrei isso claro no livro). Qual seria o valor alvo nesse caso, o CD da magia de ataque ou um valor qualquer arbitrado pelo mestre? Essa reação pode ser considerada um Teste de Habilidade de Carisma (que é a habilidade avaliada quando um feiticeiro conjura magias, que no caso não é de ataque)? Além disso, poderia ser usada Marés de Caos para ganhar vantagem nessa jogada?
    6. Caso obtivesse sucesso no uso do Escudo Arcano, ele aumentaria em 5 meu CA; Isso diminuiria o dano?
    7. Pela maneira como o mestre narrou, ele não anunciou o combate, fazendo parecer uma situação aleatória da narrativa, nos dando a oportunidade de uma ação (onde primeiramente eu corri). Depois, no momento de receber o golpe, eu não teria direito a uma reação? (Isso devido ao fato de a ação ser no meu turno e a reação fora do meu turno). Entendo que, nesse caso, teríamos apenas a reação, já que recebemos um ataque. Mas a dúvida se dá devido à maneira como o mestre criou a situação, onde primeiro era apenas um evento da narrativa e depois foi mostrado como sendo um ataque.
    8. Até que ponto o mestre pode utilizar sua liberdade narrativa para anunciar o evento desta forma? Não deveria ter sido anunciado que estávamos em combate e seguir as regras de batalha normalmente desde o começo? Pela forma que ele narrou, ele pode ignorar o fator surpresa dos personagens que receberam o ataque?
     

Compartilhar