1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Dublagem de seriados na TV paga indica o futuro do setor

Tópico em 'TV' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 23 Abr 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    No último dia 10, por volta das 21h, quem é fã de seriado americano se acomodou diante da televisão para ver a estreia da badalada "The firm", no canal AXN. Era o primeiro episódio da primeira temporada da produção que, desde o fim do ano passado, dá nova vida aos personagens do best-seller "A firma", de John Grisham, e angaria bons índices de audiência nos Estados Unidos. A ansiedade dos fãs brasileiros era grande, mas a surpresa foi ainda maior. O capítulo estava dublado, e o canal não ofereceu a opção de áudio em inglês acompanhado de legendas em português.Cinco dias mais tarde, às 22h de domingo, a situação se repetiu. O fã de "Once upon a time" só pôde ver em português a reprise do primeiro capítulo da série. Em pleno horário nobre, a Sony não ofereceu a seu assinante a opção de escolher o áudio original com a legenda em português.

    Assim, quase que instantaneamente, uma avalanche de queixas tomou a internet. Nas redes sociais, ganhou força o movimento #DublagemSemOpçãoNão - ativo desde o ano passado, quando o grupo Sony anunciou que as novas séries de seus canais viriam dubladas - e engrossou a lista de assinaturas na petição pública que exige que os canais pagos
    Naquela noite, o documento já contava com mais de seis mil assinaturas.

    'Público mais amplo'

    Alberto Niccoli Junior, responsável pelo AXN e pela Sony, diz estar ciente das queixas, mas explica a posição:

    É a TV paga se alinhando a outros setores econômicos e se preparando para atender à classe C, movimento considerado irrefreável pela Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA).

    - diz Alexandre Anneberg, presidente da entidade.
    Atualmente, pouco mais de 270 municípios em todo o país contam com serviços de TV a cabo. Mas a Anatel e a Ancine devem regulamentar até meados do ano a lei 12.485, aprovada em setembro de 2011, permitindo que o mercado cresça exponencialmente. E, ao que tudo indica, a direção é a de um país que pede mais português.

    - justifica Anthony Doyle, vice-presidente da Turner no Brasil e responsável por canais que há tempos apostam em dublagem, como TNT e Space.

    Segundo Doyle, pesquisas da empresa indicam que assistir à televisão ainda é, no Brasil, um programa de família:

    Entre os nove canais mais vistos da TV paga brasileira em 2011, seis dispensam legendas.

    - defende Bruno Carvalho, criador do movimento #DubladoSemOpçãoNão, da petição pública e do blog Ligado em Série.
    A Sky atesta. Diz que a operadora é capaz de disponibilizar todas as opções de áudio desde que elas sejam oferecidas pelo canal.

    Carvalho e os cerca de 30 blogueiros que o acompanham já conquistaram uma vitória: a Sony abriu na grade de seis reprises de "The firm" um horário para a versão legendada. Acontece às quartas-feiras, às 22h.

    'O preço da distribuição de renda'

    Para o Procon do Rio de Janeiro, a petição pública dos fãs da legenda já tem "força considerável" e pode levar a uma proposta de estratificação dos custos por parte da entidade. Assim, pagaria mais caro quem quisesse as legendas.

    Paulo Barata, do Universal Channel, vê outra solução:

    O antropólogo Everardo Rocha, da PUC-Rio, faz uma leitura radical do embate:

    Segundo Rocha, a TV paga e o Brasil como um todo vivem "um processo de acomodação, de rearrumação". Um dos frutos disso é a democratização do acesso à cultura:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Alassë

    Alassë Pasteleira

    Aff, cada argumento dos pró-dublagem...

    Sério que é essa a interpretação da reclamação? Eruditismo?

    O que todos queremos é não sermos ignorados em favorecimento aos que preferem dublagem. Preferimos o áudio original, com vozes coerentes e com menor perda de contexto, especialmente em piadas. Tem alguns canais que nem o áudio original sem legendas está oferecendo. Acho um absurdo mesmo. Aí reclamam quando a gente recorre à internet.
     
    • Gostei! Gostei! x 3
  3. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Também achei esse argumento de eruditismo furado, o dublador não tem tempo de construir o personagem como o ator tem, não é a mesma coisa, eu prefiro muito mais legendado, não interessa o idioma original.

    Imagina assistir Rashomon dublado.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
    • LOL LOL x 1
  4. dermeister

    dermeister Ent cara-de-pau

    O comentário dele não tem muito nexo. Tentar transformar a falta de opção em discriminação social? Argh. Mas não resisto a uma continuação:
    ... e o preço da falta do áudio original será perder os clientes que o exigem para os torrents.

    Acho que ou esse mercado de TV é extremamente burro, ou os os critérios que considero válidos não tem lá grande influência nas planilhas dessas empresas. Entendo que canais e retransmissoras de TV por assinatura precisam concorrer com a pirataria de três formas:

    • fornecendo um produto com qualidade superior, como é o caso das opções de áudio e legendas;
    • em um prazo adequado (meses de atraso para transmitir um seriado? hã? Torrents saem minutos depois das transmissões originais); e
    • a um custo mais baixo. Sim, a pirataria tem um custo, ainda que não monetário: o tempo adicional para procurar o conteúdo desejado, procurar legendas (para quem precisa), frustração de baixar fakes e coisas assim. Clientes estão dispostos a pagar pela praticidade.

    E fico com a impressão que elas se tornaram especialistas em perder essa concorrência das formas mais idiotas possíveis.


    Nessas horas eu fico feliz de não precisar das legendas para o áudio original em inglês (mas ainda perco uma ou outra expressão mais bizarra e preciso depender do contexto).
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  5. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Pra variar o sociólogo vem vomitar ideologia. :roll:

    Eu achei esses argumentos pró-dublagem tão, mas tão absurdo que chega a ser inacreditável. O motivo econômico não se coaduna também, parece que ainda relacionam classe C com família Buscapé se reunindo no sofá da sala pra ver comédia do Adam Sandler. Francamente, o povo brasileiro é muito mais que isso, a lógica do mercado está toda furada.
     
    • LOL LOL x 2
  6. Hobbit Bonzinho

    Hobbit Bonzinho Usuário

    Eu acho que a lógica do mercado está até correta, a maioria prefere dublado mesmo. Mas também acho que nem só o mercado deve responder tudo. Essas pessoas não sabem o que estão perdendo sem o áudio original pra elas fazerem a escolha.
    Mas eu duvido que isso vá melhorar, e prevejo que em alguns anos só teremos filmes dublados no cinema também.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  7. Pearl

    Pearl Usuário

    Eu acho que a situação nos cinemas é ainda pior que na TV paga.

    Eu já tinha lido uma série de argumentos para a dublagem que vai das pessoas idosas com dificuldade de leitura, acesso de pessoas semianalfabetas a adolecentes que navega na internet com a televisão ligada. Eu acho um absurdo, mesmo desenho deveria ter opção. Eu considero a dublagem um atentado ao trabalho e cuidado que uma produção de séries ou filmes tem ao som e à atuação dos atores.

    Minha posição é muito clara: eu cancelo o serviço! Talvez o Netflix ou a Apple Tv como alternativa a esse problema se os canais pagos não oferecerem junto da dublagem a opção de audio/legenda.
     
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar