1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Disney Songs Top 5: A Bela e a Fera (3ª Semana)

Tópico em 'Música' iniciado por Lalaith., 3 Jun 2012.

  1. Lalaith.

    Lalaith. Usuário

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Disney Songs: A Bela e a Fera

    De todos os memoráveis e incríveis clássicos Disney, A Bela e a Fera talvez seja o que mais tenha conquistado o público em massa. Com o honroso título de primeira animação a ser nomeada ao Oscar de Melhor Filme e muitas outras indicações e prêmios na bagagem [incluindo o Oscar de Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção Original], a trigésima animação dos estúdios Disney cativou desde a mais inocente criança até o adulto mais durão, com seu conto de fadas romântico, seus personagens e músicas cativantes e, principalmente, sua mensagem tocante.

    Em A Bela e a Fera, nenhuma música é considerada desnecessária. Elas estão ali exatamente para contar uma parte importante da história, mérito dos autores Howard Ashman e Alan Menken. “Alguma coisa acontecer” foi criada exatamente para mostrar o lento processo de mudança de caráter e personalidade da Fera através de sua convivência com Bela. “A Canção da Multidão” (muito parecida com a canção “Bárbaros“, de Pocahontas) funciona para criar a tensão e o clima da batalha entre o povo da vila e os habitantes do castelo, enquanto Gaston invade o castelo da Fera. Você pode até pensar: Ah, mas “Seja Nossa Convidada” não avança em nada a história, só serve pra deixar o filme mais bonito e divertido, certo?

    Errado. Repare a letra da música e você vai notar que ela diverte e traz o número musical visualmente mais trabalhado do filme, mas também mostra a felicidade e animação dos criados do castelo de, após tantos anos, poderem servir um convidado e ter esperança novamente. E claro, não posso deixar de falar da cena mais famosa do clássico, quando o casal protagonista dança no grande do salão do castelo ao som da música que recebe o nome do filme. “A Bela e a Fera” traz o clima perfeito de romance à cena, pois a própria letra da música retrata de forma singela toda a história e trajetória do casal. A genialidade musical do filme é óbvia, e não foi por menos que, anos depois, a história chegou realmente à Broadway com músicas e letras de Alan Menken, Howard Ashman e Tim Rice, e se tornou um dos musicais de maiores sucesso da Broadway.

    É impossível não se apaixonar pela doçura e personalidade de Bela, muito a frente do seu tempo, com pensamentos feministas e atitude oposta a das mulheres da época. Vista como uma esquisita, filha de um inventor e sempre lendo livros, toda a aldeia fala pelas suas costas, porém nem o mais preconceituoso homem da aldeia deixa de suspirar quando passa por ela. Seu nome faz jus à sua beleza e seu jeito meigo e educado conquista até o homem mais durão. Já a Fera possui um temperamento extremamente explosivo. Após anos enclausurado num castelo sombrio e vendo-se preso no corpo de um monstro, sua raiva e mágoa é compreensível.

    É divertido vê-lo tentar entender que seu humor precisa mudar para conquistar Bela. Se na primeira parte do filme sua postura é assustadora para o espectador, a partir do momento em que Bela chega ao castelo, podemos ver pouco a pouco que existe um homem magoado dentro dele. Um homem que está tentando aprender uma lição e mudar os seus sentimentos. Uma comparação que pode ser feita é o modo como tanto Bela quanto a Fera são vistos pelas outras pessoas: Bela é a esquisita por causa de seu jeito, e Fera é visto como um monstro por causa de sua aparência. Ambos estão fora do padrão e por isso se completam e se identificam um com o outro ao longo da história. Além do casal de protagonistas, temos ainda os ótimos coadjuvantes, como Maurice, o adorável pai de Bela; Lumiére, o castiçal e mordomo chefe do castelo; Horloge, o relógio e também mordomo do castelo; Madame Samová, o bule e governanta do príncipe; e Zip, o filho de Madame Samová, em formato de xícara e que rouba todas as cenas com sua fofura. O castelo tem inúmeros personagens em forma dos mais variados móveis, objetos e talheres, e mesmo assim todos eles são explorados de forma satisfatória ao longo do filme.

    Apesar de todo seu lado fantasioso, a história é retratada de forma muito simples, mas ao mesmo tempo tocante. O romance entre Bela e a Fera é retratado quase como uma comédia romântica, mostrando as partes engraçadas e também mais sérias do relacionamento dos dois.
    Vemos os dois brincando na neve e até na hora do jantar. Mas também vemos cenas singelas, como a que Bela mostra à Fera que os pássaros não existem ali para atrapalhar sua vida e que ele pode tê-los como amigos, é só ter paciência. Ou quando a Fera mostra a biblioteca para a Bela e “dá” todo o aposento a ela como um presente. Se, no começo, Bela apenas vê um monstro na forma de Fera e ele só enxerga uma jovem belíssima, depois que eles se conhecem, ela se apaixona pelo homem dentro do monstro, e ele, pela doçura em forma de beleza.

    Essa relação interna entre os dois é retratada de forma lindíssima através do olhar. Notem como os olhos deles são grandes e expressivos. A primeira vez que vemos o príncipe em sua forma humana é através daquele quadro que ele rasga depois de sua transformação. E também é assim que Bela o vê pela primeira vez em forma humana. E, apesar de isso não estar claro no filme, a primeira coisa que ela nota é como os olhos dele se mantiveram os mesmos depois da transformação. É o sinal de que o homem ainda vive ali dentro, de que ele pode mudar. E após a quebra da maldição, essa também é a primeira coisa que Bela nota no príncipe. Ele mudou, mas os olhos da fera ainda estão no rosto daquele homem. Ambos continuam a mesma pessoa. No final, A Bela e a Fera é sobre sentimentos. Paradoxais, opostos, idênticos, românticos, loucos, arrogantes, doces. Mas são sentimentos. E sentimentos são fáceis de mudar, já dizia a canção…

    Trilha original
    01. Prologue
    02. Belle
    03. Belle (reprise)
    04. Gaston
    05. Gaston (reprise)
    06. Be Our Guest
    07. Something There
    08. Human Again
    09. The Mob Song
    10. Beauty And The Beast
    11. To The Fair (Instrumental)
    12. West Wing (Instrumental)
    13. The Beast Lets Belle Go (Instrumental)
    14. Battle On The Tower (Instrumental)
    15. Transformation

    Versão nacional
    01. Prólogo
    02. Bela
    03. Bela (reprise)
    04. Gastom
    05. Gstom (reprise)
    06. Seja nossa convidada
    07. Alguma coisa acontece
    08. Humano outra vez
    09. Canção da multidão
    10. A Bela e a Fera
    11. Para Bela (Instrumental)
    12. Ala Leste (Instrumental)
    13. A Fera deixa a Bela partir (Instrumental)
    14. Luta na torre (Instrumental)
    15. Transformação
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  2. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Sempre venho dizendo que a abertura de Bela e a Fera é das mais perfeitas da Disney.
    Depois farei meu top5.
     

Compartilhar