1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Autor da Semana Diana Gabaldon

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Erendis, 22 Set 2014.

  1. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Diana Gabaldon, nasceu em 11 de janeiro de 1952, no Arizona, e é de ascendência mexicana-americana e inglesa. Atualmente vive em Scottsdale, Arizona com seu marido Doug Watkins, com quem tem três filhos adultos: Laura, Jenny e Sam Sykes, que também é autor de fantasia. Tem formação em Zoologia, Biologia Marinha e Ecologia. Foi professora universitária durante mais de doze anos antes de se dedicar à escrita em tempo integral. Durante esse período foi professora assistente no Centro de Estudos Ambientais da Universidade Estadual do Arizona e editora fundadora da Science Software Quarterly. Em meados da década de 1980, Gabaldon escreveu comentários de software e artigos técnicos para publicações de informática, bem como artigos de ciência popular e histórias em quadrinhos para a Walt Disney Company. Em 1988, Gabaldon decidiu escrever um romance para "prática, apenas para aprender" e com a intenção de "mostrar a ninguém", decidiu que um romance histórico seria mais fácil de pesquisar e escrever, mas não tinha pano de fundo para a história e, inicialmente, nenhum período de tempo específico em mente.
    Gabaldon por acaso assistiu um episódio de reprise da série de TV “Doctor Who”, intitulado "The War Games", onde um dos companheiros do doutor era um escocês de 1745, um jovem de cerca de 17 anos chamado Jamie McCrimmon, que forneceu a inspiração inicial para o seu personagem masculino principal, James Fraser, e para a definição do seu romance de meados do século 18 na Escócia. Gabaldon decidiu ter "uma inglesa no meio de todos esses escoceses de kilt", mas sua personagem feminina "assumiu a história e começou a contar ela mesma, fazendo observações modernas sobre tudo." Para explicar o comportamento e as atitudes modernas da personagem, Gabaldon escolheu usar a viagem no tempo e, ao escrever o romance em um momento em que a internet ainda praticamente não existia, ela fez sua pesquisa a moda antiga, por ela mesma, através dos livros. Mais tarde, Gabaldon postou um pequeno trecho de seu romance na Literary Forum CompuServe e o autor John E. Stith apresentou-a a agente literária Perry Knowlton. Sua primeira ideia, era de que fosse uma trilogia, o primeiro romance mais duas continuações então não escritas. Seus editores dos EUA mudaram o título do primeiro livro para Outlander, mas o título manteve-se inalterada no Reino Unido, de acordo com Gabaldon, seus editores britânicos gostaram do título inicial, Cross Stitch, uma brincadeira com "um ponto no tempo"; no entanto, a editora americana disse que "soava muito parecido com bordado" e queria um título mais aventureiro.
    Quando o seu segundo livro foi concluído, Gabaldon renunciou ao seu cargo de professora na Universidade Estadual do Arizona para se tornar uma autora em tempo integral.
    Em 2010, Gabaldon também publicou The Exile (uma graphic novel de Outlander) e ainda a série Lord John, que é um spin-off dos livros Outlander, centrada em um personagem secundário da série original.

    Bibliografia

    Série Outlander

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    A série Outlander tem como personagem principal uma enfermeira do século 20, Claire Randall, que viaja no tempo para a Escócia do século 18, e encontra aventura e romance com o arrojado James Fraser. Situado na Escócia, França, Índias Ocidentais, na Inglaterra e na América do Norte, o romances mescla vários gêneros, com elementos de ficção histórica, romance, mistério, aventura e ficção científica/fantasia.
    Foi adaptada para a TV pelo canal Starz, estando atualmente na primeira temporada.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    A série Outlander começou por acaso, quando eu decidi escrever um romance para a prática, a fim de:
    - Aprender o que é necessário para escrever um romance, e
    - Decidir se eu realmente queria fazer isso de verdade.
    Eu fiz, e eu fiz - e aqui estamos nós, ainda tentando descobrir porque diabos vocês chamam livros que ninguém pode descrever, mas que, felizmente, a maioria das pessoas parecem gostar.
    Em essência, esses romances são grandes, enormes, ficções históricas, à la James Clavell e James Michener. No entanto, devido ao fato de que eu escrevi o primeiro livro para a prática, não tinha a intenção de mostrar a ninguém e, portanto, não via nenhuma razão para limitar-me, eles incluem ...
    história, a guerra, a medicina, o sexo, a violência, a espiritualidade, a honra, traição, vingança, esperança e desespero, os relacionamentos, a construção e destruição de famílias e sociedades, viagens no tempo, ambigüidade moral, espadas, ervas, cavalos, jogos de azar (com cartões, dados, e vidas), viagens de ousadia, viagens de corpo e alma...
    você sabe, as coisas de sempre da literatura.
    Eu não gosto de fazer coisas que eu já fiz, por isso (apesar do fato de que esta é uma série, e não envolve os mesmos personagens centrais de todo), cada livro é único em termos de estrutura, tom, abordagem, e tema. Os livros podem ser lidos independentemente uns dos outros (eu não posso ter certeza de que as pessoas, vendo o mais recente em uma livraria vão perceber que ele é parte de uma série, de modo que os livros são (com poucas exceções) projetados para ficarem sozinhos); mas se você pode escolher, eu recomendo fortemente que comece no início, com Outlander, lendo a história em ordem de publicação (eu diria "em ordem cronológica", mas que não é necessariamente um termo útil quando você está trabalhando com viagem no tempo, o que eu faço frequentemente.
    - Outlander - A Viajante do Tempo
    - Libélula no Âmbar
    - O Resgate no Mar
    - Os Tambores de Outono
    - A Cruz de Fogo
    - Um Sopro de Neve e Cinzas
    - Ecos do Futuro
    - Written In My Own Heart’s Blood (ainda sem título em português, lançado em 10.06.2014)

    Claire, a protagonista de A viajante do tempo é uma mulher de personalidade forte, lutando para se manter num mundo de homens violentos, que busca seu verdadeiro amor enquanto participa de importantes acontecimentos da história. Claire Beauchamp Randall foi separada de seu marido Frank pouco depois da lua-de-mel, quando ele foi convocado para lutar na Segunda Guerra Mundial. Ao final do conflito, Claire e Frank se reencontram e retomam a vida que tinham em comum numa viagem a Escócia. Mas o reencontro não ocorre da forma esperada. Parece haver entre a esposa e o marido um distanciamento muito maior do que aquele causado pelos anos de guerra. Ao visitar uma antiga e mística formação de rochas, Claire finalmente vai conhecer seu destino.

    Série Lord John Grey
    Os romances Lord John Grey são na verdade parte da série Outlander, ao invés de ser um spin-off, mas esses romances são construídos de forma diferente e estão focados em Lord John como um personagem central. Além disso, enquanto eles incluem Jamie Fraser como um personagem importante, eles não incluem Claire, uma vez que (até agora) têm lugar durante um período de tempo em que Claire não estava fisicamente presente. Esta sub-série pode ser lida de forma independente da série principal, ou como parte do mesmo. Se você optar por lê-lo como parte da série, você pode ler esses romances depois de ler O Resgate no Mar (Voyager)

    - Lord John and the Hellfire Club - conto, originalmente publicado em Past Poisons (ed. Maxim Jakubowski), presente em Lord John and the Hand of Devils
    - Lord John and the Private Matter - livro
    - Lord John and the Succubus - conto, originalmente publicado em Legends II: Short novels by the Masters of Modern Fantasy (ed. Robert Silverberg), presente em Lord John and the Hand of Devils
    - Lord John and the Brotherhood of the Blade - livro
    - Lord John and the Haunted Soldier – conto, presente em Lord John and the Hand of Devils
    - Lord John and the Hand of Devils, compilado de 3 contos: “Hell-Fire Club,” “Succubus,” and “Haunted Soldier.”
    - Lord John and the Custom of the Army - conto publicado originalmente em Warriors - volume 1 (ed. George R.R. Martin and Gardner Dozois)
    - The Scottish Prisoner – livro
    - Lord John and the Plague os Zombies – conto, presente em Down These Strange Streets (ed. George R.R. Martin and Gardner Dozois)
     
    • Ótimo Ótimo x 4
  2. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    No final, vão ser quantos livros da série Outlander? :think:
     
  3. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    Pois é, não sei, acho que li em algum lugar que o planejamento era de que fossem 9, mas não tenho certeza...
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    @Bel como você tá com o livro? Gostando? Tá em que parte?
     
  5. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    Acabei semana passada :dente:

    Melhores cenas de sexo EVER :hanhan:
     
  6. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    Poxa! Leu rápido pra caramba! Sim, episódio 7 foi
     
  7. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    Ah, mas eu não to falando da série não, to falando só do livro :lol:
     
  8. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Pera! Tem sexo no livro?
     
  9. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    Muito! :lol:

    A @Feanari falou no facebook que a Diana é reconhecida pelas cenas de sexo que escreve e até dá palestras pra ensinar outros escritores :yep:
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  10. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    to começando a entender a popularidade da obra :hanhan:
     
    • LOL LOL x 5
  11. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    sim, as cenas são realmente muito bem escritas, não são vulgares, mas também não é romancezinho meloso...
    mas, além dessa parte, o livro todo é bem escrito, a história é bacana, tem batalhas, reviravoltas, muita coisa acontecendo, eu realmente adorei!
     
  12. Lynoka

    Lynoka Like a lady, ya!

  13. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    a Revista Bang é produzida pela SdE (ou mesmo grupo) se eu não me engano, eles que estão lançando os livros aqui e estão em contato com a Gabaldon também, então penso que a informação deve ser quente sim!
     

Compartilhar