1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Diamante de Sangue (Blood Diamond, 2006)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Barbárvore., 17 Jan 2007.

  1. Barbárvore.

    Barbárvore. Beatlemaniac

    DIAMANTE DE SANGUE
    Título original: Blood Diamond
    Direção: Edward Zwick
    Elenco: Leonardo DiCaprio (Danny Archer), Jennifer Connelly (Maddy Bowen), Djimon Hounson (Solomon Vandy)
    Duração: 138 minutos

    Sinopse:
    "Serra Leoa, final da década de 90. O país está em plena guerra civil, com conflitos constantes entre o governo e a Força Unida Revolucionária (FUR). Quando uma tropa da FUR invade uma aldeia da etnia Mende, o pescador Solomon Vandy (Djimon Hounson) é separado de sua família, que consegue fugir. Solomon é levado a um campo de mineração de diamantes, onde é obrigado a trabalhar. Lá ele encontra um diamante cor-de-rosa, que tem cerca de 100 quilates. Solomon consegue escondê-lo em um pedaço de pano e o enterra, mas é descoberto por um integrante da FUR. Neste exato momento ocorre um ataque do governo, que faz com que Solomon e vários dos presentes sejam presos. Ao chegar na cadeia lá está Danny Archer (Leonardo DiCaprio), um ex-mercenário nascido no Zimbábue que se dedica a contrabandear diamantes para a Libéria, de onde são vendidos a grandes corporações. Danny ouve um integrante da FUR acusar Solomon de ter escondido o diamante e se interessa pela história. Ao deixar a prisão Danny faz com que Solomon também saia, propondo-lhe um trato: que ele mostre onde o diamante está escondido, em troca de ajuda para que possa encontrar sua família. Solomon não acredita em Danny mas, sem saída, aceita o acordo."

    *************

    Depois de ler o tópico do V sobre regras até fiquei com medo de que já existisse um tópico sobre esse filme e que ele fosse me comer vivo, mas procurei manualmente e via o "procurar" e não achei nada.
    Enfim, vi ontem o filme e posso descrevê-lo assim como um carinha botou no imdb.com: não é um grande filme, mas é um bom filme. Devido a esse comentário que de início parecia depreciar o filme, fui ao cinema com poucas pretensões e tive uma surpresa, afinal era de fato um bom filme.
    Enfim, é um filme de cunho político que denuncia as minas de diamantes, o contrabando ilegal, as guerras civis africanas e a situação do povo local. Se eu não me engano a atuação do Di Caprio rendeu umas indicações no Globo de Ouro, e até que foram merecidas.
    Vale a pena ver.
     
  2. Tisf

    Tisf Delivery Boy

    Eu gostei do Djimon Hounson no filme também.

    O filme me deu a impressão que faltou algo (ou sobrou muito), igual a que eu tive quando vi O Último Samurai, do mesmo diretor.
     
  3. Fausto

    Fausto Lovely head

    A atuação do trio foi boa, mas o DiCaprio realmente se sobressai, o que talvez seja uma explicação para o fato de eu o ter preferido aqui a em Os Infiltrados, onde o elenco é um tanto foda e ofuscante.

    Diamante de Sangue no fim se destaca entre os recentes filmes-denúncias que eu vi, o que significa Senhor das Armas (rofl) e O Jardineiro Fiel (vi mas não vi, e não revi) e então não quer dizer grande coisa. Uma coisa que me incomoda é a forma como retrataram a RUF. Caminhonetes ao som de rap atulhadas de playboyzinhos cabeças-ocas que só faltavam ter pitbulls. Acabei vasculhando na Wikipedia e descobrindo que o grupo é de fato meio vazio de ideologia, mas, caramba, exageraram na dose hein. Até os bárbaros mais descarados tentam legitimar sua violência defendendo alguma espécie de causa. Pelo menos podiam ter encaixado uns discursos de pan-africanismo em meio à exploração dos catadores de diamante, sei lá.
     
  4. Barbárvore.

    Barbárvore. Beatlemaniac

    Bom, o diretor deve ter lido sobre a RUF na wikipedia, ou o cara que escreveu o texto fez baseado no filme, pois ele seguiu bastantes indicações das que estão no artigo (
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    )
    Realmente faltou alguma ideologia. Mas se houvesse, o filme ia começar a dar razão aos rebeldes. Nesse caso, acredito que preferiram ficar neutros perante ao conflito e dar mais ênfase nos diamantes, que é o foco do filme.

    Mas uma coisa que conseguiu me surpreender é o modo como as guerras são travadas lá. Tiro pra tudo que é lado, o que importa é matar, não importa quem. É um filme bem interessante sobre esses pontos de vista. Não é qualquer filme.
     
    Última edição: 17 Jan 2007
  5. Pips

    Pips Old School.

    Se não fosse os discursos da Lois "Jennifer Connelly" Lane sobre como os americanos tem boas almas e se soubessem de tudo aquilo seriam contra a compra de diamantes, o filme seria algo tipo 74
     
  6. Sister Jack

    Sister Jack Usuário

    o roteiro excessivamente convencional, o maniqueísmo retardado, o Hounsou atuando como se estivesse num episódio de Power Rangers situado na África, e a inabilidade de Zwick em compor um plano interessante quando nenhum explosivo está sendo detonado...

     
  7. Eu também achei bem isso. Falando em Power Rangers...

    A cena em que o filho do Houson está pontando uma arma para o pai e este convence o filho de que ele é do bem e não do mal é igualzinha a uma cena de Power Rangers, em que a bruxa Rita enfeitiça o Ranger amarelo, que começa a fazer um monte de coisas ruins. Aí lá pro final do episódio o Ranger amarelo está prestes a explodir uma bomba que iria acabar com o mundo, aí o Ranger branco chega e começa a dizer ao amigo que ele é do bem, que é um soldado para combater o mal e tudo isso. Aí o Ranger amarelo se livra da maldição e tudo acaba bem. É muito igual.
     
  8. V

    V Saloon Keeper

    O Hounsou precisa de um diretor bastante dedicado, senão ele fatalmente exagera. Alguém lembra do "give us, us free!" em AMISTAD?



    (Ele foi bom em IN AMERICA, no entanto.)
     
  9. Pips

    Pips Old School.

    +

    +

    =

    57
     
  10. Barbárvore.

    Barbárvore. Beatlemaniac

    como vocês são maus :think:
     
  11. Jedi Solo

    Jedi Solo The Greatest Jedi

    Também acho. :lol:

    Eu vi o filme hoje, e até gostei. É mega clichê, a típica história do herói que perde alguma coisa, faz amigos e consegue. Djimon Hounson foi muito bom, nem achei o desespero dele exagerado. Leonardo DiCaprio também teve boa atuação, mas aquele sutaque me irritou em algumas cenas. Jennifer Connely pra mim teve cara de pedra, sem emoção de verdade. Enfim.

    A história foi interessante, eu gostei. As cenas do menino sendo "convertido" pro lado dos rebeldes foi meio deprimente, especialmente quando o líder dá a droga bombadona pra ele.

    A cena do menino hiper-mega-ultra-previsível foi até um alívio. No final eu tava torcendo pro Dia voltar a ser o filhinho futuro-médico de Solomon. Danny saiu do Lado Negro e se sacrificou (boo-hoo), e a mulherzinha ficou lá como figurante. Fiquei feliz com o final, Solomon sendo recebido lá com aplausos, e ele sorrindo assim. Saí do cinema satisfeito com o filme.

    Mas, eu não quero ver de novo. Uma vez é o suficiente. :mrgreen:
     
  12. Barbárvore.

    Barbárvore. Beatlemaniac

    Saí do cinema pensando que era um final totalmente previsível, mas percebi que se houvesse um final diferente (a la "todos muertos") eu ficaria decepcionado :g:
     
  13. Sister Jack

    Sister Jack Usuário

    De certa forma, isso faz total sentido. A Connelly certamente parece uma pedra comparada à histeria do Hounsou. Eu só não acho que a histeria do Hounsou deve ser vista como um padrão.

    I.e. a Connelly foi foda.
     
  14. Strider

    Strider Usuário

    A Jennifer Connelly é linda e vale o filme inteiro (que não fede nem cheira).
     

Compartilhar