1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Deuses e sapos: uma leitura do poema “Os sapos”, de Manuel Bandeira

Tópico em 'Literatura Brasileira' iniciado por Meia Palavra, 11 Jun 2011.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    O presente texto visa fazer uma leitura do poema “Os sapos”, de Manuel Bandeira, analisando, para tanto, os aspectos formais do poema, o processo de escrita vinculado às ideias defendidas pelos escritores modernistas e as ideias sobre poesia e realidade que se podem depreender do poema.

    Dentre as muitas bandeiras que o Modernismo defendeu, em sua primeira fase (1922-1930), destaca-se o combate às características estéticas tradicionais e conservadoras (cujo melhor exemplo era o Parnasianismo. Foi a chamada fase heróica do Modernismo brasileiro.[1]

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar