1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

DEUS - UM DELÍRIO, RICHARD DAWKINS

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por imported_Raphael, 1 Jan 2009.

  1. imported_Raphael

    imported_Raphael Usuário

    [align=justify]Seguindo sugestão da matriarca do Meia, resolvi abrir esse tópico. Aproveito para lançar algumas perguntas: Alguém acha que a fé (no caso, cristã) sobrevive a uma leitura atenta da bíblia? Alguém acredita que moral e religião são inerentes, dependendo uma da outra para existirem?

    “Num tempo de guerras e ataques terroristas com motivações religiosas, o movimento pró-ateísmo ganha força no mundo todo. E seu líder é o respeitado biólogo Richard Dawkins, eleito recentemente um dos três intelectuais mais importantes do mundo (junto com Umberto Eco e Noam Chomsky) pela revista inglesa Prospect. Autor de vários clássicos nas áreas de ciência e filosofia, ele sempre atestou a irracionalidade de acreditar em Deus, e os terríveis danos que a crença já causou à sociedade. Em 'Deus, um delírio', seu intelecto afiado se concentra exclusivamente no assunto e mostra como a religião alimenta a guerra, fomenta o fanatismo e doutrina as crianças. O objetivo deste texto mordaz é provocar; provocar os religiosos convictos, mas principalmente provocar os que são religiosos 'por inércia', levando-os a pensar racionalmente e trocar sua 'crença' pelo 'orgulho ateu' e pela ciência. Dawkins despreza a idéia de que a religião mereça respeito especial, mesmo se moderada, e compara a educação religiosa de crianças ao abuso infantil. Para ele, falar de 'criança católica' ou 'criança muçulmana' é como falar de 'criança neoliberal' - não faz sentido. O biólogo usa seu conceito de memes (idéias que agem como os genes) e o darwinismo para propor explicações à tendência da humanidade de acreditar num ser superior. E desmonta um a um, com base na teoria das probabilidades, os argumentos que defendem a existência de Deus (ou Alá, ou qualquer tipo de ente sobrenatural), dedicando especial atenção ao 'design inteligente', tentativa criacionista de harmonizar ciência e religião. Mas, se é agressivo para expressar sua indignação com o que considera um dos males mais preocupantes da atualidade, Dawkins refuta o negativismo. Ser ateu não é incompatível com bons princípios morais e com a apreciação da beleza do mundo. A própria palavra 'Deus' ganha o seu aval na ressalva do 'Deus einsteiniano', e o maravilhamento com o universo e com a vida, já manifestado em seus outros livros, encerra a argumentação numa nota de otimismo e esperança.”

    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem=9018277&sid=011313097101229719496107553&k5=E07DB1A&uid=[/align]
     
  2. Anica

    Anica Usuário

    êêê, você criou o tópico :lily:

    Eu acredito que sim, especialmente porque a interpretação e recepção de um texto depende do leitor. Se ele já é um religioso é natural que ele faça uma leitura "relevando" momentos meio contraditórios, como o deus da punição que aparece no antigo testamento e o deus do perdão que aparece no novo.

    Eu acreditava. Achava que a única coisa que impedia pessoas de saírem matando umas as outras era a crença de que algo ruim aconteceria com ela por causa disso, como castigo vindo de uma deidade (seja qual for). Mas se for reparar na quantidade de assassino, ladrão, estuprador, etc. que é "devoto", bom, acho que essa idéia cai por água abaixo.

    Compreendo que existam casos de pessoas que "se recuperaram" através da religião. O problema são os casos das pessoas que agiram mal mesmo se dizendo religiosas.

    ***

    Sobre o livro, foi o que me apresentou ao Dawkins. Depois dele li O Gene Egoísta e Desvendando o Arco-íris, que são todos muito bons especialmente por aquela característica básica do Dawkins de explicar as coisas de forma clara sem tratar o leitor como um completo idiota.

    Mais ainda: ele tem um raciocínio lógico, e uma argumentação invejável. Para começar, não baseia nenhuma informação em falácias, sempre mostrando números de pesquisas e fatos a partir de onde tirou conclusões.
     
  3. imported_Raphael

    imported_Raphael Usuário

    Trecho de um artigo um pouco antigo de Janer Cristaldo em que ele menciona um das partes engraçadas no livro de Dawkins:

    UMA CENA DE TERROR

    “Em seu livro Deus – um delírio, o escritor conta uma história de terror, protagonizada pelo mestre do terror, Alfred Hitchcock. O cineasta dirigia por uma estrada na Suíça, quando de repente apontou pela janela do carro e disse: "Essa é a cena mais aterrorizante que já vi". Era um padre conversando com um menininho, a mão dele sobre o ombro do garoto. Hitchcock pôs a cabeça para fora do carro e gritou: ‘Fuja, menininho! Salve sua vida!’”

    http://cristaldo.blogspot.com/
     
  4. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

  5. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    Vídeo incompleto, JLM.
     
  6. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    é o + completo q achei, mesmo assim faltam só uns 2min.
     
  7. Calib

    Calib Visitante

    Sacanagem da organização do evento de não permitir a tréplica do Dawkins.
    Além de que o Lennox já sabia de antemão todas as perguntas e pôde se preparar muito bem, inclusive com citaçõesinhas de outros livros do Dawkins.
    Não obstante, levou um pau e tomou um fatality.
     
  8. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    tb achei q a organização foi tendenciosa, talvez por a patrocinadora ser religiosa, né?
     
  9. Marc_dell

    Marc_dell Usuário

    Dawkins está equivocado em um ponto importante: esse tipo de ataque à religião e à idéia de Deus está mais para o século XIX. Ele se notabilizou mais por essa discussão desatualizada do que por trabalhos científicos em sua área. Não sei se chega a ser o caso, mas muitas vezes ele parece um positivista acreditando que a razão e a ciência vão esclarecer os homens e fazer com que parem de acreditar em um misticismo tolo.

    Não sou religioso, por isso considero que posso falar bem tranquilamente sobre esse assunto. Mas também não sou ateu, que me parece um engano já no século XIX (pensar que a ciência pode esclarecer mentes e levar a humanidade a um estágio mais evoluído), mais ainda agora.
    Acho que alguém devia avisar o Dawkins que apesar de muitos massacres terem sido cometidos em nome da fé, outros tantos foram em nome da ciência.

    Enfim, ele me parece um pouco ingênuo no fim das contas...
     
  10. Ramalokion

    Ramalokion Mecha-de-Folha


    Na verdade a leitura atenta das obras anti-religião do Dawkins mostra que você está equivocado. O ataque feito por ele a religião/Deus é na verdade um contra-ataque ao bombardeio religioso que sofremos todos os dias. A intenção dele, aliás muito melhor explicada pelo próprio no início da obra em discussão, é justamente esse: Por quê sou obrigado a aceitar as religiões e ideias religiosas dos outros como sendo assunto tabu e, quando propago minhas ideias, o ideia laica que considero a melhor hipótese é tachada de "grosseira", "maldoso", etc..?

    Marc seria bem legal de sua parte explicar a "ingenuidade". E resumir a discussão a "quem causou mais massacres" é diminuir muito o tema. Apesar de que a religião ganha disparado nesse quesito.

    O ponto que o livro chama a atenção, antes de dissecar a ideia religiosa, é: Por quê ensinar meu filho a ser católico/muçulmano/umbandista/etc é aceito e brigamos por esse direito, mas ensinar matemática, fisica, quimica e outras ciências é deixada para escanteio?

    E por último: entendo que você se considera Agnóstico, certo? Mas pela sua afirmação no 2º parágrafo, você seria um "agnóstico mistico"! Afinal se você separa entre duas as possibilidades de "... esclarecer mentes e levar a humanidade a um estágio mais evoluído..." e, entende a ciência como engano, sendo a parte religiosa a correta, você estaqria nos dizendo que... O espirito é o caminho, mas você não sabe segui-lo?

    Esclareça-nos por favor!
     
  11. Marc_dell

    Marc_dell Usuário

    Sabe já me chamaram de muitas coisas, mas agnóstico místico é novidade...

    Quando eu disse que ele faz uma discussão arcaica, me refiro a autores como Marx, Bakunin, Nietzsche, Stirner... Todos eles já haviam feito críticas bem mais fundamentadas que Dawkins.

    Nietzsche, por exemplo, de quem posso falar mais tranquilamente, lembra que há muita semelhança entre o modo de pensar religioso e a ciência (e com isso ele queria dizer que se nos dedicássemos com a mesma "estreiteza" de pensamento o resultado não seria muito diferente). Gosto dele ainda porque fui buscar a posição em relação a Deus e religião: o que existe no mundo metafísico (se é que existe) não pode ser pensado, não temos instrumentos para pensá-lo, daí porque dedicar tempo e energia a coisas que não podem nunca deixar de ser mera hipótese? Enfim, se Deus existe não me diz respeito (e por isso, não sou agnóstico, certo?).

    Compreendo que ele queira dar o mesmo status aoensino da ciência... Mas não posso deixar de dizer que essa posição tem muita validade nos EUA, com seu modo de ensino; mas pouca importância para nós, que não vivemos a mesma opção excludente. Nunca vi pelo menos esse tipo de discussão no Brasil, as escolas ensinam (ou fingem que ensinam) darwinismo e algumas dão aulas de religião, mas nunca se excluem.

    Vem daí eu dizer que ele é ingênuo, acreditando que as coisas possam simplesmente melhorar se os fundamentalismos forem abandonados. O maior massacre da ciência foi o Holocausto na Segunda Guerra, feito simplesmente pelo país mais laico e avançado em termos de ciência no mundo de então...

    E não é porque critiquei a posição dele que me coloco ao lado dos religiosos, muito pelo contrário: a crítica à religião é necessária, mas acho que já foi feita com mais propriedade.
     
  12. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    ainda ñ li nenhum livro do dawkins, mas nos documentários e vídeos q assisti com ele a participação foi sofrível. tenho q concordar com o marc q ele chove no molhado, com argumentos facilmente refutáveis e fica olhando com cara d bobo qdo um pastor ou religioso passa o maior sermão nele (é, já vi isso + d uma vez). ou seja, gosto d boas discussões, mas desde q os debatedores usem os melhores argumentos e contra-argumentos, seja p q lado for, ñ simplesmente provoquem e depois pareçam estar sendo humilhados. se bem q essa pode ser a tática dele né?

    em vídeo, acabo bem + fã das considerações do george carlin dq das do dawkins, mesmo ambos defendendo a mesmíssima coisa.
     
  13. Raphael_Dias

    Raphael_Dias Usuário

    Reviverei esse tópico, já que o assunto me interessa.
    Não cheguei a ler por completo essa obra de Dawkins, li os primeiros capítulos em e-book, mas não consigo ler no computador e não comprei o livro, porque, além de os primeiros capítulos não terem me prendido, é uma facada. Posso dizer, no entanto que é uma das obras mais fracas de Dawkins e, entre as suas contemporâneas que discorrem sobre o tema da existência de deus, a pior, acho Hitchens e Dennett mais interessantes.
    Admiro o trabalho de Dawkins, li "O Relojoeiro Cego" recentemente e gostei muito, sou ateu, mas acho que só apontar as falhas da igreja católica e os terroristas islâmicos não vai convencer ninguém sobre nada. Foi um livro de um ateu para ateus, se tornando, portanto, desnecessário, já que nenhuma novidade foi dita sobre religião, não prova nada quanto a existência ou não de divindades e usa simplesmente a ciência para negar um tema não científico, o que não basta, é necessário uma base filosófica e isso Dawkins, aparentemente, não tem ou não dá valor.
     
  14. Anica

    Anica Usuário

    vc espera de verdade que alguém prove isso?

    ***

    sobre o livro, mais de 3 anos após meu primeiro comentário: eu ainda invejo a retórica de dawkins, gostaria de expor minhas opiniões como ele. mas confesso que o dawkins ateu já deu no saco. li recentemente a magia da realidade e fiquei pensando pq diabos ele foi se perder nessa cruzada anti-religião. gosto ainda de deus, um delírio, tenho diversos trechos desse livro grifados, pq para mim foram uma forma de abrir os olhos para questões que eu deixava passarem batidas. mas qdo li O maior espetáculo da Terra, por exemplo, eu ficava bastante enfadada com os cutucões desnecessários à religião quando o assunto era evolução/biologia.

    no mais, ainda acho que imperdível mesmo é O gene egoísta.
     
  15. Raphael_Dias

    Raphael_Dias Usuário

    Obviamente não Anica, não se prova a não existência de algo e sim o contrário, mas o livro dele nada acrescentou ao debate. Devo ter me expressado mal.
    Acho que ele é um dos mais importantes biólogos atuais, faz um excelente trabalho divulgando a ciência, principalmente a evolução, e poderia continuar nessa área, talvez não tenha gostado do livro, pois antes de lê-lo, já tinha pensado e lido muito sobre religião, chegando a conclusões similares, por isso achei muito superficial.
    Concordo com você que ele esse perdeu nesse combate.
     

Compartilhar