1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Destruição de Vontades

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Gui., 18 Set 2010.

  1. Gui.

    Gui. Usuário

    Esse elemento curioso é mencionado diversas vezes nas obras de Tolkien: "Destruição de vontades". Eis vários exemplos:

    Gandalf e Frodo falando sobre o Anel:


    (A sociedade do anel, pág 83)

    Frodo e Sam em Cirith Ungol:

    (RdR, pag 49)

    Melian e Thingol falando sobre Morwen, o rei élfico queria que Morwen ficasse em Doriath.

    (Silmarillion, não sei a pagina, estou sem o livrinho aqui.)

    Isso é mencionado muitas vezes no Silmarillion, já que a Primeira Era era uma era muito mais "mística".

    O que é exatamente essa "destruição de vontades? " Ela parece estar profundamente ligada ao modo como a "magia" na Terra-Média funciona.

    Parece que quando uma pessoa ou ser em Arda tem a sua "vontade destruída", ela é destruída também, ou sua mente o é, ou algo parecido. Mas ainda não é muito claro...

    Por exemplo, se Galadriel, usando o Um Anel, viesse até um humano, ela poderia "quebrar a vontade" do humano e usá-lo como seu servo? Tem algo no HoME sobre destruição de vontades?

    Comentem!
     
  2. Dorak

    Dorak -Morgoth! Não me chame de

    Creio que a "vontade" citada no diálogo de Gandalf e Frodo, assim como no de Melian e Thingol está mais ligada ao livre arbítrio, no sentido de não interferir diretamente nas escolhas.

    Já a vontade no trecho de Cirith Ungol está ligada à ação, a ação maligna da Sentinela, que impedia os dois de entrarem na Torre. Se refere a um choque de forças.

    Mas essa questão que você colocou é interessante.
    E quanto a sua pergunta hipotética sobre Galadriel e o Um, eu acho que o que acontece é o seguinte. O Um Anel por si só garantia determinados 'poderes' àquele que o possuísse, seja a dádiva da longevidade para os humanos, quanto a invisibilidade e etc. Mas agora imagine isto: além desses 'poderes', estar com parte do poder de Sauron, um ser vil e cruel que impunha medo até mesmo em seus servos. O X da questão, na minha opinião, é quem está com a posse do Anel. Dependendo da força e influência dessa pessoa, ela poderia subjulgar os outros facilmente até mesmo sem a Jóia, mas é claro que ele ajudaria muito (Pouco se postariam contra o Senhor do Escuro e ainda mais a alguém com força e parte do seu poder). Daí também vem o medo do Anel cair nas mãos dos grandes, e a recusa de Gandalf em aceitar a jóia quando Frodo o oferece.

    Outra coisa interessante a se notar é que geralmente quando essa expressão, "quebrar a vontade", aparece ela é pronunciada por alguém sábio. Isso ocorra talvez pela ampla visão das coisas ao redor e também do conhecimento de que o livre árbitrio é uma dádiva, e privar os outros dele seria algo mal (talvez essa palavra não caia bem), e que equipararia aos atos dos maiores tiranos, tal como Melkor.


    edit: não sei se nos HoME tem algo em específico sobre "quebra de vontade", mas você vai econtrar algumas coisas interessantes sobre o livre arbítrio, se não me engano.
     
    Última edição: 18 Set 2010
    • Gostei! Gostei! x 1
  3. _ Sauron _

    _ Sauron _ Senhor dos Lobisomens

    Acho que a quebra de vontade seria destruir toda a estrutura que mantém a ação ou a conduta de alguém. Por exemplo, um guerreiro humano luta por sua família, amigos e pátria, mas com um simples grito um nazgûl substitui tudo isso por apenas um sentimento: medo. Então a vontade dele é quebrada e ele é dominado pelo medo, que controla o corpo dele para uma tentativa de fuga. Ao quebrar a vontade de alguém, você mexe muito com a cabeça daquela pessoa, e dependendo do "nível" da quebra, a pessoa pode perder o interesse pela vida.
    Théoden é um exemplo de vontade controlada:
    Nesse caso a vontade dele podia ainda ser reestabelecida como de fato aconteceu, quando Gandalf o libertou do domínio de Saruman. Acho que é isso.

    EDIT: Achei outra passagem interessante:
     
    Última edição: 19 Set 2010
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Gui.

    Gui. Usuário

    Tem vários sentidos essa "Destruição de vontade" no legendarium mesmo.

    Outro exemplo, li em alguma parte, dizia que a pessoa,para controlar o Um, teria de ter uma grande vontade.

    Mas, como que uma pessoa "fortalecia" a sua vontade?

    E o que será que aconteceria com a Morwen se Thingol "quebrasse sua vontade" ao forçá-la a ficar em Doriath? Ela morreria? ou ficaria sem ânimo para fazer mais nada e definharia lentamente?
     
  5. zorba

    zorba VAI CORINTHIANS!

    essa vontade deve ser mais a força interior da pessoa mesmo... literalmente a "força de vontade"... aquilo que move o coração, da força para o corpo e alimenta a alma
     
  6. marktl82

    marktl82 Usuário

    Realmente, não vejo nada de mágico ou misterioso nessa quebra da vontade. Basicamente é o que já falaram, tendo relação direta com a pessoa. O fim da sua convicção se podemos assim chamar.
     

Compartilhar