1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Descoberta comunidade com mais de 100 anos em Campos

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Elessar Hyarmen, 2 Dez 2010.

  1. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Pessoar!

    Julguei interessante essa informação e vale a pena dar uma lidinha :yep:


    Por
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , 01/12/2010 13:35

    Cerca de 10 famílias vivem em Carobinho, área de difícil acesso perto do Imbé




    Uma comunidade cravada no meio de morros, de comportamento hostil e convivência limitada ao espaço físico ocupado por ela. Carobinho, na região do Imbé, recebeu na semana passada, a expedição realizada pela Fundação Municipal Zumbi dos Palmares, Instituto do Desenvolvimento Afro Norte e Noroeste (Idanff), Ministério do Desenvolvimento Agrário e Instituto Historiar.


    A dificuldade de acesso à área e o parentesco entre as famílias são fortes indícios, segundo o presidente da Zumbi dos Palmares, Jorge Luís dos Santos, de que Carobinho é uma comunidade remanescente de quilombo.
    De acordo com Jorge Luís, depois do primeiro contato com a comunidade, o próximo passo será o planejamento de ação conjunta com as secretarias municipais de Saúde e Assistência e Família para que ações, como vacinação e retirada de documentos. A intenção, segundo o presidente, é oferecer condições básicas de sobrevivência para as famílias, mantendo as características apresentadas por elas.


    Na primeira visita dos representantes das instituições foi possível perceber a forte influência quilombola entre as cerca de 10 famílias que moram no local de difícil acesso e que dispõem apenas de energia elétrica, instalada há pouco mais de um ano e meio.


    - Eles vivem praticamente isolados. O isolamento só não é total, porque há um membro que, utilizando uma moto, vai às comunidades próximas comprar mantimentos e também transporta uma das crianças que moram em Carobinho para uma escola de Mocotó. Mas a área é de difícil acesso. Para chegarmos lá, precisamos ir de carro e ainda caminhar uns 40 minutos para avistar as primeiras das 10 casas espalhadas – destacou Jorge Luís.


    Segundo o presidente da Fundação, os moradores vivem da agricultura familiar. De comportamento muito fechado, a comunidade foi descoberta a partir de um membro da Pastoral da Terra, que conheceu as famílias há cerca de dois anos. “A primeira informação que tivemos ali é de que chegaram há, pelo menos, 100 anos ao local. Um dos homens da comunidade contou que seu bisavô, que teria sido escravo em uma fazenda em Mocotó, morreu há duas décadas com a idade de 135 anos. Pelo que pudemos entender, foi um escravo fujão e levando em conta a Lei Áurea, assinada há 122 anos, podemos considerar essa comunidade com mais de 100 anos, sim”, explicou Jorge Luís.




    Fonte: Site da Prefeitura de Campos


    Enviada por Ruben Siqueira
     

    Arquivos Anexados:

  2. lisseminte

    lisseminte Nox!

    Nunca havia visitado um quilombo, antes. A maioria dos quilombolas deve conservar as tradições e as histórias de seus antepassados. Parece ser muito interessante.
     
  3. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Sim, é muita viagem mesmo, super bacana.

    Eu já tive a oportunidade de trabalhar em algumas comunidades quilombolas de Minas Gerais e Bahia e parece uma viagem a África ou a um Brasil que está em outro mundo. As tradições, cultura, o modo das pessoas serem e como te tratam, a culinária, uma experiência fantástica.

    Vale a pena!
     

Compartilhar