1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Desaparecimento dos Valar -> elemento mitológico comum

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por ExtraTerrestre, 3 Abr 2004.

  1. ExtraTerrestre

    ExtraTerrestre Usuário

    Alguém já associou a ruína de Númenor e o desaparecimento de Valnir do mundo como um elemento comum na mitologia ou religião? Veja dois casos:

    - Na mitologia grega, os deuses do olimpo se mudaram para o céu, razão pela qual nunca mais ouve acontecimentos tão fantásticos quanto na época de Hércules, etc.
    - Na tradição cristã, eles declaram o fim da bíblia um século depois de Cristo, alegando que a revelação já acabou. a partir daí, pão cair do céu nunca mais, embora haja o milagre dos santos.

    Então, pode-se ver que os feitos durante as eras vão decrescendo em termos de magia, culminando na saída dos elfos da Terra-média, daí entã sobram-se resquícios de magia e/ou poder sagrado, como no caso do cristianismo...
     
  2. Luna Telperion

    Luna Telperion Usuário

    Bom, aqui vai o comentário de alguém que -infelizmente - ainda nao leu o Silmarillion, mas já ouviu bastante sobre essa história: embora nao tenha exatamente a ver com mitologia (será?) ou religião, a queda de Númenor me lembra muito o mito de Atlântida - os homens chegaram a um ponto tal de evolução tecnológica que passaram a afetar o mundo, considerando-se superiores. Por causa disso, Atlântida afundou. Logo depois, fala-se que alguns grupos conseguiram fugir, refugiando-se em certos pontos da terra e lá estabelecendo sociedades muito avançadas ( egipcios, astecas, maias, se nao me engano)

    É isso. Desde que eu ouvi falar da Queda de Númenor associei as duas coisas. Simples coincidência? :D
     
  3. Elrond Meio-Elfo

    Elrond Meio-Elfo Usuário

    Segundo Tolkien, Número ERA Atlântida. :lol: Mas podemos associar também com o conto da Torre de Babel.
     
  4. ExtraTerrestre

    ExtraTerrestre Usuário

    sim... mas jah reparou q o efeito da tecnologia vai aumentando e o da magia decrescendo... isso ocorre em todas as mitologias q jah ouvi flr...
     
  5. Elrond Meio-Elfo

    Elrond Meio-Elfo Usuário

    Sim e isso está relacionado com a natureza do ser humano e a sua necessidade de moldar o mundo ao seu redor através do controle. À medida que os seres humanos crescem em tamanho e importância o mundo natural, belo, puro e mágico, tende a desaparecer.
     
  6. Maglor

    Maglor Lacho calad! Drego morn!

    Inclusive porque os Homens não são "mágicos", sub-criativos. Se eles não podem mais contar com a sub-criação dos elfos, anões, dos maiar e Valar, então eles são forçados a vencer as imposições do ambiente sozinhos, e a "evoluir" tecnologicamente.

    Tem uns trechos do HoME X que estão relacionados a isso, de certa forma:

     
  7. Minduim

    Minduim Suburban Kid w/ Biblical Name

    Pois é, e os homens, a meu ver, já são meio "intrusos" em Arda, já que eles só estão aqui de passagem mesmo. Além disso, eles não são tão ligados ao mundo como as outras raças, o que os impede de ter uma convivência 100% harmoniosa com a natureza de Arda.
     
  8. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    acho q eh justamente isso q eles tem de aprender... e qdu falamos em homens estarem de passagem temos q lembrar q ficam seus filhos, e por conseguinte... logo eh uma kestão de aprender a viver no ambiente... o q impede eles de viver 100% harmoniosamente acredito que seja esse dom de librerdade dado a eles por Eru, q já previa q eles iriam sair do caminho por vezes... o proprio homem por não ter aprendido q a morte era um dom e sim te-la confundido com trevas fez ele dar menos importancia a certos aspectos do mundo...

    mas mesmo assim não considero q o motivo deles não estarem em harmonia em Arda por serem forasteiros, e sim pq eles tinham q arranjar algum meio de vencer as adversidades, de dominar o ambiente, pq isso estava dentro deles, já que não possuiam poderes como elfos, valar e maiar... logo a adaptação era mais difícil... por isso qdu a época dos elfos acaba na Terra Média, e o homem acaba ficando, a "magia" diminui e a tecnologia aumenta... até pq o projeto dos Valar já tva estruturado e eles agora interferiam cada vez menos...
     
  9. Minduim

    Minduim Suburban Kid w/ Biblical Name

    Mas é pelo fato de os homens serem forasteiros que eles não possuem "poder" como os elfos, ou seja, moldar a matéria de Arda (guardadas as devidas proporções) sem prejudicar a própria Arda. Como os homens não tem uma ligação tão forte com Arda é que eles não podem moldá-la livremente como os Eldar.
     
  10. ExtraTerrestre

    ExtraTerrestre Usuário

    é, é isso q eu tava tentando falar... cai a magia necessária na moldagem do mundo, sob a tecnologia necessária na utilização d um mundo ja moldado
     
  11. FendiOrc

    FendiOrc Usuário

    Bom, quanto à Atlântida, era bem óbvio mesmo a relação entre as duas histórias. Agora, em relação à Torre de Babel eu acho que não tem nada a ver com a História de Númenor... A que pontos você está se referindo?

    Outra coisa que é muito ligada ao Cristianismo é a Queda de Melkor depois de desafiar seu "Pai" e criador. Não lembra ninguém? Que tal Lúcifer Estrela da Manhã? O mais belo e poderoso, que caiu nas Sombras.

    FendiOrc
     
  12. Elrond Meio-Elfo

    Elrond Meio-Elfo Usuário

    Ao fato de os homens tenderem sempre a procurar Deus através do uso de suas habilidades tecnológicas e no final Deus puní-los por sua arrogância.

    Bem, Tolkien afirma que Melkor ERA o Lúcifer. :lol: Ou o seu equivalente mais próximo.
     
  13. FendiOrc

    FendiOrc Usuário

    Ahn sim, agora entendi o que você quis dizer quando se referiu à Torre de Babel.

    E não sabia que Melkor realmente era Lúcufer. Preciso ler essas cartas de Tolkien, elas parecem esclarecer muita coisa mesmo...

    Valeu!
    FendiOrc
     
  14. Edrahil

    Edrahil Usuário

    O dom dado aos homens por Eru foi a mortalidade, algo que os elfos não tinham.

    O engraçado é que um sentia inveja do outro por isso! :lol:

    De qualquer forma, a partir do momento que os elfos deixam a TM, como os homens não tem habilidades mágicas, por assim dizer, a magia deixaria de existir.

    Vejam: deixaria. Se analisarmos as religiões, veremos que existe um "misticismo" (aos que não gostarem do termo, me desculpem, mas foi o que encontrei que mais se adapta ao tema) em cada uma.

    Lógico que valeria uma análise profunda e histórica de cada religião para ver como se desenrolou esse "misticismo", mas é certo que, pela necessidade de coisas palpáveis que o ser humano tem, o fato do "misticismo" muitas vezes não ser algo concreto na vida das pessoas, muitos deixaram de lado.

    Enfim, não concordo que a "magia" tenha sumido, mas sim que existe ainda em um plano bem menor que a tecnologia.
     
  15. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Cumpre observar aí a forma negativa como Tolkien via o maquínico. Saruman é a síncope disso e não só Isengard como o Expurgo do Condado com seus moinhos aludem pra isso. A máquina que destrói e reprime o antigo e mágico. Os ents e suas florestas dando lugar a fábricas... Enfim... E os homens grandões e barulhentos, que afugentam os pequeninos, são o que resta. Os eldar, sub-criadores, "mágicos", partem. Os anões somem. As criaturas do legendariun se esvaem, para o bem e para o mal. Creio que as águias partam pra Valinor e os Ents fiquem arvorescos até tornarem-se apenas uma remota lembrança do que foram. E por aí vai...

    Sim... vai de encontro...

    PS: Númenor, em sindarin, significava Atlântida, não?
     

Compartilhar