1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[Desafio] Quanto vale uma imagem?

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Palazo, 19 Ago 2009.

  1. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    Muitos já ouviram a clássica frase, "Uma imagem vale mais que mil palavras".

    Mas será que é possivel medir o valor de uma imagem?

    Pensando nisso, e aproveitando que hoje (19/08) é o dia mundial da fotografia, eu e a
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    após e-mails e mais e-mails trocados decidimos medir o valor de uma imagem através das palavras.

    Como? É muito simples.

    Publicaremos semanalmente neste tópico imagens, e cada um postará um texto em prosa sobre a imagem, indicando o numero de palavras que contém o texto. Este número será o valor da imagem.

    Os textos podem ser descritivos, filosóficos, histórias, etc, etc, etc... desde que seja inspirado na imagem em questão. A idéia é cutucar aquele incomoda falta de inspiração e ver o efeito que uma imagem causa em cada um. Como se fosse um exercício de inspiração, de criatividade ou simplesmente uma oportunidade para escrever mais textos.

    Calma! Não precisa ficar contando as palavras do seu texto,
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Resumo das Regras
    As regras iniciais vão moldando-se aos interesses daqueles que participarem do tópico, assim como a dinâmica e escolha de imagens. Então fiquem a vontade para criticar, opiniar e dar idéias.

    Assim vamos melhorando o tópico.
     
  2. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

  3. imported_Wilson

    imported_Wilson Please understand...

    (dedos tremendo de empolgação)
     
  4. imported_Wilson

    imported_Wilson Please understand...

    Cinzas caídas em retalhos de uma civilização perdida, o homem olha, não pensa, mas apenas observa, absorve o caos dos entulhos e o vazio do negrumo cinza diante de seus olhos. Vozes e vidas anuladas nos entulhos de um prédio que teimou em manter-se de pé. De olhos fechados, imagina os gritos de vítimas que esvaíram-se no ar, o retumbar de tiros que perderam-se no tempo. Tenta imaginar as ranhuras nas cápsulas de aço encravadas nas paredes de concreto, nos riscos dos ricochetes fincados nas vigas de metal. Nos cacos de vidro que se assomam às toras de madeira partida sob seus pés. Estaria ele pisando sob um pedaço de pano que outrora fora um lenço florido na cabeça de uma pequena garota? Caso vasculhasse, encontraria por baixo do entulho restos de um caminhão de plástico? Bolas de gude perdidas? Algum fragmento de osso, tira de pele ou músculo. Um olho humano? Pedaços de porcelana quebrada? Plaquetas de identificação militar? Enxerga a roda de uma bicicleta solta, parte de uma cadeira quebrada, uma mesa de boticário desmontada, um muro caído. Enxerga uma fotografia impressa em sua retina. Pisca os olhos mas ela continua lá. As cores drenadas pelo preto-e-branco de sua mente. Com a perna dobrada em um passo iminente, pensa em continuar caminhando, mas para. Olha ao redor. Para o prédio, novamente. Leva a mão na testa, aperta os olhos, distingue no horizonte algumas árvores chamuscadas, a silhueta de uma cidade destruída e volta a encarar a cúpula em cima da construção. Pensa em Deus, desenhado no teto. Pensa em um pesado órgão. Em repartições públicas, escritórios e secretárias e datilógrafos e pilhas de documentos e generais pesados atrás de escrivaninhas imponentes. Pensa em uma bomba. Caindo pesada e sem temor. No avião que a soltou. No piloto que apertou o botão. Na ordem transmitida em ondas de rádio, de outros escritórios, de outras escrivaninhas. No rombo que a bomba deve ter aberto no teto, trespassando a imagem do Todo-Poderoso, abrindo buracos através dos andares, até finalmente cair e parar no chão de concreto firme. E explodir. Pensa na nuvem de fogo e fumaça. No estrondo. Pensa que estaria neste mesmo lugar, na mesma posição. Olharia atônito a seu redor, veria seus camaradas de guerra vibrando com tamanho exemplo de destruição, empunhando seus rifles no ar, pulando em câmera lenta, abrindo sorrisos de satisfação. Esqueceria os companheiros mortos e simplesmente se admiraria com a explosão. O calor e a fuligem nos olhos. Sorriria com a vitória momentânea. Mas, agora que está aqui, e não resta nada que não o silêncio, sente-se triste pelo vazio da paisagem, pela distância e aparente impossibilidade de um recomeço, pelo eco em seus ouvidos, pelas cinzas que vêm com o vento.

    456 palavras
     
  5. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    Lelo: 130 palavras.

    Desabafo de um arquiteto...

    Há poucos dias passava por aqui e uma bela cidade branca se erigia. Mulheres elegantes acompanhadas de cavalheiros distintos passeavam pelas alamedas, hoje coberta pelos destroços. Onde hoje piso a terra nua, abaixo dos escombros, descendentes de Salomé mesmerizavam os visitantes. As memórias de um sonho construído de suor e sangue coberto de cal e iluminado de forma a vexar o dia, hoje resta o nada. Apenas uma lembrança daquele que era o prédio principal, no qual as maravilhas do mundo novo se estendiam numa fantasia palpável, num sonho. Sonho devastado, cujas réstias permanecem sob meus pés, e o esqueleto de uma fantasia ao fundo, teimosa memória da glória passada. Calco aos pés os cacos do sonho branco, fruto humano de um esforço sobre-humano, agora arruinado, devastado pelas mesmas mãos... humanas.

    Deixo para trás, ainda relutante, os últimos fragmentos do mundo de fantasia que ajudei a construir, com a dor de pai ao ver o fim dos seus, cedo demais...Levo comigo cores, cheiros e sabores, luzes, música e risadas, momentos e deslumbres... deixo para trás a devastação em branco-e-preto, que um dia foi meu sonho...

    187 palavras
     
  6. Farfael

    Farfael Usuário

    Prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, prédio, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, bomba, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, fogo, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, entulho, desilusão.
     
  7. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    farfael: 83 palavras.

    Não se esqueçam de postar o número de palavras do texto (tem um link ali no primeiro post...)
     
  8. imported_Wilson

    imported_Wilson Please understand...

    Muito bom isso aqui! Bela iniciativa Palazo. Interessante como cada um buscou uma temática e um estilo totalmente diferente pra mesma imagem, ainda que não houvesse como escapar do tema da destruição. Parabéns! Espero ver mais gente por aqui ainda.

    E pensei, a gente podia fazer um para músicas também. Vocês concordam? Eu poderia criar o tópico, e atualizar, sei lá, às quinta-feiras. O que vcs acham?
     
  9. Breno C.

    Breno C. Usuário

    O texto:

    palavras: 210


    Acho que qualquer projeto/desafio desses é válido e construtivo.
     
  10. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    Muito boa essa participação, e continuem postando, em breve vamos vir com mais novidades...

    E eu preciso postar o meu....rs

    A iniciativa é minha e da Kika...

    E como disse o Breno...
    Então bora lá Wilson...
     
  11. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    Wilson, gostei da sua idéia também... e acho q vc não precisa pedir permissão.. faz ué! eu participaria...
     
  12. imported_Wilson

    imported_Wilson Please understand...

  13. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

  14. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    Fiz minha visitinha (ainda estou lendo o de terror para continuar), agora ficaria bemmm feliz se vc contribuisse com suas palavras sobre a imagem... ^^

    (em outras palavras: up )
     
  15. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    Opaaaa.. e parece que essa onda de desafios deu um up no pessoal no tópico de prosa, nunca vi tantas publicações novas....

    E é verdade, queremos sua contribuição aqui JLM...
     
  16. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    Após me recuperar das invariáveis lesões causadas pelos sucessivos dias de combate eu voltei ao vilarejo onde nasci. Ouvi dizer que fora destruído por uma bomba, mas precisava ver com meus próprios olhos. Ao chegar, só encontrei devastação. Porém um fato me surpreendeu, a antiga casa onde eu nasci resistia, com parte de sua estrutura intacta. Faltavam janelas e parte da estrurura, assim como alguns cômodos habiam sido devorados pela tempestade de bombas. Porém era a única que ainda estava parcialmente de pé. E lembro das palavras que papai pronunciava sempre, "essa é a casa mais forte do vilarejo". E não é que ele tinha razão?

    Palavras: 105
     
  17. mandah

    mandah Usuário

    Me via sobre escombros. Escombros de vida, de amor, de esperança.
    Tudo estava destruído, acabado. E não fora somente o meu lugar que se acabara. Meu coração estava partido em mil pedaços. Toda a segurança que eu tivera até aquele momento estava no chão, como os restos do lugar no qual um dia fui feliz.
    Não havia mais ninguém. Tudo a minha volta era deserto. A única alma viva era eu mesmo. O silêncio predominava. O vazio que habitava aquele lugar me machucava. Ao ver o fim, lágrimas escorriam por meu rosto. Não restava mais ninguém. Não havia mais nada. Tudo acabara. Eu agora era o último sobre a Terra.

    palavras: 107

    Muito boa a proposta.
     
  18. imported_Wilson

    imported_Wilson Please understand...

    Vejo: Fantasmas negros como lágrimas de sangue roxo-escuro através dos veios de concreto aberto.
    Ouço: O clamar de dez mil crianças mortas, de espíritos lânguidos, viúvas soturnas a zumbirem em silencio.
    Sinto: O calor do fogo dissipado, o toque frio da névoa desgastada, a ausência de algo sagrado que venha depois, de qualquer coisa maldita que já existiu.
    Degusto: O azedo do vazio salivado, dentes ásperos corroídos, uma lingua sem sabor.
    Cheiro: O vazio do chao queimado.
    Pressinto: Nada.

    Mas se absorvo a destruicao, o fogo que derrete as fundacoes de aco se tornam parte de mim, no passado, no presente, e para todo o sempre, amem.

    100 palavras
     
  19. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    valeu pelo convite, gente.

    pena q esses dias tô sem tempo pras coisas agradáveis daqui do fórum. mesmo assim, entre um lapso e outro consigo ler alguns posts. qdo eu ressucitar com certeza vou dar a minha contribuição.
     
  20. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    Resumo da semana - 1ª imagem: 1378 palavras, sendo (em ordem de postagem)

    Wilson - 456 + 100 palavras
    Lelo - 130 palavras
    Kika - 187 palavras
    Farfael - 83 palavras
    Breno C. - 210 palavras
    Palazo - 105 palavras
    Amandinha - 107 palavras
     

Compartilhar