1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Death of a President (idem, 2006)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Gondorian Blade, 14 Set 2006.

  1. Gondorian Blade

    Gondorian Blade Usuário

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    A direção do Toronto International Film Festival manteve a exibição de DOAP, Death of a President (A Morte de Um Presidente), filme que investiga o assassinato fictício de George W Bush.

    O filme mostra as mudanças que ocorrem nos Estados Unidos após o assassinato de Bush em Chicago em 2007. Como era de se esperar, o festival foi duramente criticado por exibir o filme, principalmente na véspera do quinto aniversário dos ataques às Torres Gêmeas.

    A produção britânica, dirigida por Gabriel Range, segue a investigação do assassinato do presidente em ritmo de suspense, e já ganhou comparações com um dos maiores clássicos do gênero, Z, de Costa-Gavras, filme que chegou a ser proibido no Brasil. O roteiro de DOAP mostra a tentativa do governo de resolver o crime o mais rápido possível e a acusação contra um palestino, embora não existam evidências de envolvimento árabe no assassinato. O ponto principal da história é mostrar como os políticos usam o medo e a opinião pública durante um momento de crise.

    O cineasta Gabriel Range ridicularizou a idéia de que alguém pode se inspirar em seu filme e tentar assassinar o presidente dos Estados Unidos. Questionado porque não utilizou um presidente ficcional, o diretor declarou que se usasse um personagem fictício, como na série 24 Horas, o filme seria uma obra completamente diferente.

    A produção de DOAP está em negociações para distribuir o filme nos cinemas. Após curta temporada, o filme será exibido pelo Channel 4 britânico e em seguida será distribuído em DVD.

    Fonte: Omelete

    Interessante, muito interessante... espero q eles d fato explorem bem a idéia e ultrapassem a barreira do sensacionalismo.:think:

    Ah, e eu duvido q esse filme inspire alguém a matar Bush... essa inspiração já existe há muito tempo...:hanhan:
     

Compartilhar