• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

De Fã Para Fã

Administração Valinor

Administrador
Colaborador
<p>
<img src="images/stories/guidefranco.jpg" alt="guidefranco.jpg" style="margin: 5px; float: left; width: 96px; height: 128px" title="guidefranco.jpg" width="96" height="128" />No artigo anterior discutimos um pouco sobre as pessoas que desconhecem
o universo criado por Tolkien. Posso afirmar que para esta semana eu
tinha um tema completamente diferente do que vou come&ccedil;ar a desenvolver
agora, mas n&atilde;o pude ignorar meus pensamentos ao ler os in&uacute;meros
coment&aacute;rios do &uacute;ltimo artigo. A maior parte das pessoas que participam
de comunidades como a Valinor se considera f&atilde; da obra de Tolkien. Isto
&eacute; fato. Uma comunidade de f&atilde;s &eacute; o que movimenta as discuss&otilde;es acerca
das obras e tamb&eacute;m o com&eacute;rcio em torno dos derivados das obras escritas
como filmes, miniaturas, roupas, e toda esp&eacute;cie de colecion&aacute;veis que um
f&atilde; amaria possuir. Um f&atilde; v&ecirc; sentido em tudo isso, se identifica com a
obra de tamanha maneira que passa a buscar mais subs&iacute;dios para expandir
seus conhecimentos e admirar ainda mais aquilo que contempla. E isso &eacute;
completamente compreens&iacute;vel. Obviamente que existem f&atilde;s de diversas
categorias e intensidades. H&aacute; os que apenas admiram os filmes mas que
n&atilde;o tem vontade de explorar os livros, como h&aacute; aqueles que amam os
livros, desprezam os filmes e querem que o Peter Jackson queime no
inferno. Existem aqueles que conseguem dosar os dois lados e tentam
ampliar as perspectivas nas duas frentes. N&atilde;o podemos nos esquecer,
sobretudo dos f&atilde;s que fazem jus &agrave; origem da palavra &ldquo;fan&rdquo;, abrevia&ccedil;&atilde;o
de &ldquo;fanatic&rdquo; a qual podemos traduzir como &ldquo;fan&aacute;tico&rdquo;. Sim, os fan&aacute;ticos
existem em todos os lugares. De Igrejas a comunidades de Star Wars, os
fan&aacute;ticos sempre existir&atilde;o e grande parte deles tenta espalhar o
conhecimento e a paix&atilde;o pelo seu objeto como algo &uacute;nico e necess&aacute;rio
para toda a humanidade. Acreditem, eu j&aacute; fui assim. E as conseq&uuml;&ecirc;ncias
disso podem n&atilde;o ser das melhores.
</p>
<p>
&nbsp;
</p>
</ br> Leia Mais...
 

Elring

Depending on what you said, I might kick your ass!
Usuário Premium
Cara, parabéns pelo tópico De Fã pra Fã! Realmente, as histórias de Tolkien são tão envolventes que já tive vontade de aprender élfico e sair falando na rua. E já xinguei quem achava os livros chatos, assim como os filmes. De vez em quando dou uma incentivada aqui no fórum para lerem O Silmarillion, livro que, na minha opinião de fã, é o melhor e não tem discussão! :mrgreen:

Parabéns, mesmo :clap:
 

Sindar Princess

Que deselegante...
Bom... como amiga, eu já falei na sua cara que abominei essa sua fase obstinada.
Eu não acho nada normal e legal essas coisas, na boa.
Porque isso pra mim é fuga da realidade.
O "normal" é vc ir e voltar... lá e de volta outra vez, como Bilbo fez. Se vc ficar, corre o risco de viver alienado num universo que não te pertence, mas que pode ser uma ótima fonte de resgate de valores e preceitos.
Beba da fonte, mas não se afogue nela.
 

Nessa Ancalímon

Fora com um...
Adorei isso, Sindar Princess...

Sindar Princess disse:
Beba da fonte, mas não se afogue nela.


E pior me sentia nesse modo até um tempo atrás...
N existia mais nada no meu mundo além de SDA, J.R.R Tolkien...
Ja n tinha mais relidade, nem vida, nem nda + importante...
Mas essa eh uma fase q sempre passa... Ainda bem... Rsrs
 

JPHanke

Usuário
Ótimo texto!! Gostei muito!
Também já tive minha fase fanática, não tanto quanto a de Guilherme, mas tive. Queria falar de Tolkien para tudo e todos. Isso acabou sendo chato pra mim mesmo. Mas enfim encontrei a Valinor e aqui pude debater com outros fãs o meu pequeno conhecimento sobre as obras e expandí-lo cada vez mais!
 

Minos

Usuário
Bom... como amiga, eu já falei na sua cara que abominei essa sua fase obstinada.
Eu não acho nada normal e legal essas coisas, na boa.
Porque isso pra mim é fuga da realidade.
O "normal" é vc ir e voltar... lá e de volta outra vez, como Bilbo fez. Se vc ficar, corre o risco de viver alienado num universo que não te pertence, mas que pode ser uma ótima fonte de resgate de valores e preceitos.
Beba da fonte, mas não se afogue nela.

Acho essa parte bastante importante. Pois acho que qualquer um na vida ja passou por experiencias que deixaram marcas, sei lá uma irritação um momento bom ou mesmo ruim, mas acho que as pessoas não deveria se fechar muito nesse mundo que criamos par nos resguardarmos onde estamos livres de tudo e todos. Acho que ficar preso dimais a essa ideia pode prejudicar bastante, pois a pessoa se fecha para o mundo real perdendo a noção... :ahn?:
 

ARABAEL

Ema Infame e
Culto excessivo de alguém ou de alguma coisa, fanatismo vem do latim fanaticus, quer dizer "o que pertence a um templo", fanum.Todo fanatismo (psicamente falando) parece ter relação com a fuga da realidade, a crença cega ou irracional parece loucura quando se manifesta em momentos ou situações específicas, porém se sua inteligência não está afetada, o fanático aparentemente é um sujeito normal, mas pode torna-se um ser potencialmente explosivo, sobretudo se o fanatismo se combinar com uma inteligência tecnologicamente preparada. Fanático inteligente é um perigo para a civilização...rsrs, digamos que sou uma fã ponderada como já disseram aqui, eu vou e volto nos meus devaneios, curtir as obras cada pedacinho, cada detalhe, compartilhar isso com alguém, desvendar os mistérios da obras (Tom Bombadil), colecionar tudo que possa trazer a proximidade de Tolkien para junto de nós...é bom fugir da realidade um pouco, quem já não se pegou em imaginar ser um ser livre de problemas onde nada o abala, um elfo por exemplo, com vida eterna (até que se prove o contrário), ou uma rei poderoso mas humano, sendo muito respeitado pelos seus súditos, um grande guerreiro valoroso, destemido, forte, herói de guerras ou um mago cheio de astúcia, sabedoria...e acordamos da fantasia e colocamos os pés no chão porque tudo que é demais faz mal, até amor.
 

Snaga

Usuário não-confiável!!!
Eu me achava fanático, mas descobri que sou um fã bem ralé perto do que você fez! :lol:

Também já houve um tempo em que eu só falava de SdA, logo que li o livro e vi os filmes pela primeira vez. Meus amigos me abominavam, mas eu não estava nem aí.

Ainda discuto bastante com eles sobre isso, até porque hoje eles se interessam um pouco mais. No entanto já não tenho mais saco para discussões profundas e nem pra ficar fazendo as pessoas se converterem ao meu fanatismo.

Enfim... sei que basta eu reler os livros (o que penso fazer já no final do ano) que todo o fanatismo vai voltar (como sempre acontece), mas cada vez mais fraco.

No entanto a admiração pela obra do Professor nunca acaba. Pelo contrário, cresce mais a cada vez que releio os livros!!!
 

Elendil

Equipe Valinor
Muito legal o texto, Guilherme. Outro dia nós falávamos sobre alguns dos aspectos levantados por você no texto, até essa foto eu já tinha visto.:lol:

Mas é interessante como os fãs lidam com seu "fanatismo". A maneira que eu encontrava para extravasar o meu, era desenhando e construindo coisas baseadas na TM. Comecei a fazer isso depois que eu percebi, sem muita demora, que tentar falar sobre Tolkien, ou sobre a Trilogia cinematográfica, com pessoas que já tinham declarado não gostar, ou que ignoravam isso, era inútil e só me fazia passar por chato. Da mesma forma como eu achava chatas e irritantes pessoas que me paravam na rua, vez ou outra, para falar sobre sua fé, ou fazer "propaganda" de sua igreja. Eu simplesmente não queria causar esse tipo de reação nas pessoas.

Foi na Valinor que encontre espaço para discutir os assuntos referentes ao universo criado pelo Professor, e extravasar minha vontade de falar sobre isso.
Assim que eu desligo o computador, ou fecho o livro, volto para a vida real e seus problemas reais, mas sempre com mais ânimo, por ter feito antes o que me interessa e dá prazer, além de outras coisas.
 

Nessa Ancalímon

Fora com um...
Eädsohn disse:
Mas é interessante como os fãs lidam com seu "fanatismo". A maneira que eu encontrava para extravasar o meu, era desenhando e construindo coisas baseadas na TM. Comecei a fazer isso depois que eu percebi, sem muita demora, que tentar falar sobre Tolkien, ou sobre a Trilogia cinematográfica, com pessoas que já tinham declarado não gostar, ou que ignoravam isso, era inútil e só me fazia passar por chato. Da mesma forma como eu achava chatas e irritantes pessoas que me paravam na rua, vez ou outra, para falar sobre sua fé, ou fazer "propaganda" de sua igreja. Eu simplesmente não queria causar esse tipo de reação nas pessoas.

Foi na Valinor que encontre espaço para discutir os assuntos referentes ao universo criado pelo Professor, e extravasar minha vontade de falar sobre isso.
Assim que eu desligo o computador, ou fecho o livro, volto para a vida real e seus problemas reais, mas sempre com mais ânimo, por ter feito antes o que me interessa e dá prazer, além de outras coisas.

Muito bom o modo q vc arranjou para desencadear o seu fanatismo...

E claro q soh temos a agradecer por vc compartilhar o seu conhecimento a respeito do Mestre... :abraco:
 

Sauron

Dark Lord
O que salpica um pouco de tempero a mais no mundo são exatamente as diferenças, se todos tivessem gostos iguais, imaginem como tudo seria mais chato e monótono, o livre arbítrio ta aí galera, vamos fazer bom uso dele huahua
 

CelsoRusso

Usuário
hehehe, vou fazer um comentário de pai, agora: imagino a reação dos seus a essa sua fase, a pintura cinza sendo talvez o ápice dela!

mas olha, fãs todos aqui somos e nenhum de nós está livre de às vezes mergulhar fundo no Universo do Mestre e desejar ser um hobbit, ou um elfo, ou um ent... às vezes, eu tenho vontade de me tornar um ballrog pra lidar com certas pessoas, mas felizmente não consigo! rs...

Enfim, como costuma acontecer com pessoas normais, vc encontrou o seu ponto de equilíbrio. Desejo de coração que consiga realizar o seu sonho no filme dO Hobbit, mas se não conseguir, vc pelo menos tentou com muito mais empenho do que qualquer outra pessoa no mundo e isso valoriza muito vc.
 

Excluído028

Excluído a pedido
E já tive uma fase entusiasta, por assim dizer. Mas aprendi, paulatinamente, a dosar isso. Só conversar esses assuntos com quem está interessado de fato.

É um saco quando alguém insiste em falar sobre coisas que você não tem a menor paciência para ouvir. Colocar-se no lugar das pessoas é um passo decisivo. ;)
 

Mina Murray

Usuário
Pois é, a maioria das pessoas já passou mesmo por alguma fase de fanatismo. Eu mesma fiquei meio fanática depois de assistir ao primeiro filme pela primeira vez. Eu achava as pessoas que não se interessavam pelas obras de tolkien uns ignorantes e simplesmente não entendia como alguém podia não gostar de SDA. Eu queria a todo custo fugir desse mundo, sei lá, encontrar uma "passagem para outra dimensão" e não voltar nunca mais. Eu literalmente viajava quando lia os livros e tudo o que mais desejava era entrar naquele mundo. Passei a ser mais reservada, gostava de conversar apenas com pessoas que compartilhassem os mesmos gostos, até mudei a forma com que me vestia e deixei meus cabelos crescerem exageradamente (queria que ficassem como os da Éowyn, rsrs).
Bem, mas o tempo foi passando, entrei para a faculdade e conheci pessoas totalmente diferentes de mim. Fui fazendo novas amizades e a falta de tempo extra para ficar "sonhando" me fez colocar os pés no chão. E como foi bom!!!
Devemos sim viajar para "outros"mundos, mas sempre voltando para a realidade. Todo exagero é nocivo. E nada melhor do que ter discernimento para separar a ficção da realidade (e, principalmente, encarar a realidade!!)!!!
 

Aellue

Usuário
Eu sempre gostei de viajar em meus livros e entrar na terra deles, nunca cheguei ao ponto de me pintar, mas acredito que teria feito isso se poudesse..^^
atualmente também entendo que a realidade deve ser vivida, mas ainda me pego pensando nas histórias do mestre muitas vezes.
claro que gosto da realidade, mas vou ser sincera, eu ainda iria preferir viver em Lothlórien..^^
mas como nem tudo se pode escolher..=/

:osigh:
 
Otimo texto!! adorei!
naum sei se eu era uma fã fanatica... na epoca falava muito sobre sda.. mas nunca quis que ngm se convertesse a fanatico como eu... eu soh ficava abismada (como fico ate hoje) quando alguem me fala que naum gosta de sda!^^hoje ja naum comento com muita gente.. pq a maioria das pessoas que eu conheço naum curtem mais sda..foi soh na epoca dos filmes mesmo..
 

Penelope

Usuário
No artigo anterior discutimos um pouco sobre as pessoas que desconhecem
o universo criado por Tolkien. Posso afirmar que para esta semana eu
tinha um tema completamente diferente do que vou começar a desenvolver
agora, mas não pude ignorar meus pensamentos ao ler os inúmeros
comentários do último artigo. A maior parte das pessoas que participam
de comunidades como a Valinor se considera fã da obra de Tolkien. Isto
é fato. Uma comunidade de fãs é o que movimenta as discussões acerca
das obras e também o comércio em torno dos derivados das obras escritas
como filmes, miniaturas, roupas, e toda espécie de colecionáveis que um
fã amaria possuir. Um fã vê sentido em tudo isso, se identifica com a
obra de tamanha maneira que passa a buscar mais subsídios para expandir
seus conhecimentos e admirar ainda mais aquilo que contempla. E isso é
completamente compreensível. Obviamente que existem fãs de diversas
categorias e intensidades. Há os que apenas admiram os filmes mas que
não tem vontade de explorar os livros, como há aqueles que amam os
livros, desprezam os filmes e querem que o Peter Jackson queime no
inferno. Existem aqueles que conseguem dosar os dois lados e tentam
ampliar as perspectivas nas duas frentes. Não podemos nos esquecer,
sobretudo dos fãs que fazem jus à origem da palavra “fan”, abreviação
de “fanatic” a qual podemos traduzir como “fanático”. Sim, os fanáticos
existem em todos os lugares. De Igrejas a comunidades de Star Wars, os
fanáticos sempre existirão e grande parte deles tenta espalhar o
conhecimento e a paixão pelo seu objeto como algo único e necessário
para toda a humanidade. Acreditem, eu já fui assim. E as conseqüências
disso podem não ser das melhores.







</ br>Leia Mais...
Olá Guilherme!
Que legal da tua parte compartilhar isso conosco! :)
Aparentemente não apresento fanatismo, não deixo de me relacionar com pessoas ou fazer outras coisas por ser admiradora das obras de Tolkien, mas lá no fundo vive aquele desejo, sabe, de vestir uma capa de viagem e desaparecer pela Terra Média.
Quando comentastes que por várias vezes ías aos espaços mais rurais e vivenciavas aquilo como se estivesses no Condado, eu ri comigo mesmo, pois em muitas ocasiões já fiz isto também. :D
Quando estou andando de bicicleta, geramente tenho alguma coisa Tolkien-based ou da trilha mesmo de O Senhor dos Anéis no mp3 player, e aí ora ou outra me dá vontade de largar tudo e me enfiar numa floresta.

Mas a verdade é que qualquer admiração exarcebada/fanatismo acaba se tornando algo perigoso e nocivo à pessoa ou a um grupo maior. E aí temos diversos exemplos, infelizmente.

Colocar-se no lugar das pessoas é um passo decisivo. ;)
Para tudo, né Histo. ;)
Já bati muito a cabeça e machuquei as pessoas por não compreender isso.
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$400,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo