1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

De encontro à saudade

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Rodovalho, 13 Ago 2010.

  1. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    Um encontro marcou minha vida.

    A companhia reforça a memória.
    A partida dá a luz a saudade
    e o tempo enfraquece a lembrança.

    O reencontro mata a saudade.

    A companhia traz de volta a vida.
    A ausência vai relendo a lembrança
    enquanto o tempo apaga a memória.

    O desencontro ressuscita a saudade.

    A companhia não volta à memória.
    O vazio preenche a lembrança
    até o tempo tirar-me a vida.
     
  2. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    O título poderia ser "O encontro, o reencontro e o desencontro" mas de tanto se repetir encontro no título isso me pareceu muito nasal e desgostei da palavra. Poderia ser "Lentamente", por causa de uma breve alteração que fiz no final dos versos do tempo. Ou "Do encontro ao desencontro". Ou "Do desencontro até a saudade". Parou em "De encontro à saudade".

    Tive a idéia desse poema nesta noite a menos de uma hora numa conversa com uma amiga que não vejo a tempos. Ela é obcecada pela saudade e até gosta. Eu desgosto. Ela me perguntou quando nós iríamos nos reencontrar. Eu respondi mais ou menos assim: "A companhia reforça a memória. A saudade se faz de ausência. O reencontro mata a saudade. A companhia reforça a memória. A saudade se faz de ausência. Não há reencontro. A saudade não morre e se quebra o círculo vicioso que por sua vez se transforma num ponto parado no meio do nada". A conversa original na verdade foi bem diferente e não consigo me lembrar direito. Ela se perdeu porque opção pra salvar o histórico no MSN está desmarcada. Que assim seja.

    Me inspirei num poema do Wilson, aqui no fórum, o lobo antes da porta. Queria fazer uma lista mas acabou ficando totalmente diferente. Eu pus verbos e repeti as palavras, fiz outra estrutura. Tentei domar meu lado caótico e revisei várias vezes o que escrevi tirando assim toda a espontaneidade.

    E agora estou tentando me explicar. Passei boa parte do dia redigindo e corrigindo relatórios no meu trabalho, com toda a formalidade e secura de documentos oficiais. Parei com as leituras que minha vadiagem de férias permitiam e agora chego em casa e só penso em descansar, sem vontade de sair.

    Mas pelo menos com o dinheiro do meu salário eu finalmente consegui comprar um flauta transversal.
     
  3. ricardo campos

    ricardo campos Debochado!

    "O reencontro mata a saudade." é um tiro certeiro
    lhrodovalho.:sim:
     
  4. Tayana

    Tayana Usuário

    muito bom...gosto como você escreve Lh.
     
  5. A IMPRESSÃO QUE EU TENHO É DE QUE A SAUDADE
    É A TENTATIVA VÃ DE RESSUSCITARMOS AQUILO QUE
    HOJE JAZ NO REINO DO ABSTRATO.
     
  6. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    Nada mais comum que desejar o que não se vê. Mas há uma diferença fundamental entre saudade e amor platônico. Enquanto no amor platônico se ama uma ilusão e com ela se satifaz, a saudade é um desejo que só se satisfaz acabando com ele.
     

Compartilhar