1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

DCE repudia denúncia do MP contra alunos por invasão a reitoria da USP

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por ricardo campos, 6 Fev 2013.

  1. ricardo campos

    ricardo campos Debochado!

    O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade de
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    (USP) repudiou, através de uma nota, a denúncia apresentada pelo Ministério Público de São Paulo à Justiça nesta terça-feira (5) contra os 72 estudantes que invadiram e ocuparam o prédio da reitoria da universidade no final de 2011.


    A nota, publicada no site da entidade estudantil, diz que “a intenção de criminalizar esses estudantes é um ataque ao movimento estudantil e aos movimentos sociais de conjunto, que possuem o direito democrático de livre expressão e manifestação”.

    Caso a denúncia seja acolhida, os alunos irão responder por formação de quadrilha, dano ao patrimônio público, pichação e descumprimento de ordem judicial. Os estudantes reclamam que falta democracia na gestão do reitor João Grandino Rodas, que assinou convênio com a Polícia Militar permitindo a presença dos homens da corporação dentro do campus.
    O G1 procurou os advogados que representam os alunos, mas eles não quiseram se manifestar.

    Denúncia

    A denúncia foi feita pela promotora Eliana Passarelli, no Fórum de Pinheiros, na Zona Oeste da capital, à juíza Angélica Aparecida Correia, mas será encaminhada ao Fórum Criminal da Barra Funda por se tratar de crimes com penas de reclusão.

    De acordo com a promotora, foram denunciados os 72 estudantes presos em flagrante após desocuparem o prédio da reitoria onde permaneceram por seis dias e resistiram à ordem judicial de reintegração de posse. Ele só deixaram o prédio após a chegada da Tropa de Choque da PM. "Centenas participaram da invasão, mas só foram denunciados os que ficaram acampados no prédio", disse. Em caso de condenação, a pena dos crimes somados pode chegar a até seis anos de prisão.

    Invasão

    No final de 2011, centenas de estudantes protestaram contra a presença da Polícia Militar no campus da USP. No dia 18 de maio daquele ano, o estudante Felipe Ramos de Paiva foi morto em uma tentativa de assalto no estacionamento da Faculdade de Economia e Administração (FEA) da USP. Em setembro, a reitoria da USP firmou convênio com a PM para reforçar a segurança no campus.

    No final de outubro, centenas de alunos invadiram e ocuparam o prédio da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) para protestar contra a presença da PM no campus. No dia 2 de novembro, o prédio da reitoria foi invadido por um grupo de manifestantes. No dia 8 de novembro, a Tropa de Cchoque cumpriu a decisão judicial de reintegração de posse do prédio da reitoria.


    Leia a nota do DCE na íntegra:
    "O DCE-Livre da USP vem a público repudiar a denúncia apresentada pelo Ministério Público de São Paulo à Justiça no dia 5 de fevereiro, que acusa os 72 estudantes, que foram detidos durante a violenta reintegração de posse do prédio da reitoria em 2011, de danos ao patrimônio público, pichação, desobediência judicial e formação de quadrilha.

    Além disso, também repudia as declarações da promotora Eliana Passarelli, autora da denúncia, à imprensa que chama os estudantes de bandidos e criminosos.
    Na nossa opinião, a intenção de criminalizar esses estudantes é um ataque ao movimento estudantil e aos movimentos sociais de conjunto, que possuem o direito democrático de livre expressão e manifestação.



    Um dos principais problemas existentes hoje na USP é a falta de democracia na gestão da universidade, expressa hoje pelo atual reitor João Grandino Rodas. O convênio assinado com a polícia militar não foi em nenhum momento debatido junto à comunidade universitária e não solucionou o problema da falta de segurança que até hoje permanece dentro da Cidade Universitária.


    Por isso, em setembro de 2011, o DCE-Livre da USP realizou um ato público na Faculdade de Direito da USP contra a criminalização dos estudantes e em defesa da democratização da universidade, que contou com a presença do senador Eduardo Suplicy, do deputado estadual

    Carlos Gianazzi e do jurista Fábio Konder Comparato, além de diversos movimentos sociais.
    Lutar por democracia e diálogo não é crime. O DCE-Livre da USP se posiciona contrário a qualquer tipo de punição a esses estudantes e convoca os demais alunos a seguirem na luta pela democratização da universidade."


    Fonte:G1
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Calib

    Calib Visitante

    Esse DCE é uma piada mesmo.

    Espero que acolham a denúncia, e os estudantes envolvidos que se preocupem em provar na justiça sua inocência.
    Serão necessários argumentos bem mais convincentes do que essa notinha mixuruca que só fala coisas vagas sobre democracia e livre expressão.


    Se não acolherem a denúncia, vai parecer que invadir universidades e depredar o seu patrimônio tá liberado.
     

Compartilhar