1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Críticos de Berçario

Tópico em 'TV' iniciado por Zzeugma, 14 Ago 2011.

  1. Zzeugma

    Zzeugma Usuário

    Adorei isto. Da coluna sobre TV na Folha de São Paulo, escrita pela jornalista-escritora-"maluquete" Vanessa Barbara. Aliás, adoro a Vanessa Barbara. Quem não conhece, "conheça".

    *****

    Críticos de berçário

    Empunhando o estandarte do jornalismo de utilidade pública, abrimos um espaço para a crítica de programas do Discovery Kids, conforme avaliação e receptividade do meu sobrinho de um ano e familiares correlatos -- a saber, meu irmão.




    1. Mecanimais (20h30): Moderadamente bem conduzida, a obra não consegue criar um envolvimento do espectador com as criaturas. Há que destacar a boa intenção de fazer o não dito expressar mais que qualquer diálogo, mas, ainda assim, toca apenas na superfície dos temas que levanta. Avaliação: regular.



    2. Peixonauta (11h30, 19h30): Construído no improviso de sua narrativa, fala de seres involuntariamente deslocados de seu habitat. Ao optar por uma estética menos clássica e mais frenética, provoca discussões entre o tradicional e o vanguardista. Preocupado em recriar a "nouvelle époque" na animação, o "Peixonauta" consegue acertar na maioria de seus intentos, embora os segmentos com a bola mágica flutuante sejam forçados. Avaliação: bom.



    3. Backyardigans (10h, 21h30): Tolo e frágil, é uma ilusão comercial que fracassa na intenção da realidade alternativa. O duelo verbal entre os personagens não convence o mais ignóbil, e a trama perde ridiculamente o impacto graças à incapacidade de o espectador materializar o "páthos" da obra. Em suma, "Backyardigans" é um desperdício irritante e inócuo. Avaliação: ruim.



    4. Rob, o Robô (13h30): Intrigante e enigmático, "Rob, o Robô" é arrebatador. Os efeitos visuais prendem a atenção do infante, que se envolve emocionalmente com as descobertas do sujeito ativo enquanto desbravador de mundos. Um marco na arte e um título obrigatório aos amantes da vida. Avaliação: ótimo.



    5. Meu Amigãozão (12h30, 22h30): As técnicas de colorização estendida, frames duplicados e narração em off fazem de "Meu Amigãozão" uma obra estranha. Tal inovação exige maior empenho de sua contraparte (o público), que precisa digerir o trabalho burocrático de personagens como o canguru Bongo. Ainda assim, a conjuntura bivalente do traço expressionista e os diálogos intensos merecem uma análise mais profunda. Avaliação: bom.
     
  2. Calib

    Calib Visitante

    Essa Vanessa Barbara é aquela mesma que escreveu "O verão do Chibo"?
    Não gostei do livro, mas gostei dessas críticas aí. Especialmente quando mete o pau nos Backyardigans. :rofl:
     
  3. Umav Ozatroz

    Umav Ozatroz Usuário

    Essa senhora não bate muito bem. Conforme avaliação do "sobrinho de um ano"? Um bebê vai entender um programa de TV ou ainda "pathós" ou "belle epóque"?

    Mecanimais é um lixo, pior CG e tema que vi há tempos no DK. Peixonautas e Backyardigans estão no mesmo nível, mas a produção brasileira obviamente leva aquela vantagem do nosso natural ufanismo. Backyardigans eu costumava acompanhar com minha filha na primeira temporada, mas notei que não conseguiu manter a qualidade pelas seguintes. Seria difícil, pois a idéia era ter um estilo musical por episódio. Episódios como "Cowboy", "Princesa do Nilo" ou "Monstro do Futebol" eram imaginativos, engraçados e musicalmente estimulantes. Peixonauta só tem "Quem te ensinou a nadar?"! Em suma, não me afilio com aqueles que detonam o programa apenas por ser sucesso comercial. E também ainda estou por ver alguma criança que não goste, então é melhor a crítica ser mais honesta.
     
  4. Calib

    Calib Visitante

    Mas acho que a criança "gostar" não deve ser o bastante, né?
     
  5. Umav Ozatroz

    Umav Ozatroz Usuário

    "conforme avaliação e receptividade do meu sobrinho de um ano"

    palavras dela, ao interpretar a crítica em choro do sobrinho.
     
  6. Zzeugma

    Zzeugma Usuário

    Quanto ao fato dela não bater muito bem, deve ser verdade, ela é muito, muito engraçada

    Eu não li "O Verão de Chibo", mas li "O Livro Amarelo do Terminal" e adorei.

    ***

    Pessoal, não é pra levar estas críticas a sério. É uma piada com o "jargão dos críticos"...
    Dá pra fazer pensar se as críticas e resenhas (de qualquer obra) servem efetivamente pra alguma coisa... Já que afinal de contas o que pesa é o gosto do "consumidor" (Leitor, Espectador, o que quer que seja)

    ***
    Mas se é pra comentar mesmo...

    Backyardigans é bobinho mesmo. A ideia do desenho é boa, pena que ficam aquelas musiquinhas e dancinhas.

    Peixonauta é carismático. Mas só.

    O Amigãozão é "ok".

    Na verdade, o Discovery Kids já foi melhor...
    Há um excesso de desenho com "moralzinhas"... Do DK, gosto do Pocoyo e dos Octonautas. O Pocoyo é interessante porque alguns episódios são "farra" pura, sem a preocupação de (sempre) ensinar algo. Os Octonautas são muito carismáticos... e o design é fabuloso. De quebra, estão antenados com as últimas descobertas da Oceanografia.

    E, esticando a conversa, porque não vou tocar de novo neste assunto... Entre os desenhos educativos (estes do Nicklodeon), "Dora a Aventureira" (que ensina inglês) e "Ni hao Kai Lang" (que ensina mandarim), eu prefiro a última que conta histórinhas com situações típicas de criancinhas pequenas... sem contar que parece mais estratégico saber chinês diante do quadro atual.
     
  7. Calib

    Calib Visitante

    Saber chinês pode vir a ser mais estratégico num cenário hipotético futuro; no quadro atual, inglês é indiscutivelmente mais útil para qualquer ocidental. Ainda assim, por mais que a China dê pinta de que vai continuar crescendo sem freio, duvido que a língua chegue a sobrepor-se ao inglês nesse sentido, que não chegou ao status de "língua universal" somente por influência política, mas sim porque é uma língua verdadeiramente simples.

    Bem, mas isso não tem nada a ver com os desenhos... =D


    E eu não acho que um desenhor ter "moralzinha" seja ruim; "He-Man" sempre tinha uma no fim do episódio (algumas até hilárias), e era ótimo. É preferível a moralzinha misturada com aventura pura e simples do que musiquinhas educativas retardantes ("Backyardigans"). Minha opinião.
    Mas como eu não sou criança e não tenho criança na família, nem pretendo ter filho, nem trabalho com crianças... é um assunto que realmente não me esquenta a cabeça.
     
  8. Nadz

    Nadz Usuário

    Eu vejo que não só ensinar a lingua às crianças é o que conta, ao mostrar uma chinesinha como personagem principal de um desenho e passar às crianças algumas palavras de sua lingua em meia a aventuras, ela passa aceitação e aproxima as crianças do conceito e da China . è uma abordagem de negócios, formando os futuros dirigentes do país para desde pequenos saberem que há algo na China, que é bom conhece-la... pois crescendo com esse desenho e outros, eles serem mais abertos às mudanças e negocios vindos de lá ;)
     
  9. Liv

    Liv Visitante

    Ela se baseou nas opiniões de uma criança de um ano.


    (...)


    Só pra eu ter certeza. :uhum:


    É difícil e até complicado um adulto falar que esse ou aquele desenho é bobinho, visto que o público alvo tem menos de três anos. Eu acredito que a grade da Discovery Kids está bem balanceada atingindo a todas as fases da infância. Aliás, eu acho Meu Amigãozão e Peixonauta muito divertidos e didáticos. Principalmente em Meu Amigãozão, onde questões como: medos e aceitação são bem trabalhadas.
     
  10. imported_Mel

    imported_Mel Usuário

    Ironia né gente. Adoro quando ela começa a falar de nouvelle époque, é assim mesmo que muito crítico faz, bota um conceito vazio de difícil entendimento pro povão e não necessariamente relacionado ao objeto da crítica e pronto. Tá feita a "crítica".
     

Compartilhar