1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Cristóvão Tezza

Tópico em 'Autores Nacionais' iniciado por Lucas_Deschain, 13 Jul 2010.

  1. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [size=medium][align=center]Cristóvão Tezza (1952 - hoje)[/align][/size]

    [align=center]
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    [/align]

    [align=justify]Nasceu em 21/08/1952, em Lages, SC. Professor, doutor em literatura, e escritor com livro escrito aos 13 anos, considerado “muito ruim” por ele mesmo. O primeiro livro, para valer mesmo, foi uma coletânea de contos: A cidade inventada e saiu em 1980. A partir daí, não parou mais de escrever, e na seqüência vieram: O terrrorista lírico (1981) e Ensaio da paixão (1982). Dá uma pausa para refletir sobre sua carreira e o próximo livro: Trapo (1988) projeta-o no cenário da literatura brasileira. Uma das marcas de seu texto é a presença de mais de um narrador: em Trapo, vemos a história do ponto de vista do professor Manoel, que estuda o poeta Trapo, e paralelamente do ponto de vista do poeta, através de seus poemas. Nos dez anos seguintes, publicou os romances: Aventuras provisórias (1989), com o qual ganhou o Prêmio Petrobrás de Literatura, Juliano Pavollini (1989), A suavidade do vento (1991), O fantasma da infância (1994), Uma noite em Curitiba (1995). Em 1998, seu romance Breve espaço entre cor e sombra foi contemplado com o Prêmio Machado de Assis da Biblioteca Nacional (melhor romance do ano); e O fotógrafo (2004) recebeu o Prêmio da Academia Brasileira de Letras de melhor romance do ano. Em 2006, assinou contrato com a Editora Record, que começou a relançar sua obra. Em julho de 2007 foi publicado seu novo romance: O filho eterno, e foram reeditados, com novo projeto gráfico, seus romances Trapo, Aventuras provisórias e O fantasma da infância. O filho eterno foi premiado quatro vezes: o Prêmio da APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) de melhor obra de ficção do ano, em 2007; o Prêmio Portugal Telecom, em 2008; Prêmio Jabuti, em 2008 e o Prêmio São Paulo de Literatura 2008. O livro deverá ser lançado em breve na Itália pela editora Sperling & Kupfer e já tem edições contratadas na França, Espanha e Portugal. [/align]

    Fonte: http://www.tirodeletra.com.br/biografia/CristovaoTezza.htm

    [align=justify]Vergonhosamente admito que somente li O Fotógrafo, para o vestibular da Unioeste em 2006, mas achei o livro fantástico. Internet afora tenho encontrado críticas muito positivas com relação ao livro O Filho Eterno, o qual tenho muita vontade de ler, falando nisso. Vale lembrar que ele já concedeu uma entrevista ao Meia Palavra, para quem quiser conferir, o link é
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .[/align]
     

Compartilhar