1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

"Cristianismo puro e simples" CS Lewis

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Kryshnack, 28 Fev 2007.

  1. Kryshnack

    Kryshnack I am more I

    Quem já leu alguma obra de Clive Staples "Jack" Lewis deve ter ficado, um tanto maravilhado, pela imensa qualidade de sua obra. Muitos já leram as Crônicas, mas nem todos eles conhecem as outras obras. Diferente de muitos de seus livros, Cristianismo puro e simples não contém nenhuma "trama". Trata a maior parte de apenas religião, e no final, apresenta um pouco de Teologia. Mas mesmo não tendo uma "trama", o livro não perde absolutamente nada de sua qualidade e genialidade. Confesso que não é tão fácil de ler quanto as Crônicas, mas se vermos a profundidade dos temas abordados, trata-se uma linguagem simples para livros religiosos (fazendo juz ao título do livro). Cristianismo puro e simples é uma reunião de muitas palestras de CS Lewis que foram realizadas com o intuinto de "tranquilizar" (não é um termo muito adequado) os participantes da segunda grande guerra. Mas não são apenas cristão que podem ler o livro. Pessoas que estão pensando em se tornar cristão (ou apenas querem mais informação sobre sua conduta) também podem ler o livro. Os cristãos, por sua vez, podem/devem fazer a leitura. Confesso também que o livro não é nada barato (cerca de 44 reais para um livro (meio pequeno) de 300 páginas). Mas eu garanto vale a pena!!!:yep: :yep: Por favor, compartilhem qualquer dúvida, talvez eu (ou alguem) posso dar uma ajuda.:cool:
     
  2. Kainof

    Kainof Sr. Raposo

    Coincidência falar isto, pois estou (re) lendo uma versão de Hamlet e, na Introdução do livro, o tradutor recolhe algumas avaliações resumidas do "mistério de Hamlet". Fiquei surpreso ao encontrar o nome de C.S. Lewis entre os avaliadores, pois não conhecia nehuma obra dele afora as Crônicas.

    Lewis acredita que, na verdade, Hamlet é uma peça religiosa. Não sei se nesse livro é que é dito isso, se for, poderia falar mais? Estou numa fase de "estudos" de Hamlet.

    Bem, parece, somando as duas informações que Mr. Lewis tem pré-disposição em enxergar religião para onde olhe. Admito porém, que é uma conclusão precipitada e temerária de minha parte.

    Poderia deliberar Krysh?
     
  3. Kryshnack

    Kryshnack I am more I

    Olha, eu não conheço nada sobre Hamlet:oops: , mas CS Lewis não fala nada sobre a obra em Crisianismo puro e simples. Mas leia! É genial.


    Eu acho que CS Lewis não vê religião em obras, a não ser que elas a contenham. Não sei sobre Hamlet, por isso não posso falar nada. Mas posso dizer que tudo que o CS Lewis FAZ tem haver com religião. Ele é bem alegórico. Não sei se respondi:cool:
     
  4. Kainof

    Kainof Sr. Raposo

    Por apreciar tanto alegorias, ele pode vê-las por que ele quer vê-las.

    Respondido.:joinha:
     
  5. Kryshnack

    Kryshnack I am more I

    Só resolvendo um possível mal-intendido, CS Lewis não vê alegorias em SdA (por exemplo). Ele vê a religião. A alegoria, eu penso mais ou menos assim, é uma religião demasiada. Exemplo o Aslan, ele tem quase todas as características de Jesus sozinho, não divide com outros personagens. Isso é alegoria. SdA, por sua vez, não tem alegoria, apenas religião, exemplificando, não tem nhenhum personagem capaz de simbolizar Jesus. Mas isso não impede que as características de Cristo não estejam na obra, só que divididas em vários personagens (Aragorn Gandalf, Tom Bombadil, Frodo......). Resumindo, CS Lewis não "VÊ apenas porque quer ver" alegorias em nenhuma obra. Ele apenas usa alegorias. Não sei se entendeu meu ponto de vista.:cool:
     
  6. Oi

    Eu esse livro não li. Li algures que o Tolkien não gostou dessas conferências do C. S. Lewis, pois eram feitas para agradar a todos, católicos ou protestantes (daí o titulo das conferências), e portanto não tinham uma posição definida. Mas mesmo assim devem valer a pena.

    Do Lewis já li bastante: A triologia de ficção cientifica é muito boa, e adorei as Screwtape letters. Acabei de ler há pouco "An Experiment on Criticism", e também já li "A Grief Observed" gostei dos dois. Estou neste momento há procura do Surprised by Joy. O próximo da lista será então esse.

    Abraço
     
  7. Kryshnack

    Kryshnack I am more I

    O Lewis defende o protestentismo. Na obra ele realmente não emite muito sua opinião, mas é esse o propósito. Crisitanismo... tem o intuito mais de converte não-cristãos (claro que os cristão devem ler também). Por isso que é diferente das Cartas... (não li ainda, mas parece que não converter ninguem,apenas mostrar o jogo que o Diabo faz para enganar as pessoas). E é um livro bastante abrangente. Que trata primeiramente da Moral (instintos...coisas desses tipos, sem ser religião puro no começo). Depois entra a conduta cristã (perdão, castidade, amor.......) e termina com teologia. Uma obra digna de "quase escritor do século" (já que ele era o Segundo, atrás, apenas, claro, do Professor).:cool:
     
  8. Erundur

    Erundur Usuário

    Acho Tolkien engraçado neste sentido. Ele tentou criar uma nova mitologia, no que foi surpreendente e genial. Tudo bem que ele misturou um monte de elementos e até pensou e, me atrevo a dizer, se propôs a criar um panteão politeísta. Mas sendo Católico fervoroso, não pode de colocar a figura de um "todo-poderoso" em sua história, na figura de Eru, e a de Maria, na figura de Varda.

    Lewis é sem dúvida a expressão da alegoria cristã protestante, sobretudo se pensarmos nas Crônicas. Apesar da linguagem fácil, ou infanto-juvenil (que era o seu público) as narrativas são bem interessantes.

    Devo confessar que li pouca coisa dele além de sua bibliografia, aliás estou me programando para ler O dom da Amizade (espero que no mês que vêm) que conta um pouco da relação entre Lewis e Tolkien
     
  9. Kryshnack

    Kryshnack I am more I

     

Compartilhar