• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dando uma contribuída no tópico, como mencionei antes, acho que um dos aspectos restantes é a criação de um idioma. E não é que encontrei um pequeno tutorial a respeito? Aí vai:

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Como Criar um Idioma

Desde o Klingon do universo de Jornada nas Estrelas até o Na'vi do filme Avatar, de James Cameron, os idiomas fictícios podem ser muito úteis para fazer uma obra de ficção parecer realidade. Criar uma língua fictícia pode ser um empreendimento trabalhoso, já que o processo é complexo e exige bastante reflexão. Mas, com um pouco de prática e dedicação, qualquer pessoa pode criar o próprio idioma para se divertir ou para fazer parte de um mundo de fantasia.

Parte 1
Criando o vocabulário


v4-728px-Create-a-Language-Step-4.jpg


1 - Identifique as palavras simples que podem ser usadas para formar frases básicas.

Atribua sons a pronomes como "Eu", "meu", "ele/ela", "dele/dela", "eles" e "nós". Depois, decida como você vai pronunciar verbos como "ser", "ter", "gostar", "ir" e "fazer". Você também pode incluir palavras simples como "um/uma", "e", "o/a", "mas" e "ou".[1]

Crie também as palavras para os números até o dez e decida como quer que as pessoas contem até cem no seu idioma.
Por exemplo, na língua fictícia sindarin, "Ele" é traduzido para "hon". Em dothraki, "ela" é "anna". Em valiriano, "ir" se traduz como "naejot jikagon".

v4-728px-Create-a-Language-Step-16.jpg


2 - Pense em palavras para objetos comuns que você encontra no dia a dia.

Conforme o vocabulário aumentar, comece a dar nome a tudo em que puder pensar. Sempre que encontrar alguma coisa, pense em uma palavra para aquele item ou conceito e anote o som dela. Isso vai ajudar você a pensar no seu novo idioma.[2]

Veja as listas de palavras mais usadas para ter uma ideia de quais adicionar primeiro. Pense nas palavras para os itens da casa, os animais, os dias da semana, o tempo, as partes do corpo, os alimentos, as pessoas, as profissões, os locais, as roupas e outras categorias.

Se ficar sem ideias, lembre-se de que você pode pegar palavras emprestadas de outros idiomas e até modificá-las. Por exemplo, a palavra francesa para homem é "homme". A palavra em português é quase igual, com apenas algumas letras e a pronúncia diferentes.


Palavras básicas para traduzir

Animais: cachorro, gato, peixe, pássaro, vaca, porco, rato, cavalo, asa, animal.

Transporte: trem, avião, carro, caminhão, bicicleta, ônibus, barco, navio, pneu, gasolina, motor, bilhete.

Locais: cidade, casa, apartamento, rua, aeroporto, estação de trem, ponte, hotel, restaurante, fazenda, tribunal, escola, escritório, cômodo, universidade, vila, clube, bar, parque, loja, teatro, biblioteca, hospital, igreja, mercado, países, prédio, terra, espaço sideral, banco

Roupas: chapéu, vestido, terno, saia, camisa, camiseta, calça, sapato, bolso, mancha, roupas

Cores: vermelho, verde, azul, amarelo, marrom, rosa, laranja, preto, branco, cinza

v4-728px-Create-a-Language-Step-5.jpg


3 - Traduza a partir da sua língua nativa para criar o próprio dicionário.

Abra o dicionário e comece a traduzir palavras aleatórias da sua língua mãe para a língua inventada. Isso não só vai ser útil caso você se esqueça como se diz algo, mas também vai garantir que você não perca nenhuma palavra. Você também pode usar dicionários de tradução, como os de inglês para português ou português para francês para ter uma ideia de como as palavras são pronunciadas em diferentes idiomas.[3]

Procure criar palavras fáceis de pronunciar e de ler para evitar trava-línguas que dificultem o aprendizado do novo idioma.

No geral, as palavras mais simples e comuns precisam ser mais curtas. Por exemplo, uma palavra longa como "kesolainotokos" pode significar "cinza vulcânica", enquanto uma palavra curta como "giob" pode significar "você".

v4-728px-Create-a-Language-Step-20.jpg


4- Combine palavras simples para formar palavras compostas.

Esse tipo de palavra é uma ótima forma de aumentar o vocabulário do seu idioma rapidamente sem precisar pensar em termos totalmente novos, e o método é excelente para substantivos. É só pegar o primeiro substantivo que descreve a função de algo e juntar com outro que descreva o que aquela coisa é. Idiomas modernos como o alemão e o inglês usam essa técnica para criar palavras novas todos os dias.[4]

Por exemplo, se a palavra "Khinsa" significar "China" e a palavra "bever" for "bebida", você pode formar a palavra "Khinsabever" para "chá". Isso funciona porque a bebida chá surgiu pela primeira vez na China antiga, e por isso pode ser considerada uma bebida chinesa.

v4-728px-Create-a-Language-Step-1.jpg


5- Dê um nome ao idioma usando os novos sons e o vocabulário.


Use a nova língua para pensar em um nome para ela. Tente inventar uma palavra curta e exclusiva que englobe a origem do idioma ou identifique a etnia das pessoas que o falam.

O nome da língua não precisa ser relacionado a um país ou a uma etnia, mas pode ser, se você quiser.

Por exemplo, em Jornada nas Estrelas, os klingons falam klingon, e no filme Avatar, o povo Na'vi fala o idioma de mesmo nome. Em Game of Thrones, o povo dothraki, que mora próximo ao Mar Dothraki, fala a língua dothraki.

Parte 2
Escrevendo palavras e frases


v4-728px-Create-a-Language-Step-6-Version-2.jpg


1 - Crie o próprio alfabeto se quiser escrever no seu idioma.


Desenhe as próprias letras para representar os sons que formam sua língua. Em seguida, organize-as em um padrão para criar o alfabeto. Você pode até cantar em voz alta para praticar os sons.[5]

Lembre-se de que esse processo pode ser demorado e que cada letra ou sílaba precisa formar pelo menos um som na sua língua.

v4-728px-Create-a-Language-Step-7-Version-2.jpg


2- Pegue letras emprestadas de alfabetos existentes para facilitar o trabalho.

Consulte os alfabetos latino, cirílico, grego, georgiano e copta, que ainda são usados no mundo hoje em dia pelos falantes nativos. Se um desses alfabetos tiver todos os sons de que você precisa, não será necessário criar um. Você pode atribuir novas pronúncias às letras, se precisar. Assim, também ficará mais fácil para as pessoas que já usam esses alfabetos aprenderem seu idioma.[6]

Para combinar os alfabetos, use letras latinas e cirílicas, por exemplo. Nesse caso, você pode usar o "Я" para o som de /j/ e as letras latinas para outros sons.

Também é possível usar latinizações, que são traduções de palavras de alfabetos diferentes. Por exemplo, a palavra russa знаю é latinizada em português como "znayu". Isso pode ser bem útil se seu idioma não usar o alfabeto latino.

v4-728px-Create-a-Language-Step-3.jpg


3- Use pictogramas e símbolos para representar visualmente as palavras.


Desenhe o que cada termo significa em linhas simples para fazer uma pictografia ou um símbolo. Depois, pense em uma pronúncia para cada símbolo com base nas diferentes partes do desenho. Cada símbolo ou marca precisa ter o próprio som.[7]

Muitos idiomas, como a língua chinesa, usam pictogramas e símbolos para representar a língua falada.

No português e em outros idiomas, os números são considerados pictogramas ou símbolos, já que não fazem parte do alfabeto.

v4-728px-Create-a-Language-Step-9-Version-2.jpg


4- Coloque acentos em letras existentes para criar novas letras e sons.

Para manter o alfabeto curto, use acentos, aquelas pequenas marcas acima e abaixo de algumas letras para alterar a pronúncia. Geralmente, os acentos podem ir nas vogais, como a, e, i, o, u e y, e em algumas consoantes, como c, l, n, r, s, t e z.[8]

Por exemplo, o "e" pode ser pronunciado como em "esteira", enquanto o "é" é pronunciado como em "café".

Parte 3
Formando frases que façam sentido


v4-728px-Create-a-Language-Step-7.jpg
ate a Language Step 7

1- Escolha a melhor ordem de palavras para as frases e perguntas.

Decida se você quer que o sujeito da frase venha primeiro, seguido do verbo, como nas frases em português. Em seguida, escolha a ordem em que as pessoas precisam colocar as palavras para fazer uma pergunta. Você pode usar sua língua nativa para escolher a estrutura das frases ou pode criar as próprias regras.[9]

Por exemplo, em português, a ordem das palavras é sujeito-verbo-objeto (SVO). Mas em japonês, a ordem é sujeito-objeto-verbo (SOV).

Depois de decidir essa ordem, você poderá criar regras gerais para a colocação de adjetivos, pronomes possessivos, advérbios e outros termos nas suas frases.

v4-728px-Create-a-Language-Step-8.jpg
Imagem intitulada Create a

2-Decida se você quer que seu novo idioma tenha plural.


Escolha um prefixo ou sufixo para os substantivos se quiser mostrar uma distinção entre um e mais de um. Algumas línguas inventadas usam palavras duplas, ou seja, repetem a mesma palavra para indicar mais de um. Lembre-se de que você pode criar um idioma sem plurais, mas talvez ele fique confuso para quem aprende e quem fala.[10]

A pluralização pode ser algo bem simples, como adicionar um "a-" antes da palavra ou colocar o som de "-s" no final, como fazemos em português.

v4-728px-Create-a-Language-Step-11.jpg


3- Descubra como usar os verbos para criar frases.

Na maioria dos idiomas, os verbos mudam dependendo do sujeito e do tempo da frase. Decida entre alterar os verbos da sua língua com a adição de sons, como prefixos e sufixos, para indicar quem está falando e quando a ação aconteceu.[11]

Por exemplo, para dizer que uma pessoa ou coisa gosta de algo no presente do português, você diz: "eu gosto", "tu gostas", "ele gosta", "nós gostamos" ou "eles gostam". Nesse exemplo, dá para ver que o verbo "gostar" é alterado por sufixos que dependem do pronome.

Você também pode adicionar uma palavra para distinguir termos como "nadar" e "nadando". Mas em algumas línguas, como o francês, isso não existe. Em francês, "je nage" pode ser "eu nado" ou "eu estou nadando".

Você pode ainda alterar toda a palavra para corresponder ao sujeito e à ação da frase. Geralmente, é assim que funcionam os verbos irregulares.

v4-728px-Create-a-Language-Step-12.jpg


4- Pratique a escrita e a fala no seu novo idioma.


Comece com uma frase simples, como "Eu tenho um gato". Depois, passe para algo mais complexo, como "Gosto de assistir à televisão, mas prefiro ir ao cinema". Se você encontrar palavras que ainda não criou, invente-as e faça com que se encaixem nas regras gramaticais da sua frase.[12]

Maneiras de praticar seu idioma:

Escreva um diário no seu novo idioma. Essa é uma ótima forma de praticar a língua todos os dias. Comece um diário para escrever só na sua nova língua e conte como foi seu dia nele.

Ensine seus amigos a falar sua língua. Depois que eles aprenderem, tente conversar com eles. Deixe um dicionário das suas palavras por perto para que vocês possam usar como referência enquanto falam.

Recite poemas na sua língua. Talvez o som deles não seja tão bonito, mas assim você vai praticar bastante a pronúncia do seu idioma em voz alta.

Traduza o Texto da Torre de Babel ou outro texto para sua língua. Escolha um livro, artigo ou conto favorito para traduzir ou use o texto da torre de Babel, que é muito usado por quem inventa a própria língua. Ele contém palavras e frases que, supostamente, testam os limites do seu idioma.

Dicas

Quando estiver começando a criar seu idioma, siga as regras gramaticais à risca. Quando você ficar mais fluente nessa língua, comece a colocar gírias e outros atalhos.
Assim como qualquer idioma, você vai precisar praticar o seu com frequência para não esquecer.
Não se esqueça de identificar os sinais de pontuação se você quiser usar sinais diferentes no seu idioma.
Experimente criar uma fonte para sua língua usando um editor de imagens ou um software específico se você tiver criado um alfabeto. Isso é ainda mais divertido em línguas com símbolos ou pictogramas.
Escreva um livro de frases no seu idioma.

Referências:
https://www.zompist.com/kitlong.html#lexicon
https://www.zompist.com/kitlong.html#lexicon
https://www.zompist.com/kitlong.html#lexicon
https://www.zompist.com/kitlong.html#lexicon
https://www.zompist.com/kitlong.html
https://www.omniglot.com/writing/types.htm
https://www.omniglot.com/writing/types.htm
https://www.omniglot.com/writing/types.htm
https://www.zompist.com/kitgram.html
 
Excelente tópico apesar de achar que a maioria dos autores só vai se animar em inventar uma palavra ou outra,ou no máximo , algumas frases ao invés de um idioma inteiro.
Inventar um idioma é trabalhoso e nem todo mundo tem a facilidade de um Tolkien,que era lingüista, para fazer isso mas,com certeza,vale a pena para dar um tempero especial a uma estória .
Obrigado pela brilhante contribuição Fúria!
Dando uma contribuída no tópico, como mencionei antes, acho que um dos aspectos restantes é a criação de um idioma. E não é que encontrei um pequeno tutorial a respeito? Aí vai:

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Como Criar um Idioma

Desde o Klingon do universo de Jornada nas Estrelas até o Na'vi do filme Avatar, de James Cameron, os idiomas fictícios podem ser muito úteis para fazer uma obra de ficção parecer realidade. Criar uma língua fictícia pode ser um empreendimento trabalhoso, já que o processo é complexo e exige bastante reflexão. Mas, com um pouco de prática e dedicação, qualquer pessoa pode criar o próprio idioma para se divertir ou para fazer parte de um mundo de fantasia.

Parte 1
Criando o vocabulário


v4-728px-Create-a-Language-Step-4.jpg


1 - Identifique as palavras simples que podem ser usadas para formar frases básicas.

Atribua sons a pronomes como "Eu", "meu", "ele/ela", "dele/dela", "eles" e "nós". Depois, decida como você vai pronunciar verbos como "ser", "ter", "gostar", "ir" e "fazer". Você também pode incluir palavras simples como "um/uma", "e", "o/a", "mas" e "ou".[1]

Crie também as palavras para os números até o dez e decida como quer que as pessoas contem até cem no seu idioma.
Por exemplo, na língua fictícia sindarin, "Ele" é traduzido para "hon". Em dothraki, "ela" é "anna". Em valiriano, "ir" se traduz como "naejot jikagon".

v4-728px-Create-a-Language-Step-16.jpg


2 - Pense em palavras para objetos comuns que você encontra no dia a dia.

Conforme o vocabulário aumentar, comece a dar nome a tudo em que puder pensar. Sempre que encontrar alguma coisa, pense em uma palavra para aquele item ou conceito e anote o som dela. Isso vai ajudar você a pensar no seu novo idioma.[2]

Veja as listas de palavras mais usadas para ter uma ideia de quais adicionar primeiro. Pense nas palavras para os itens da casa, os animais, os dias da semana, o tempo, as partes do corpo, os alimentos, as pessoas, as profissões, os locais, as roupas e outras categorias.

Se ficar sem ideias, lembre-se de que você pode pegar palavras emprestadas de outros idiomas e até modificá-las. Por exemplo, a palavra francesa para homem é "homme". A palavra em português é quase igual, com apenas algumas letras e a pronúncia diferentes.




v4-728px-Create-a-Language-Step-5.jpg


3 - Traduza a partir da sua língua nativa para criar o próprio dicionário.

Abra o dicionário e comece a traduzir palavras aleatórias da sua língua mãe para a língua inventada. Isso não só vai ser útil caso você se esqueça como se diz algo, mas também vai garantir que você não perca nenhuma palavra. Você também pode usar dicionários de tradução, como os de inglês para português ou português para francês para ter uma ideia de como as palavras são pronunciadas em diferentes idiomas.[3]

Procure criar palavras fáceis de pronunciar e de ler para evitar trava-línguas que dificultem o aprendizado do novo idioma.

No geral, as palavras mais simples e comuns precisam ser mais curtas. Por exemplo, uma palavra longa como "kesolainotokos" pode significar "cinza vulcânica", enquanto uma palavra curta como "giob" pode significar "você".

v4-728px-Create-a-Language-Step-20.jpg


4- Combine palavras simples para formar palavras compostas.

Esse tipo de palavra é uma ótima forma de aumentar o vocabulário do seu idioma rapidamente sem precisar pensar em termos totalmente novos, e o método é excelente para substantivos. É só pegar o primeiro substantivo que descreve a função de algo e juntar com outro que descreva o que aquela coisa é. Idiomas modernos como o alemão e o inglês usam essa técnica para criar palavras novas todos os dias.[4]

Por exemplo, se a palavra "Khinsa" significar "China" e a palavra "bever" for "bebida", você pode formar a palavra "Khinsabever" para "chá". Isso funciona porque a bebida chá surgiu pela primeira vez na China antiga, e por isso pode ser considerada uma bebida chinesa.

v4-728px-Create-a-Language-Step-1.jpg


5- Dê um nome ao idioma usando os novos sons e o vocabulário.


Use a nova língua para pensar em um nome para ela. Tente inventar uma palavra curta e exclusiva que englobe a origem do idioma ou identifique a etnia das pessoas que o falam.

O nome da língua não precisa ser relacionado a um país ou a uma etnia, mas pode ser, se você quiser.

Por exemplo, em Jornada nas Estrelas, os klingons falam klingon, e no filme Avatar, o povo Na'vi fala o idioma de mesmo nome. Em Game of Thrones, o povo dothraki, que mora próximo ao Mar Dothraki, fala a língua dothraki.

Parte 2
Escrevendo palavras e frases


v4-728px-Create-a-Language-Step-6-Version-2.jpg


1 - Crie o próprio alfabeto se quiser escrever no seu idioma.


Desenhe as próprias letras para representar os sons que formam sua língua. Em seguida, organize-as em um padrão para criar o alfabeto. Você pode até cantar em voz alta para praticar os sons.[5]

Lembre-se de que esse processo pode ser demorado e que cada letra ou sílaba precisa formar pelo menos um som na sua língua.

v4-728px-Create-a-Language-Step-7-Version-2.jpg


2- Pegue letras emprestadas de alfabetos existentes para facilitar o trabalho.

Consulte os alfabetos latino, cirílico, grego, georgiano e copta, que ainda são usados no mundo hoje em dia pelos falantes nativos. Se um desses alfabetos tiver todos os sons de que você precisa, não será necessário criar um. Você pode atribuir novas pronúncias às letras, se precisar. Assim, também ficará mais fácil para as pessoas que já usam esses alfabetos aprenderem seu idioma.[6]

Para combinar os alfabetos, use letras latinas e cirílicas, por exemplo. Nesse caso, você pode usar o "Я" para o som de /j/ e as letras latinas para outros sons.

Também é possível usar latinizações, que são traduções de palavras de alfabetos diferentes. Por exemplo, a palavra russa знаю é latinizada em português como "znayu". Isso pode ser bem útil se seu idioma não usar o alfabeto latino.

v4-728px-Create-a-Language-Step-3.jpg


3- Use pictogramas e símbolos para representar visualmente as palavras.


Desenhe o que cada termo significa em linhas simples para fazer uma pictografia ou um símbolo. Depois, pense em uma pronúncia para cada símbolo com base nas diferentes partes do desenho. Cada símbolo ou marca precisa ter o próprio som.[7]

Muitos idiomas, como a língua chinesa, usam pictogramas e símbolos para representar a língua falada.

No português e em outros idiomas, os números são considerados pictogramas ou símbolos, já que não fazem parte do alfabeto.

v4-728px-Create-a-Language-Step-9-Version-2.jpg


4- Coloque acentos em letras existentes para criar novas letras e sons.

Para manter o alfabeto curto, use acentos, aquelas pequenas marcas acima e abaixo de algumas letras para alterar a pronúncia. Geralmente, os acentos podem ir nas vogais, como a, e, i, o, u e y, e em algumas consoantes, como c, l, n, r, s, t e z.[8]

Por exemplo, o "e" pode ser pronunciado como em "esteira", enquanto o "é" é pronunciado como em "café".

Parte 3
Formando frases que façam sentido


v4-728px-Create-a-Language-Step-7.jpg
ate a Language Step 7

1- Escolha a melhor ordem de palavras para as frases e perguntas.

Decida se você quer que o sujeito da frase venha primeiro, seguido do verbo, como nas frases em português. Em seguida, escolha a ordem em que as pessoas precisam colocar as palavras para fazer uma pergunta. Você pode usar sua língua nativa para escolher a estrutura das frases ou pode criar as próprias regras.[9]

Por exemplo, em português, a ordem das palavras é sujeito-verbo-objeto (SVO). Mas em japonês, a ordem é sujeito-objeto-verbo (SOV).

Depois de decidir essa ordem, você poderá criar regras gerais para a colocação de adjetivos, pronomes possessivos, advérbios e outros termos nas suas frases.

v4-728px-Create-a-Language-Step-8.jpg
Imagem intitulada Create a

2-Decida se você quer que seu novo idioma tenha plural.


Escolha um prefixo ou sufixo para os substantivos se quiser mostrar uma distinção entre um e mais de um. Algumas línguas inventadas usam palavras duplas, ou seja, repetem a mesma palavra para indicar mais de um. Lembre-se de que você pode criar um idioma sem plurais, mas talvez ele fique confuso para quem aprende e quem fala.[10]

A pluralização pode ser algo bem simples, como adicionar um "a-" antes da palavra ou colocar o som de "-s" no final, como fazemos em português.

v4-728px-Create-a-Language-Step-11.jpg


3- Descubra como usar os verbos para criar frases.

Na maioria dos idiomas, os verbos mudam dependendo do sujeito e do tempo da frase. Decida entre alterar os verbos da sua língua com a adição de sons, como prefixos e sufixos, para indicar quem está falando e quando a ação aconteceu.[11]

Por exemplo, para dizer que uma pessoa ou coisa gosta de algo no presente do português, você diz: "eu gosto", "tu gostas", "ele gosta", "nós gostamos" ou "eles gostam". Nesse exemplo, dá para ver que o verbo "gostar" é alterado por sufixos que dependem do pronome.

Você também pode adicionar uma palavra para distinguir termos como "nadar" e "nadando". Mas em algumas línguas, como o francês, isso não existe. Em francês, "je nage" pode ser "eu nado" ou "eu estou nadando".

Você pode ainda alterar toda a palavra para corresponder ao sujeito e à ação da frase. Geralmente, é assim que funcionam os verbos irregulares.

v4-728px-Create-a-Language-Step-12.jpg


4- Pratique a escrita e a fala no seu novo idioma.


Comece com uma frase simples, como "Eu tenho um gato". Depois, passe para algo mais complexo, como "Gosto de assistir à televisão, mas prefiro ir ao cinema". Se você encontrar palavras que ainda não criou, invente-as e faça com que se encaixem nas regras gramaticais da sua frase.[12]



Dicas

Quando estiver começando a criar seu idioma, siga as regras gramaticais à risca. Quando você ficar mais fluente nessa língua, comece a colocar gírias e outros atalhos.
Assim como qualquer idioma, você vai precisar praticar o seu com frequência para não esquecer.
Não se esqueça de identificar os sinais de pontuação se você quiser usar sinais diferentes no seu idioma.
Experimente criar uma fonte para sua líng
ua usando um editor de imagens ou um software específico se você tiver criado um alfabeto. Isso é ainda mais divertido em línguas com símbolos ou pictogramas.
Escreva um livro de frases no seu idioma
.

Referências:
https://www.zompist.com/kitlong.html#lexicon
https://www.zompist.com/kitlong.html#lexicon
https://www.zompist.com/kitlong.html#lexicon
https://www.zompist.com/kitlong.html#lexicon
https://www.zompist.com/kitlong.html
https://www.omniglot.com/writing/types.htm
https://www.omniglot.com/writing/types.htm
https://www.omniglot.com/writing/types.htm
https://www.zompist.com/kitgram.html
ce
 
Última edição:
De fato, não é tarefa fácil criar um novo idioma inteiro, mas acho bem lúdico e interessante quando a criatividade humana consegue chegar até esse lugar, pois é um novo código de comunicação e se você foi capaz de criar um novo mundo inteiro com todos os seus cenários, povos, religiões, entre tantas coisas, um idioma fecharia todo esse fantástico ciclo criativo com chave de ouro.

Não é a toa que a criatividade é a inteligência se divertindo de forma plena e exuberante! :)
 
03)RAÇAS NÃO HUMANAS
Ra%C3%A7as-de-Eldenurin-perg.jpg

Alguns autores,como J R R Martin,Fritz Leiber e Frank Herbert gostam de usar apenas seres humanos nos seus livros e contos já outros como Tolkien ,R.A.Salvatore e C.S.Lewis gostam de colocar raças não humanas como personagens de suas estórias tanto como vilões quanto como mocinhos.O uso de uma raça "não humana" é perfeitamente aceitável e,feito de maneira certa pode enriquecer bastante a estória e dar um tempero especial ao mundo criado.
O truque para se fazer algo original e não uma coisa que pareça mais do mesmo é simples:ao invés de copiar o que já viu outros fazerem,fazer algo original.
Por exemplo:ao invés de chamar uma raça de elfos porque não chama-los de Sidhe (nome original escocês/irlandês para tais criaturas)
Nesse caso a mitologia de muitos povos pode se tornar uma fonte valiosa de informação (não se preocupem,eu vou colocar um tópico sobre mitologia nesse tutorial....) para qualquer autor.
Seres como Veelas,Djinns,Goblins,Hobgoblins,Gremlins,trolls e gnomos existem em muitas mitologias e em muitas "versões" diferentes (que podem ser misturadas para se adaptar ao que o autor tem em mente...),assim como seres menos conhecidos como os Tengus,Onis e Kapas da mitologia japonesa,os Kwanokasha e Laurels,Dogwoods e Nunnehi dos índios norte americanos ou os Fomorians,Selkies,Leprechauns e Kelpies irlandeses.Todos eles podem ser pesquisados na internet e em bibliotecas e adaptados para aparecer em boas estórias.
Se autores conceituados como Tolkien,Michael Moorcock,C.S.Lewis e J.K. Rowling fizeram uso desse tipo de personagens de forma que enriqueceu suas estórias não há razão para outros autores não fazê-lo
O legal também é o autor adaptar cada "raça" para que ela se encaixe melhor em sua estória e seu mundo de fantasia.Imagine por exemplo que,ao invés de apenas um Curupira existe uma raça de seres chamada de Kurupira,com "k",que compartilha das mesmas características físicas,poderes e habilidades,ou que Sereias são criaturas metade humano e metade pássaro(como na lenda original grega) que,ao tocar na água,se transforma em metade humano e metade peixe(nas lendas gregas esses não eram chamados Sereias,eram chamados Tritões...) isso seria original e originalidade em estórias de fantasia é sempre bem vinda.
É claro que alguns tipos de criaturas se tornam mais valiosas se forem consideradas "únicas da espécie" e esses podem se tornar bons,vilões,mocinhos ou padroeiros para os personagens principais da estória,mas no momento estou falando de raças não humanas de maneira geral.
Outra coisa é não exagerar, é muito mais interessante um mundo onde humanos são maioria e esse outro tipo de seres não humanos são minoria do que vice versa.É claro que isso é uma questão de opinião pessoal...de qualquer forma se fosse feito o contrário poderia exatamente surgir uma estória original.
Outra coisa a ser lembrada é que,cada raça a ser utilizada,seja ela humana ou não, pode(e até deve)ter sua cultura,costumes,hábitos e religião(vou falar de religião em outro tópico também,ok?).Isso serve para enriquecer o "povo" descrito e torna-lo mais palpável ao invés de algo unidimensional.
O que está escrito aqui também serve para animais que sejam considerados "fantásticos" mas isso também é assunto para um outro tópico.

Se você(s) que tem lido esse post até agora gostariam que eu abordasse um determinado assunto a respeito da criação de um mundo fictício é só postarem que assunto é esse que eu tentarei abordá-lo da melhor maneira possível,ok?;-)
75d62f47-3148-46dd-aa30-a3251411f794_560_420.jpg
Minha dificuldade é em um programa ou tipo de arquivo para arquivar e organizar meus personagens do mundo que criei
 
Minha dificuldade é em um programa ou tipo de arquivo para arquivar e organizar meus personagens do mundo que criei
Você pode usar o próprio editor de textos do Windows criando uma tabela e colocando em uma das células o nome do personagem e na célula ao lado quem ele é, o que ele faz e suas características. Cada vez que você criar um personagem novo você vai ter que atualizar essa tabela. Assim você vai ter o contole até dos personagens coadjuvantes e de menor importância
 

Valinor 2023

Total arrecadado
R$2.494,79
Termina em:
Back
Topo