1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Corinthians empurra rombo do Itaquerão para prefeitura, mas Haddad rejeita

Tópico em 'Esportes' iniciado por Fúria da cidade, 21 Nov 2014.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    O Corinthians e a Odebrecht têm enfrentado rejeição do mercado para comprar os CIDs (Certificado de Incentivo ao Desenvolvimento) do Itaquerão, o que abre um rombo de R$ 405 milhões na conta do estádio. Assim, o clube e a construtora pediram à prefeitura de São Paulo que dê garantia de cobrir o valor caso os títulos não sejam vendidos. Só que o prefeito Fernando Haddad rejeitou a requisição e houve um racha entre corintianos e o município.

    Foi a gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab que se decidiu pela emissão dos CIDs para complementar o custo da arena corintiana, sede da abertura da Copa-2014. Seu preço final foi R$ 1,150 bilhão. E o clube venderia os títulos ao final da construção para devedores de ISS (Imposto Sobre Serviços), provavelmente bancos, que poderiam descontar o valor de seus débitos.

    O Corinthians e a Odebrecht informaram oficialmente que ainda não podem negociar os CIDs, pois esperam um documento da prefeitura certificando a conclusão do estádio. Mas já foram emitidos todos os títulos em cédulas de R$ 50 mil pela prefeitura. Com eles, o fundo que controla o estádio foi ao mercado para saber o seu valor.

    O problema é que empresas e bancos têm recusado a compra dos títulos porque não confiam na sua validade, o que é confirmado até por pessoa envolvida no projeto da arena. Um dos motivos é um questionamento judicial do Ministério Público Estadual em processo que alega ilegalidade dos CIDs por serem transferência de recurso público a entidade privada. “Estes títulos estão sub judice. O processo não tem sentença ainda, mas está andando'', contou o promotor de justiça Marcelo Camargo Milani.

    Hoje, quem comprar os títulos terá direito a descontar o imposto na prefeitura que aceitará a operação. O problema é que há a possibilidade deles perderem a validade dependendo da Justiça. Assim, quem tivesse comprado os títulos teria de pagar duas vezes o imposto. Nenhuma empresa quer assumir esse risco, nem com desconto, e todas têm rejeitado sondagens para comprá-los.

    Resultado: o Corinthians e a Odebrecht foram pedir ajuda a prefeitura. Querem um documento da prefeitura de garantia que se responsabilize pelo valor dos CIDs independentemente do que ocorrer no futuro. Outra possibilidade seria um novo projeto de lei que permitisse a prefeitura recomprar os títulos caso estes fossem rejeitados pelo mercado. Desta forma, o dinheiro sairia do caixa do município, não de incentivo fiscal.

    A prefeitura rejeitou a demanda corintiana, considerada ilegal. A alegação é de que o clube e a Odebrecht sabiam do risco dos títulos quando entraram no negócio até porque CIDs neste montante eram inéditos. Com a rejeição, o clima entre as duas partes ficou péssimo nas reuniões, e as relações estremecidas. A decisão de rechaçar a investida corintiana teve participação direta de Haddad.

    “A prefeitura não pode fazer isso. Se não conseguem vender o título, é problema de quem tem que vender'', contou o promotor Marcelo Milani. “Acho difícil o prefeito fazer algo neste sentido, mas, se fizer, será movido um processo criminal e por improbidade administrativa contra ele.''

    Questionados se tinham pedido ajuda a prefeitura, Corinthians e Odebrecht não responderam às perguntas, nem falaram sobre dificuldades de venda dos títulos. Apenas informaram que ainda não podem legalmente negociar os CIDs.

    “Corinthians e Odebrecht informam que os CIDs ainda não foram emitidos integralmente (querem R$ 420 milhões em títulos) pela Prefeitura. Além disso, aguardamos a emissão do “Termo de Conclusão do Investimento e de Liberação do Uso do CID''. De acordo com o previsto em lei, apenas após a emissão do referido Termo pode-se dar inicio às negociações e comercialização dos certificados'', disse a assessoria dos do clube da construtora.

    A prefeitura não se pronunciou oficialmente. Em entrevista recente à ESPN, Haddad criticou a engenharia financeira realizada para a construção do estádio, embora tenha defendido sua construção.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    -----------------------------------------------------------------------------------------------

    E aí? Quem paga?
     
  2. Neithan

    Neithan Ele não sabe brincar. Ele é Mito

    :clap: Ah Haddad, seu lindo.

    Corinthians tem que se foder, ele e/ou a construtora. Esse estádio foi uma palhaçada nas questões fiscais. Agora, que os gambás quitem a dívida com a Caixa, ano a ano, e esses CID's aí vai pra conta da construtora. :lol:
     

Compartilhar