1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Conviction (2010)

Tópico em 'Cinema' iniciado por imported_Shiryu, 8 Jan 2011.

  1. imported_Shiryu

    imported_Shiryu Yippie-ki-yay...

    Conviction (2010)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Elenco:
    Hilary Swank ... Betty Anne Waters
    Sam Rockwell ... Kenny Waters
    Minnie Driver ... Abra Rice
    Melissa Leo ... Nancy Taylor

    Sinopse: Baseada na história real de Betty Anne Waters, uma mulher que não completou o ensino médio, mas ao ver seu irmão preso, acusado injustamente por assassinato, ela resolve estudar direito para tirá-lo da cadeia. Ela terá que equilibrar tudo isto com sua vida de mãe solteira e sua profissão.

    Sinceramente, achei muito ruim o filme, esperava muito mais. O sotaque da Hillary Swank é muito estranho, e já fiquei meio assim. E o pior é que no decorrer do filme, ao invés de simpatizar com a protagonista, eu gostaria que alguém matasse a lazarenta (o mesmo ocorre com o personagem do Rockwell, mas em menor escala). Por último, achei que o diretor queria que o filme fosse uma OMFG, que pagassem pau, mas ele não é um irmão Coen ou Aronofsky, e ficou meio forçado.

    Além disso, o jeito que abordaram o DNA como forma de absolver o cara é tosca, os caras acham que o espectador é retardado e nunca ouviu falar disso. Além disso, wtf a a personagem da Juliette Lewis, uma mulher bem jacuzona que fala que não vai assinar porque cometerá perjúrio, citando até que não tinha sido prescrito o crime. Como que a mulher saberia disso?

    Outra coisa, no filme a mulher praticamente desistiu dos filhos (e da vida) para tentar libertar o irmão, sei lá, achei muito irreal isso.



    Curiosidade da vida real:
    depois de ficar preso por 18 anos, 6 meses após ser libertado, Kenneth Waters foi se alugar a pegar um atalho para chegar a um restaurante, voou 5 metros de altura de cabeça e morreu.
     

Compartilhar